Em Londrina, campanha só na semana que vem | Fábio Campana

Em Londrina, campanha só na semana que vem

Antonio Belinati, do PP, e Luiz Carlos Hauly, do PSDB, que disputam o segundo turno em Londrina, só iniciarão suas campanhas na próxima semana.

Pelo Calendário Eleitoral poderiam fazer campanha desde ontem, mas os dois resolveram reorganizar o time e passar a semana dedicando-se em tempo integral a articulação de forças.


7 comentários

  1. Fora Belinati!
    quarta-feira, 8 de outubro de 2008 – 9:22 hs

    Tenho a máxima certeza que nesta semana de “recesso” o povo conseguira parar e analisar o risco que novamente a cidade corre ao cair nas mãos do Belinati e de continuar nas do grupo econômico do Janene!

    Com certeza o povo não vai cair de novo neste risco para o futuro da cidade hoje representado pela volta do Belinati ao poder e a chave dos cofres públicos!

    Temos de tomar um novo caminho, que é o de votar HAULY 45!

    Errar é humano, mas persistir no erro é burrice!

  2. Zé do Coco
    quarta-feira, 8 de outubro de 2008 – 10:46 hs

    O problema com a eleição democrática é que quase sempre prevalecem os espertalhões. E o povo não é exatamente o mais esclarecido, dando ensejo à escolha de autênticos marginais, a raposa a cuidar das galinhas.
    Vamos ver se Londrina desmente isso e escolhe agora, depois de tantas eleições, um homem da envergadura de Hauly.

  3. Antero Rodrigues
    quarta-feira, 8 de outubro de 2008 – 11:24 hs

    Primeiro turno intrigante

    Os meus parabéns ao Belinati e ao Hauly pelo segundo turno. Também cumprimento o Barbosa Neto pela sua campanha aguerrida. Mesmo atacado por todos, obteve impressionantes 62 mil votos – praticamente o mesmo que Hauly. Ainda jovem, Barbosa tornou-se a terceira força política de Londrina.
    Também aproveito a oportunidade para lamentar as baixas votações de Cheida e de André Vargas. Os eleitores do “voto útil” migraram deles e levaram Hauly à condição de segundo colocado na votação.
    Por isso eu, particularmente, achei muito intrigante o primeiro turno. Mas na eleição de domingo o bom mesmo foi a grande e necessária renovação da Câmara Municipal. Estávamos precisando!

  4. eu
    quarta-feira, 8 de outubro de 2008 – 14:40 hs

    Nossa, que novidade!
    Li isso em todos os jornais ontem…

  5. Luizão
    quarta-feira, 8 de outubro de 2008 – 16:22 hs

    Para ver quem é o pior candidato é só verificar quem será apoiado pelo Janene.
    No primeiro turno, se não me engano foi o Barbosa Neto.
    hmmm!!!

  6. A alta rejeição!
    quinta-feira, 9 de outubro de 2008 – 11:22 hs

    Em Londrina ocorre a disputa por 108 mil votos
    Levando em conta a legislação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no que se refere à necessidade de o eleito obrigatoriamente ter a de metade dos votos válidos mais um, e tomando por base o que cada candidato teve de votos no primeiro turno, a busca de eleitores por parte de Belinati, com 98.432 votos, seria por mais 36.858 votos para se eleger, o que não será fácil, pois atingiu o seu teto máximo de intenções de voto.

    O candidato Hauly ficou com 63.891 votos, dependendo de mais 71.400 votos para se sagrar prefeito de Londrina, mas não podemos esquecer que a maioria dos votos não são estável e o índice de rejeição do Belinati é muito maior do que o do Hauly e pelas denúncias que o envolvem tendem a aumentar, pois é mais fácil para o Hauly que possui um passado político limpo ao não ter sido incriminado por nenhuma denúncia ampliar a sua base de apoio com novos votos e diminuir a rejeição, já que dificilmente a maioria dos eleitores do PT ou do PDT e do outros partidos serão coptados pelo Belinati.

    No universo de mais de 108 mil votos a serem herdados dos outros sete prefeituráveis, para Belinati bastaria conquistar pouco mais de 34% desse bolo, o que é difícil, pois são votos descontentes com o passado político do município.

    Hauly precisaria de quase 66% destes votos, o que apesar da aparente desvantagem não será difícil, pois a rejeição com a possibilidade de cassação que pesa sobre o Belinati com certeza irá influenciar o eleitor.

    Não podemos esquecer que ainda existe um universo de 10.708 votos nulos, 6.036 votos em branco e 54.584 abstenções, que forma um número expressivo de 71.328 eleitores, que em sua maioria absoluta são críticos ao processo, cuja maioria deve pela alta polarização que a campanha vai atingir acabar votando em quem possui menos rejeição.

    Com certeza está eleição estará de forma plebiscitária polarizada entre eleger o Belinati ou não!

    Outro dado importante é que no segundo turno do pleito de 1996 entre o Hauly e o Belinati para a Prefeitura a diferença entre ambos foi pequena, somente 11.004 votos entre os 197.111 válidos, sendo que no primeiro turno o Belinati fez 26.687 votos a mais, 96.311 contra 69.624, mas no segundo turno despencou.

    Em 96 não havia ainda os mais de 70 processos contra o Belinati e a possibilidade altamente provável de uma nova cassação, o que com ele já ocorreu por lesar o patrimônio público, o que do ponto de vista do aumento da rejeição é significante!

    No primeiro turno o Belinati foi rejeitado por 35% dos eleitores!

  7. Luizão
    quinta-feira, 9 de outubro de 2008 – 17:12 hs

    Sei não…
    O Belinatti é altamente carismático e na sua Administração, a grande verdade é que a cidade anda….respira…cresce.
    Sua aceitação nas camadas mais pobres é muito grande. Chamar Belinati de ladrão, corrupto etc… nada tem de pragmático, pois esse é o discurso fácil na política, como se os demais fossem cem por cento impolutos, corretos e honestíssimos. Na verdade todos são fisiológicos, todos enriquecem às custas do dinheiro público, todos são ávidos de poder.
    A diferença que realmente interessa é se a cidade vai melhorar ou não.
    E.. claro, as roubalheiras, os desvios etc devem ocorrer com o mínimo de pudor.
    Na última administração do belinati não houve pudor algum e aí as coisas aconteceram.
    Mas temos que lembrar que quem administrou a cidade não foi ele mas sim o Janene, que foi o depositário do dinheiro da SERCOMTEL lá na COMUB, através daquele sujeito que recebeu o perdão do Ministério Público e do Judiciário. Como é mesmo no nome dele? ….Alonso???? Quem estava lá se lembra muito bem a situação de refém em que se encontrava o Belinati.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*