Ponta Grossa comemora devolução do curso de Medicina | Fábio Campana

Ponta Grossa comemora devolução do curso de Medicina

“O dia de hoje faz justiça à Ponta Grosa, com o anúncio da devolução do curso de Medicina à Universidade Estadual da cidade”. A declaração é do deputado Plauto Miró Guimarães, do DEM.

O anúncio oficial ocorreu na escolinha das terças, cinco anos e dois meses depois que o governador Requião decidiu fechar o curso por retaliação política contra Jaime Lerner, Plauto Miró e a própria cidade de Ponta grossa.


Em seu pronunciamento, Plauto fez questão de relembrar todo o histórico de implantação do curso. “Em 2001, após uma grande mobilização política de representantes de Ponta Grossa, o governador Jaime Lerner autorizou a implantação do curso de Medicina, que já tinha sido criado na década de 60 pelo então governador Paulo Pimentel”.

O deputado também destacou que o ex-governador Lerner autorizou a UEPG a fazer estudo de viabilidade técnica na época, que também já expressava a intenção da cidade em contar com a construção de um hospital universitário ou a formalização de convênios com os demais hospitais existentes na cidade de Ponta Grossa, proporcionando, assim, a existência de um hospital universitário – imprescindível para o funcionamento do curso.

“Feito isto, o governador autorizou a construção do bloco de Medicina no campus da UEPG, dotado de salas, laboratórios e biblioteca, e ao mesmo tempo autorizou a aquisição de equipamentos para os laboratórios e a contratação de professores”, argumentou, lembrando que o vestibular foi realizado em julho de 2002, com a presença de mais de 100 alunos por vaga.

“No ano seguinte, em fevereiro de 2003, os alunos iniciaram as aulas da primeira turma de Medicina da UEPG, mas em maio de 2003, o governador eleito Roberto Requião, em um ato de retaliação política contra o ex-governador Jaime Lerner e esse parlamentar, fechou o curso”, explicou Plauto, acrescentando: “Ele fechou o curso sem dialogar com nenhum representante da Universidade, entidades da cidade ou representantes políticos de Ponta Grossa. Apenas alegava que o curso era um estelionato eleitoral e o Conselho Regional de Medicina (CRM), entre outras entidades do setor médico em âmbito estadual e federal, se manifestavam contra a criação de novos cursos no Brasil”.

Na época, os estudantes, sob pressão, tiveram que optar por estudar em faculdades de Medicina das cidades de Londrina, Maringá e Cascavel, sendo que muitos deles abandonaram o curso.

No passado, parlamentares e entidades representativas da cidade promoveram uma grande manifestação em frente ao Palácio Iguaçu para ouvir os motivos que levaram o governador a fechar o curso, mas ele fechou as portas do Palácio para Ponta Grosa. “Em cinco anos, o prejuízo para a Universidade e a cidade foi muito grande. Não fosse isso, já teríamos profissionais atuando nos hospitais públicos do estado e clínicas de saúde”.

Plauto ponderou ainda que a resposta ao governador Requião foi dada nas eleições de 2006, após anos de reivindicações e movimentos de protestos contra sua atitude insensível. “A população de Ponta Grossa impôs uma derrota ao governador nas urnas, dando 63% dos votos ao seu adversário, o senador Osmar Dias. Agora, ele está devolvendo o curso que tirou há cinco anos, e marcando o vestibular para janeiro de 2009”, disse.


5 comentários

  1. Vigilante do Portão
    terça-feira, 5 de agosto de 2008 – 19:19 hs

    Eu gosto de eleição em razão dessas coisas.
    Principalmente quando o candidato do governo está perdendo.
    Abrem o “saco de bondades”.
    Para Ponta Grossa, foi a reabertura do curso de Medicina;
    Para os professores foi o anúncio de um aumento de 10%, claro que só para o ano que vem, mas já é uma propaganda.
    omara que ele mantenha as promessas, mesmo que seus candidatos não ganhem as eleições.
    Aqui em Curitiba, o Moreira vai ser coadjuvante.

  2. Deco
    terça-feira, 5 de agosto de 2008 – 20:31 hs

    Então Requião volta atrás e dá razão ao Jaime Lerner!

  3. Nhengo
    terça-feira, 5 de agosto de 2008 – 20:44 hs

    o que a Associação Médica achou disso? em 2003 no episódio do fechamento eles ficaram do lado do desvairado, dizendo que havia muitos cursos de medicina e de baixa qualidade.

  4. Cristiane
    quinta-feira, 23 de julho de 2009 – 8:19 hs

    Amei isso … Prescisamos de pessoas assim para mudar o nosso PR ainda mais que quero muito mesmo fazer a faculdade de medicina é um sonho desde quando tinha uns 7 ou 8 anos. Agora com 11 anos tenho certeza é isso que quero para mim ! tenho notas boas, apenas tirei uma nota vermelha na quinta série, por motivos que não tenho nenhum, medo de falar, Fiz um comentário bobo que a minha professora não gostou e ai ela me ferrou com as notas (isso um semana antes de acabar o primeiro bimestre)
    – ” Ai professora agora poso até tirar uma nota vermelha, por que tenhoo certeza que eu passo direto ” Só que eu falei isso brincando, e ela levou a sério, fora esse deslize eu nunca mais tirei notas vermelhas, agora sabendo que terá essa uportunidade em Ponta Grossa, meu coração se enche de esperanças para salvar vidas !! Sou de Curitiba e apoio muito isto
    Um grande beijo e abraço no fundo do ♥ de vocês e sempre Deus elumine o seus caminhos para fazer melhoria no nosso Paraná

  5. Dani
    sábado, 31 de março de 2012 – 1:43 hs

    Gostaria de saber qual as datas do vestibular de medicina.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*