Romaria no Interior do Paraná denuncia ação de milícias armadas | Fábio Campana

Romaria no Interior do Paraná denuncia ação de milícias armadas

De Osmar Nunes, em reportagem para a Gazeta do Povo:

A 23ª Romaria da Terra, realizada neste domingo (17) em dois assentamentos de Querëncia do Norte, região Noroeste, foi marcada por apresentações pedindo o fim da impunidade nos crimes contra sem-terra, maior rapidez na reforma agrária e discursos denunciando a ação de milícias armadas no Paraná. Entre uma atividade e outra, um verso era entoado por todos: “O clamor de justiça está no ar”.

O coordenador do Movimento dos Sem-Terra (MST) na região do evento, Pedro Faustino, disse que a impunidade favorece as agressões aos trabalhadores. Ele afirmou que pistoleiros estão tentando expulsar a tiros as mais de 200 famílias que ocupam, desde o ano passado, a fazenda Videira, entre Guairaçá e Terra Rica. “Os tiros são constantes e o clima é de medo. A situação prenuncia mais um tragédia, se a polícia não agir”.

Continue lendo a reportagem no site da Gazeta do Povo.


Um comentário

  1. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 18 de agosto de 2008 – 4:39 hs

    Concordo plenamente, a impuninidade aumenta a criminalidade.
    Principalmente a falta de punição para os bagunceiros e invasores do MST e outros.
    Só aqui no paraíso é que o desforço possessório é encarado como crime. Experimente invadir uma fazenda nos EUA . Leva bala mesmo.
    Não carece nem do judiciário determinar a reintegração na posse.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*