Agência de Notícias do Governo denunciou diretor de Obras de Greca | Fábio Campana

Agência de Notícias do Governo denunciou diretor de Obras de Greca

Em 29 de maio de 2007, a Agência de Notícias do Governo Requião publicou denuncia contra o atual diretor de Obras da Cohapar, Eduardo Bazan Quezada, que é um dos envolvidos nas irregularidades apontadas pelo Ministério Público na realização dos Jogos da Natureza, no então governo de Jaime Lerner.

Quezada foi recuperado por Requião, nomeado por Rafael Greca e é agora o homem forte ao lado de Greca na direção da Cohapar. Para ler a denúncia apublicada pela Agência de Notícias do próprio Requião, clique em “Leia Mais”.

MP ajuíza ação contra Jogos Mundiais da Natureza – 29/05/2007 16:12:34
Agência de Noticias do Governo do Paraná

A Promotoria de Justiça de Proteção ao Patrimônio Público de Curitiba ajuizou ação civil pública de ressarcimento por desvio de verba durante os Jogos Mundiais da Natureza, realizados em 1997. O Ministério Público levantou irregularidades na construção da base náutica de Santa Helena e pede a devolução ao erário de cerca de R$ 550 mil devidamente corrigidos. O MP tem diversos procedimentos que apuram irregularidades relacionadas aos Jogos Mundiais da Natureza. O evento esportivo foi promovido no governo Jaime Lerner, em Foz do Iguaçu e região, entre setembro e outubro de 1997.

Na atual ação, foram citados a empresa Tucumann Engenharia e Empreendimentos Ltda e seu proprietário, José Maria Ribas Müller; Wádis Vitório Benvenutti, então diretor-presidente da Paraná Turismo; Eduardo Bazan Quezada, engenheiro, à época na Secretaria Estadual de Esporte e Turismo; e o ex-secretário estadual de Esporte e Turismo, Osvaldo Luiz Magalhães dos Santos, morto em 1998 e representado por seu espólio.

De acordo com a ação, em abril de 1997 o Estado abriu licitação para a construção das bases náuticas em Santa Helena. A Tucumann apresentou proposta de R$ 878.826,70, venceu o certame licitatório e ficou responsável pela obra. Em julho, foram incluídos novos reparos ao projeto, que foram incluídos no contrato de licitação, ao custo de R$ 219.571,00.

Porém, em dezembro, sob o argumento de “restabelecer o equilíbrio econômico e financeiro” da obra, foi autorizada pela Secretaria Estadual de Esporte e Turismo a liberação de mais R$ 544.560,04 para a construtora. A promotoria informa que isso não poderia ter sido feito sem a abertura de novo processo licitatório e que, no fim das contas, a obra teve seu custo elevado em mais de 60%.

Em razão desse prejuízo, que coube aos cofres públicos, o MP-PR sustenta o pedido de ressarcimento contra todos os requeridos. Conforme destaca na ação: “(…) os réus (…) causaram lesão ao erário público, ensejando perda patrimonial por concorrer para a incorporação ao patrimônio particular de verbas públicas, dispensar indevidamente processo licitatório, ordenar a realização de despesa não autorizada em lei e liberar verba pública sem a estrita observância das normas pertinentes, bem como, atentaram contra os princípios da administração pública, violando os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade e lealdade às instituições, na medida em que praticaram ato visando fim proibido em lei e regulamento ou diverso daquele previsto na regra de competência”.


4 comentários

  1. Zé do Coco
    quarta-feira, 10 de setembro de 2008 – 18:46 hs

    Os esqueletos de gestões passadas estão chacoalhando nos armários…

  2. SARINHA OU SAFADINHA
    quarta-feira, 10 de setembro de 2008 – 21:22 hs

    ALÓ !! ALOOOOOOOOÓ !!!

    SERÁ QUE AS IRREGULARIEDADES NA COHAPAR TERÃO FIM ??

    É TANTA SACANAGEM, É TANTO PICARETA GANHANDO UMA NOTA PRETA QUE FALTA ESPAÇO PARA ENUMERAR TODO ESSE PESSOAL.
    E A COHAPAR VAI AFUNDADO : DESACREDITADA, ENDIVIDADA REDICULARIZADA, SUGADA, ESCRACHADA, DESMORALIZADA….
    CHEGA DE SUGAR A COHAPAR !!

    MINISTÉRIO PÚBLICO SALVE A COHAPAR !!!!

  3. TUCO
    quarta-feira, 10 de setembro de 2008 – 21:28 hs

    ROSSETIM, seja homem, bote ordem na casa.
    Mande essa turma embora, reestruture a Cohapar, profissionalize esta Cia, não seja mais um a passar e nada fazer.

    Mostre sua competência, se é que você tenha.

  4. Antonio C
    quinta-feira, 11 de setembro de 2008 – 11:56 hs

    E até onde sei o Chefe da Casa Civil que assinou o Contrato e a Ordem de Serviço era o Rafael Valdomiro Rechuchudo Greca de Macedo…. ele estão aprontando juntos a muito tempo… q coisa

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*