O Brasil da Bruzundanga, salve Lima Barreto | Fábio Campana

O Brasil da Bruzundanga, salve Lima Barreto

“Lá, na Bruzundanga, os mandachuvas, quando são eleitos, e empossados, tratam logo de colocar em bons lugares os da sua clientela. Fazem reformas, inventam repartições, para executarem esse seu alto fim político.”

Os Bruzundangas (Capítulo XXII: Notas Soltas) por Lima Barreto.


2 comentários

  1. jango
    terça-feira, 2 de setembro de 2008 – 21:21 hs

    Bem lembrado, Fabio. Leiamos mais este trecho que calha à fiveleta à “República do Paralá”:

    “Não há lá homem influente que não tenha, pelo menos, trinta parentes ocupando cargos do Estado; não há lá político influente que não se julgue com direito a deixar para os seus filhos, netos, sobrinhos, primos, gordas
    pensões pagas pelo Tesouro da República.”

    Lima Barreto tem muito mais, gente.

  2. cidadã abismada
    quarta-feira, 3 de setembro de 2008 – 14:29 hs

    E olha que o Lima morreu em 1922 e aposto que sequer conhecia o Paraná.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*