Bolsas em queda livre, dólar está em R$ 2,40. Obama e McCain travam batalha em economia. | Fábio Campana

Bolsas em queda livre, dólar está em R$ 2,40. Obama e McCain travam batalha em economia.

O mercado financeiro continua em queda livre.

As medidas tomadas por alguns dos principais bancos centrais do planeta não encontram ressonância nos mercados financeiros. Na Europa, nos EUA e, por consequência, no Brasil, as Bolsas de Valores desabam, em meio ao temor generalizado dos investidores com a perspectiva de uma recessão nas economias centrais, com desdobramentos para o restante do mundo.

O nosso Banco Central passou a vender dólares pela 1ª vez desde março de 2003 para tentar conter a disparada da moeda americana.

Obama e McCain sobre intervenção e liberalismo

Ontem no debate entre os candidatos à Casa Branca, as duas principais teses correntes sobre a atual crise se enfrentaram: a de Barack Obama culpa a ganância dos investidores e a fé cega no livre mercado como causas, e dá como solução um maior controle do governo na economia.

A tese defendida por John McCain foi a exatamente oposta: a intervenção dos governos é que teria criado a bolha de crédito. Fannie Mae e Freddie Mac eram duas estatais que emprestavam dinheiro com juros subsidiados para que os norte-americanos comprassem suas casas. E o governo emprestou dinheiro demais para quem não pagou depois, estourando a bolha de crédito.

Sem o governo dando crédito e garantias a todo mundo, o mercado teria se regulado e não entrado nessa fria, defende McCain.


Um comentário

  1. Conspiração
    quarta-feira, 8 de outubro de 2008 – 16:43 hs

    Quem teve a oportunidade de assistir o documentário do excelente Michel Moore – 9//11 – pode ter uma visão do que aquilo foi. Principalmente no momento em que Bush, dentro de uma Escola de Ensino Fundamental, recebeu a notícia dos atentados. Viram a cara que o presidente fez? Veajm e analisem. E por que levou mais de sete minutos (numa situação tão grave) para tomar uma atitude? Estranho, pois não? Agora essa crise financeira de amplitude mundial bem no final do seu governo. Também não é estranho? Olha, pelo andar da carruagem Barack será o próximo presidente dos EEUU (torcemos para isso) mas que vai pegar uma terra arrasada, isso vai. Levará tempo para recolocar as coisas nos eixos. Barack nêles.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*