Roberto Requião responde à Gazeta do Povo e a este blog | Fábio Campana

Roberto Requião responde à Gazeta do Povo e a este blog

O governador Roberto Requião responde à Gazeta do Povo e ao blog sobre o as denúncias de interesse político em uma investigação da Polícia Civil. Cerca de dez dias atrás a Polícia investigou denúncias sobre a época em que Beto Richa era deputado estadual, entre de 1995 a 2000. Segue abaixo o texto:

Por decisão do Juiz Doutor Alexandre Barbosa Fabiani, da 177ª Zona Eleitoral de Curitiba, nos autos do Pedido de Resposta número 3422/2008, nos quais figuram como requerente Roberto Requião de Mello e Silva, e como requeridos a Coligação Curitiba O Trabalho Continua, Jornal Gazeta do Povo e Blog Fábio Campana.

É absurda a ilação, feita pelo jornal, de que as investigações do Comando de Operações Especiais da Polícia Civil do Paraná (Cope) tenham motivação política, conforme matérias publicadas na edição desta quarta-feira (24). Todas as investigações partem de fatos comprovados e seguem trâmites e regulamentos oficiais. Vale lembrar que a atuação do Cope e de toda a Polícia Civil é fiscalizada permanentemente pela sua Corregedoria e pelo Ministério Público Estadual.

Vale lembrar que a contratação de funcionários “fantasmas” pelo gabinete do então deputado estadual Beto Richa é fato conhecido e admitido pelos envolvidos. A própria Gazeta do Povo noticiou o fato, com destaque, a época que ele veio à tona. Os demais casos, como as possíveis irregularidades no aluguel de veículos na prefeitura de Colombo, são denúncias graves, e por isso foram distribuídas para delegacias com mais capacidades de ação para realizar as investigações. Trata-se de procedimento rotineiro da polícia. Estranho seria ver o contrário, seria ver autoridades dificultando o andamento das investigações.

É a primeira vez que se tem notícia de que uma polícia é criticada por agir com rapidez e agilidade! Não custa repetir o que disse à Gazeta do Povo o delegado Miguel Stadler um funcionário público com anos de carreira na Polícia Civil do Paraná: “Quem criticou a rapidez nunca participou de nenhuma investigação”.

Aqui, afinal, cabe a pergunta: quem criticou a rapidez da investigação? Os investigados! Vale a pena lembrar a Operação Satiagraha, que prendeu, entre outros, o banqueiro Daniel Dantas. O que se viu e se vê nas semanas que se seguiram à prisão do poderoso banqueiro, um lobby que envolve políticos e, lamentamos, jornalistas nas tentativa de desqualificar o trabalho da Polícia Federal e livrar a cara dos investigados.

A Gazeta do Povo faz o mesmo, aqui, com políticos investigados pela polícia. O jornal tem autocrítica suficiente para perceber que, ao sugerir que a defesa de interesses políticos move uma investigação policial, pode estar justamente defendendo outros interesses políticos que não querem que as investigações sigam adiante?

A Polícia tem de fazer seu trabalho, e tem de fazê-lo em época de campanha eleitoral, de Copa do Mundo, de Carnaval, de festas de fim de ano. Se há denúncias, elas têm de ser investigadas, a qualquer tempo. O absurdo imaginar que a Polícia e a Justiça tenham de abster-se de investigar, ou de julgar, algumas pessoas durante a época de eleições pelo simples fato delas serem candidatas. Se assim fosse, os tempos de eleições seriam meses paradisíacos para os criminosos e bastaria que eles se candidatassem e estariam fora do alcance da lei. Felizmente, não é assim. E, estou certo, os senhores hão concordar comigo.

De resto, a lei eleitoral já prevê que nenhum candidato pode ser preso nos dias que antecedem o pleito, a não ser por flagrante delito. Ora! Só isso já bastaria para colocar por terra o jus sperniandi dos investigados. Pois, afinal, qual o efeito prático de uma investigação posta em marcha com o fim de desmoralizar determinado político se ele não pode ser preso, por proteção legal?

Finalmente, não custa lembrar que a própria Gazeta do Povo teve dificuldades em encontrar quem defendesse a tese brandida por políticos investigados pela polícia e encampada com gosto pelo jornal. Um dos textos da reportagem admite isso já no título: “Especialistas são cauteloso ao analisar ações policiais”. Indo ao texto, lemos o cientista político Carlos Strapazzon “(…) acredita ser precipitado relacionar as quatro ações da Polícia Civil do Paraná, citadas pela reportagem, com um suposto interesse político eleitoreiro.” Adiante, a reportagem o força a trancar para que o entrevistado diga que “seria lamentável o uso do poder público contra adversários”.

Não tenham dúvida, senhores que concordo com o cientista político! Seria, de fato, lamentável! Como também o lamentável que o jornal use de um expediente desses para conseguir uma declaração enfática que o entrevistado não gostaria de fazer. Lembra-me o caso “boimate”, de Veja, e tenho certeza de que os senhores também se lembram dele. De qualquer forma, recordo a anos atrás, o semanário da Abril caiu na piada de primeiro de abril sobre o cruzamento genético de boi e tomate. Como um cientista, entrevistado, duvidava de tal maravilha da genética, veio a pergunta: e se fosse verdade? “Seria a mais incrível descoberta de ciência”, veio a resposta, irônica. Da mesma forma, seria lamentável o uso do poder público contra adversários, não é mesmo?

Atenciosamente

Roberto Requião
Governador do Paraná


20 comentários

  1. FORA MARIA LOUCA
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 6:46 hs

    “Aqui, afinal, cabe a pergunta: quem criticou a rapidez da investigação? Os investigados! ”

    Errado mané! Foram os espectadores – nós o povo!!
    Você está acabado Requião, esperávamos um factóide melhorzinho. Você já foi mais criativo. Afinal, o que o motivou a criar o Ferreirinha??

    Pô faça algo de útil para o Paraná, chega de lero-lero! Estas tentativas de dar uma de esperto só mostram como você é tolo!

  2. domingo, 28 de setembro de 2008 – 9:08 hs

    E Blá, blá, blá,blá…vai ver o Beto ficar…e mais, quem sabe a frente ocupando o lugar que o senhor está hoje!!!! respeite o povo paranaense e curitibano….e lembre-se foi por muito pouco…mas muito pouco mesmo que conseguiu se eleger….Olha num país como nosso..ousaria dizer que até a classe D deve ter votado no opositor! Por favor…respeito….respeito…respeito!

  3. Vigilante do Portão
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 9:59 hs

    Não deixa de ser suspeita a agilidade com que a polícia do Paraná atuou no caso.
    Ficou evidente o “consórcio” entre o PMDB do Requião e o PT da Gleisi, para prejudicar o prefeito Beto Richa, inclusive com o apoio da Gazetona.
    Dar urgência urgentíssima, para um caso de 10 anos atrás, enquanto dormem, inertes, nas delegacias, milhares de inqueritos sem solução.
    Num procedimento todo viciado, sem abertura de inquerito, prova duvidosa, conseguida com gravação clandestina, oitiva de testemunhas de maneira clandestina, visto que não havia inquerito formalizado.
    Lembrando que a formalização do inquerito, no caso de prefeitos, exige autorização judicial.
    A gazetona, entrou no esquema, dando publicidade de página inteira, só para que os adversários do prefeito pudessem usar a reportagem em seus programas eleitorais, desgastando o Beto Richa. Sendo que o jornal vem apoiando veladamente a candidata do PT.

    O governador Requião pode declarar o que quiser, o Curitibano sabe do que ele é capaz de fazer para prejudicar adversários políticos.

  4. jango
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 10:22 hs

    Sim, seria lamentável o uso do poder público contra adversários …
    Porque então foram desalojados incontinenti de suas instalações os valorosos promotores que apuraram as atividades de arapongagem de um assessor especial da governadoria ?

  5. Felizardo
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 10:32 hs

    Sugestão para investigação na Polícia Federal ou até mesmo no COPE: o sumiço de 30 otoscópios na UFPR, apontado pelo TCU, sob os olhos do reitor Moreira. Até hoje não se sabe o paradeiro dos aparelhos. Virgem santa!!! O reitor é candidato e não pode ser preso!!!!

  6. Antonio W
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 10:37 hs

    Quanta hipocrisia deste indivíduo falastrão! Já que sua polícia é tão independente, a mesma deveria investigar os inúmeros casos de corrupção do (des)governo Requião.

  7. Ricardo
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 11:01 hs

    As investigações apareceram na hora exata. Um deputado medíocre, que escoou dinheiro pelo ladrão da assembléia para contas que ainda não aparecerem está prestes a se reeleger, com o uso de toda a máquina pública municipal. A denúncia é válida, não aquelas merdas de classe média que diminuíram o Paraná em 2006: “Você trai o marido”, “mais repsito governador”. Isso é política baixa, apelativa. Descaracterizaram todo a ideologia por trás de um governo para criar a imagem de um homeme que é exatamente igual ao opositor. Ou algum imbecil acredita que o Osmar Dias seja um cidadão sensível e pacífico?
    A denúncia, apesar do girot das bonecas, é válida e legítima. É a denúncia que escancara o político mais marionete que este estado já produziu.

  8. JUSTICEIRO
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 11:08 hs

    Impossivel justificar o injustificável.
    Parece mais uma das piadas requianistas, mas infelizmente não é quando se vem a público dizer que pela circunstância legal dos candidatos não poderem ser presos nas vésperas da eleição e só por isso eles não seriam prejudicados, raia ao cúmulo do absurdo.
    No caso Ferreirinha, quem foi preso?
    Ora, tenha a santa paciência REIquião (ou seria mais apropriado mesmo reiBOBÂO), substimar a inteligência pública de que só haveria interferência numa eleição se ocorresse a prisão dos candidatos.
    Expedientes como uma simples “BUSCA E APRENSÃO” ou um “FLAGRANTE PREPARADO” ou até mesmo o “VAZAMENTO DE UM ÚNICO DEPOIMENTO” pela forma sensacionalista e cinematográfica como ele possa ser feito (vide caso ferreirinha), claro e evidente que tem potencial de influir no resultado eleitoral.
    Inúmeros são os exemplos, inclusive o mais emblemático de todos e mais tarde considerado um “verdadeiro estelionato eleitoral” – quando o autor destas perolas de sofismas, se elegeu governador, criando o factóide de uma pretensa investigação criminal contra um pretenso pistoleiro de décadas passadas.
    É evidente que os policiais que comandam o COPE, ocupam cargos de confiança do Secretário de Segurança e, como tal sofrem as pressões dos interesses das pessoas porque que os comandam pois que podem ser demissiveis “ad nutum”.
    Quando temos um governante equilibrado, democrático, isento e que sempre governou para todos e pelo interesse público, evidente que temos uma policia isenta, austera, sensata e equilibrada.
    Mas com o curriculum e antecedentes deste governador, seria ingênuo demais acreditar na sua isenção e exatamente durante o período eleitoral.
    Por isso, ante a liberdade de imprensa e a falta de moral de quem governa para sua “famíglia” e seus amigos e apaniguados (alguns com extensa folha criminal, para citar apenas dois destes que são candidatos nesta eleição, – Doático e Rasera), prefiro ficar com a matéria da Gazeta do Povo e deste blog, que cumpriram o dever jornalístico de alertar o escancarado abuso de poder dos que o costumam praticar e que, reiteradamente, a justiça vem condenando.
    Claro que a policia tem que continuar investigando em qualquer época, seja ou não eleitoral, mas que é espantoso que a agilidade da policia só se verifique nas vésperas das eleições e sempre em “investigações que envolvam administrações oposicionistas ao governo do estado, é mais que espantoso, é escandaloso, é sim o mais escancarado abuso de poder que já se viu
    Assim a comparação com a GESTAPO, não é pela eficiência e presteza das investigações e métodos utilizados, mas pelo desvio de finalidade com que vem se utilizando a policia investigativa, hoje claramente empenhada para desestabilizar adversários (mesmo sem prende-los).
    Veja-se o caso de Colombo, onde agora até o Deputado Strapasson do próprio PMDB, decidiu-se apoiar publicamente a oposição ao governo do REIbobão, que apóia deputada fantasma-gafanhota, que propala nos comícios as informações previlegiadas das investigações que a policia dispõe, para se entender o uso eleitoral da policia.
    Tentaram pedir a prisão preventiva de empresários, secretários e funcionários municipais para atingir o Prefeito Jota, mas a Juíza de Direito, nesta ultima semana negou tal tentativa, assim como o fez o Juiz da Central de Inquéritos, com a sórdida tentativa contra Beto Richa.
    Por outro lado, quando REIbobão, invoca que “Vale a pena lembrar a Operação Satiagraha, que prendeu, entre outros, o banqueiro Daniel Dantas. O que se viu e se vê nas semanas que se seguiram à prisão do poderoso banqueiro, um lobby que envolve políticos e, lamentamos, jornalistas nas tentativa de desqualificar o trabalho da Polícia Federal e livrar a cara dos investigados” está querendo igualar situações diferentes. O banqueiro vem sendo investigado a muitos anos, mas os casos daqui do Paranaá, são situações de nitido interesse eleitoral e que só agora – na campanha eleitoral, se tornaram interessantes serem investigados pela policia. No caso de Colombo, todas as informações que a policia solicitou da prefeitura, foram prestadas, porque então pedir a prisão preventiva dos envolvidos se eles sempre residiram em Colombo e não possuem antecedentes criminais?
    Porque a Cope não vai investigar a denuncia que o candidato Roque fez publicamente das maracutais do irmão do governador no Porto de Paranaguá? Porque não se investiga o superfturamento do leite e no Ceasa? Porque o Cope não investiga a corrupção na Cohapar?
    Quosque tandem abetere patientia nostra reIBOBÃO?

  9. Orquídea
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 12:12 hs

    Não tenho como provar mas…com certeza estas palavras “mansas” não são típicas de tua fala, ó arrogantíssimo Rei!

  10. Vicente Ferreira
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 12:30 hs

    Usa e abusa da SESP para tudo, há seis anos. É o maior caso de despotismo. Não temos Ministério Público, Judiciário, Tribunal de Contas é uma piada. Isso é Brasil . Isso é Paraná.

  11. Paranagua
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 15:31 hs

    somente CANALHA

  12. domingo, 28 de setembro de 2008 – 17:14 hs

    A melhor maneira de responder ao RequIão é deixá-lo falando sozinho.

  13. claudio
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 17:31 hs

    POR ESSAS E OUTRAS QUE AS DUAS VAGAS PRO SENADO EM 2010 PODEM TER COMO VENCEDORES GUSTAVO FRUET E ANGELO VANHONNI

  14. luis carlos (break)
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 19:08 hs

    se ele correr o bixo pega se ele ficar o bixo vai comer ele. corra logo atraz de um mandato senão…

  15. Shirley
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 20:31 hs

    Para Claudio
    Quem vota para Senador não são só os Curitibanos oh inteligentíssimo Claudio.
    O resto do Paraná só conhece o nome de Requião.
    E Requião pode escolher qual vaga ele quer.
    Para Senador ou para Presidente.
    E quem é esse Fruetinha e esse Vanhoni ?

  16. jose
    domingo, 28 de setembro de 2008 – 20:39 hs

    A Shirley tem passaporte paraguaio? Terá que mudar de mala e cuia pra lá…em breve, acompanhando a trupe…

  17. Cajuru
    segunda-feira, 29 de setembro de 2008 – 9:33 hs

    Governador, antes de falar dos outros, justifique e esclareça os casos de CORRUPÇÃO E DESVIO DE VERBAS PUBLICAS, que acontecem na Cohapar desde a época do Romaneli, olhe pro teu rabo primeiro, depois olhe no dos outros.

  18. Adoniran
    segunda-feira, 29 de setembro de 2008 – 10:01 hs

    A culpa é do Jaime…. essa sempre foi a desculpa do que não faz nada contra o que revolucionou nossa cidade e nosso estado.

  19. BETO PINHAIS
    segunda-feira, 29 de setembro de 2008 – 13:30 hs

    QUE MORAL VC TEM EM FALAR ALGO SEU NEPOTISTA JURAMENTADO, FALASTRÃO , PROVA DISSO SÃO OS CANDIDATOS APOIADOS POR VC QUE ESTÃO DISPENCADOS NAS PESQUISAS, OU VC NÃO ACREDITA EM PESQUISAS ?

  20. Anderson Ribeiro
    quinta-feira, 2 de outubro de 2008 – 9:25 hs

    Requião….
    Quem explica as placas do “DETRAN”que estavam sendo usadas por um candidato a vereador de Colombo… coincidentemente este candidato é apoiado e apoia a Beti Pavin…
    Será..???
    Mas a justiça foi feita… retiraram todas após decisão judicial, e até a própia polícia civil teve de acompanhar a retirada… que ironia do destino!!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*