Delazari nega ameaça de ataque do PCC no Paraná | Fábio Campana

Delazari nega ameaça de ataque do PCC no Paraná

O secretário Luiz Fernando Delazari (foto) negou hoje em entrevista coletiva que houvesse uma ameaça de ataque iminente do Primeiro Comando da Capital (PCC) ao Paraná. Segundo Delazari, tudo não teria passado de boato.

O secretário veio a público rebater a confirmação do coronel Carlos Alexandre Scheremetta que, antes de ser determinado seu afastamento do Comando do Policiamento da Capital, afirmou à reportagem da Tribuna do Paraná que, na quarta-feira, todos os policiais foram orientados a manter os portões dos batalhões e companhias fechados e que o acesso de pessoas fosse rigorosamente controlado.

“Se não tomássemos essas medidas, poderíamos ser pegos de surpresa. Não sei a procedência da informação sobre o ataque. Apenas fomos orientados pelo coronel Anselmo (comandante-geral da PM no Paraná) a tomar esses cuidados”, comentou Scheremetta.

A denúncia, investigada pela Tribuna, era de que presos do PCC estariam tramando uma retaliação à polícia paranaense, assim como aconteceu em São Paulo, há dois anos. O objetivo também seria invadir quartéis, batalhões e delegacias, para arrebatar presos e roubar armas.

Segundo Delazari, nada disso aconteceu e, ao ser questionado se o afastamento de Scheremetta teve relação com esse episódio, foi claro. “O afastamento foi para investigar as ações da PM durante a desocupação na Fazendinha e não teve nenhuma relação com este boato de ataque do PCC”, disse o secretário.


5 comentários

  1. ronaldo
    sexta-feira, 24 de outubro de 2008 – 17:09 hs

    É, ta ruim a coisa mesmo minha gente……

  2. jango
    sexta-feira, 24 de outubro de 2008 – 21:28 hs

    Vejam só o que disse o Secretario: que foi orientado pelo coronel, mas não sabe de onde vem a notícia … E temos que conviver com este nível de inteligência na segurança pública. Não só a população fechada em casa, agora os quartéis – enquanto o PCC tá pela aí …

  3. O PCC manda aqui!
    sexta-feira, 24 de outubro de 2008 – 21:54 hs

    Qual é o motivo da guerra que está havendo em toda a periferia, Trindade, Vila Pinto, Parolim, etc. se não é a chegada do PCC, CV, etc. com toda a força em Curitiba e metropolitana?

    As disputas a bala pelo comércio de drogas acontece por toda a capital!

    As gangs que antes agiam e ainda agem na nossa periferia não são páreo para estas organizações que hoje possuem um caráter mafioso e já é parte de uma rede de organizações na América do Sul!

    O maior erro que foi cometido em um passado recente foram as transferências de presos de um Estado Para outro e para a nossa infelicidade para cá veio o Geléia, que na época era o cabeça do PCC.

    Em pouco tempo ele assumiu o comando no presídio de Piraquara, inclusive organizando a rebelião, onde os presos que antes controlavam presídio e não se perfilaram a ele foram mortos!

    Quando o Geléia foi embora deixou mais de 100 membros do PCC em Piraquara e muitos destes já estão nas ruas organizando o Primeiro Comando.

  4. Boss
    sábado, 25 de outubro de 2008 – 23:31 hs

    oh Jango, quem foi orientado pelo comandante foi o coronel Scheremetta, não o Secretário!
    Presta atenção no que lê, meu rapaz!

  5. jango
    domingo, 26 de outubro de 2008 – 10:48 hs

    Boss: você tem razão, faltou colocar o nome do coronel, obrigado pela correção.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*