Fabio Camargo propõe o Consórcio Metropolitano de Saúde | Fábio Campana

Fabio Camargo propõe o Consórcio Metropolitano de Saúde

O tempo ruge. A oposição perde a paciência. Fabio Camargo também parte para o ataque. Em visita a postos de saúde nos bairros, disse que é inconcebível que a estrutura de saúde de Curitiba atenda doentes da região metropolitana, que pagam impostos nas cidades onde moram, mas utilizam-se dos serviços da capital.

Defendeu a criação de unidades de saúde metropolitanas nas divisas de Curitiba, sob administração de um Consórcio Metropolitano de Saúde, “para acabar com a ‘ambulancioterapia’ promovida por cidades que despejam doentes nas portas dos postos de saúde e hospitais de Curitiba porque não conseguem fortalecer sua rede de atendimento”, diz Fabio.


10 comentários

  1. Zé do Coco
    segunda-feira, 1 de setembro de 2008 – 5:45 hs

    O de que esse mocinho não se capacita é que nenhuma unidade de saúde EM TERRITÓRIO NACIONAL pode recusar doente. O nome disso, mocinho, é UNIVERSALIZAÇÃO DO ATENDIMENTO À SAÚDE.
    Em hipótese alguma se pode recusar doente, venha de onde vier.
    Fazendo de conta que essas coisas não existem, ele clama, demonstrando uma indignação fajuta e tão legítima como uma nota de 30 reais. Agora está achando que foi ele quem inventou a pólvora. O problema com a Saúde no Brasil vem de séculos, mocinho. Nunca temos verbas suficientes, porque os senhores políticos sempre dão um jeitinho de garfar um por fora.

  2. João Carlos
    segunda-feira, 1 de setembro de 2008 – 8:05 hs

    Apesar de eu ser um tanto contra o Fábio Camargo, sou obrigado a concordar com ele, apesar de ser realmente erroneo em razão da universalização.

    Todavia o Lauro Rodrigues disse a poucos dias uma coisa interessante, que o cartão verde daria preferência àquele que o tivesse no posto de saúde.

    Seria otimo que o curitibano tivesse tal preferência,

  3. cristiano jose
    segunda-feira, 1 de setembro de 2008 – 8:31 hs

    Informo que já existe o consórcio metropolitano de saúde com a finalidade de engendrar esforços para a compra de medicamentos a preços mais baixos para a população haja vista a redução de preços em aquisições em grandes compras.

  4. segunda-feira, 1 de setembro de 2008 – 8:36 hs

    O Fábio se engana. Essas pessoas da RMC produzem impostos em Curitiba, pois trabalham aqui. E moram na RMC.
    Mais um engano do candidato do marketing!

  5. NAGIBAKÃO
    segunda-feira, 1 de setembro de 2008 – 9:07 hs

    O Fabio tem razão – se não houver na prática integração na saúde metropolitana – o sistema não vai funcionar a não ser na propaganda – onde temos a melhor saúde do planeta.

  6. Ederson
    segunda-feira, 1 de setembro de 2008 – 9:34 hs

    Calma ai Fabio.
    Querer deixar de cuidar de doente.
    Então uma pessoa que morre de Câncer em Curitiba, é mais importante do que uma que morre de Câncer na RMC?

  7. Mario
    segunda-feira, 1 de setembro de 2008 – 9:41 hs

    A proposta do Fábio “Empresário da Noite” Camargo é cópia descarada da proposta que consta do programa da Gleisi. O Consórcio Metropolitano de Saúde (que não tem nada a ver com o Consórcio de Medicamentos, são entidades distintas) só não saiu do papel, porque a turma do Beto não quer largar o osso. Os recursos federais para atendimento de especialidades da RMC estão todos alocados no Fundo Municipal de Saúde de Curitiba. Daí vem a turma do Beto querer colocar um cercadinho e proibir o pessoal da RMC de ser atendido. Isto é apropriação indébita!

  8. Syrlei
    segunda-feira, 1 de setembro de 2008 – 10:30 hs

    A proposta do Deputado e candidato a prefeito Fabio Camargo não pode ser encarada como sendo de alguém – seja PT ou PSDB – é uma necessidade do POVO independente de cores partidarias. Faz bem o Fabio Camargo em bater nessa tecla, por que é a melhor solução para a RMC.

  9. O Povo
    segunda-feira, 1 de setembro de 2008 – 11:15 hs

    Em todas eleições o mesmo tema o mesmo assunto, a 30 anos discutem esse tema e de concreto só o aumento da população e consequentemente o aumento dos problemas na área de atendimento, mais inegavelmente a Prefeitura na atual administração Beto Richa, tem tratado o tema com o respeito e dedicação que ele merece, e na sua próxima gestão esperamos que seja amenizada a situação de penúria deste povo que mais precisa do atendimento de saúde pos postos municipais e hospitais especializados!

  10. Teodoro
    segunda-feira, 1 de setembro de 2008 – 14:29 hs

    O Fábio Camargo que vá cuidar da zona dele e não encha a paciência dos outros com abobrinhas, nossos ouvidos não são patentes, para aguentar tanta M…., que o Tony Garcia “polaco”, vá pro colinho do Papi!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*