Stephanes e Carlos Minc, às turras | Fábio Campana

Stephanes e Carlos Minc, às turras

Azedou. O ministro Reinhold Stephanes, da Agricultura, fez duras críticas ao ministro Carlos Minc, do Meio Ambiente, em reunião com senadores e dirigentes da Confederação da Agricultura.

— O Minc levou o presidente a assinar um decreto sem ter a menor idéia do impacto que isso terá — disse Stephanes, sobre o decreto que proíbe a produção em encostas com mais de 45 graus de inclinação.

O ministro relatou que 70% do território brasileiro tem algum tipo de restrição ao seu uso para agropecuária, e concluiu: “não devemos temer a extinção das florestas, mas temer a extinção da área agricultável do Brasil.”


2 comentários

  1. jango
    quinta-feira, 28 de agosto de 2008 – 15:33 hs

    Os excessos, em qualquer dos lados, são indesejáveis. Nada constróem. Mais uma vez quer se tratar “encostas de 45% de inclinação” de uma única e mesma forma, num país de território e diversidade continental. Um morro na Amazônia é fisicamente diferente de outro no Nordeste ou no Sul. E mais: como se não existisse terra suficiente e ainda não utilizada neste imenso país para agricultura. Não, implica-se com a inclinação das encostas como impeditivas do desenvolvimento. Talvez fosse melhor que o Ministro dissesse de quem pertencem essas encostas. Foi com tal argumento que modificaram a utilização das áreas de preservação permanente e de reserva legal. Dois ou três figurões, com trânsito no governo, modificaram o Código Florestal para todo o Brasil. Ocorre que antes não cumpriam a lei (e também a autoridade pública não se impunha) e agora continuam não cumprindo. O Código Florestal é o exemplo extremo de lei que nunca foi cumprida. Alguma dúvida do que representa o desmatamento florestal no Brasil ? Parafraseando François-René de Chateaubriand, os Ministros passam e os desertos os seguem.

  2. CLOVIS PENA
    quinta-feira, 28 de agosto de 2008 – 18:09 hs

    No caso falhou mais a Casa Civil que levou o termo final para Lula assinar sem consultar as demais áreas envolvidas. A Ministra Dilma está com a palavra.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*