Rede de Colaboradores ajuda na apreensão de 275 pontos de LSD | Fábio Campana

Rede de Colaboradores ajuda na apreensão de 275 pontos de LSD

Na hora do almoço, a Polícia Federal apreendeu 275 pontos de LSD. Na entrada de Maringá. Cada ponto vale R$ 50,00 em festa rave. Ou seja, um total de R$ 13 mil.

Quem recebeu a denúncia sobre o traficante foi a Secretaria Antidrogas de Curitiba através da Rede de Colaboradores que repassou a informação à Polícia Federal que entrou em ação.

A Rede de Colaboradores foi organizada pelo secretário Fernando Francischini para receber informações sobre o tráfico. Começa a demonstrar que funciona e que será importante instrumento de combate ao tráfico. O nome do traficante não é divulgado por razões da investigação.


8 comentários

  1. Alice K.
    segunda-feira, 18 de agosto de 2008 – 17:09 hs

    Nem adianta se animar com essa secretaria anti-drogas dessas. Logo algum parente do Requião assume a prefeitura num futuro próximo e faz besteira com o trabalho dos outros. Ou muda a secretaria de nome.

  2. Lucas Pelizaro
    segunda-feira, 18 de agosto de 2008 – 17:52 hs

    Nada pior do que o poder público incentivar a população a caguetar. No nazismo e no comunismo era assim.

  3. humberto
    segunda-feira, 18 de agosto de 2008 – 18:06 hs

    Esse comentário foi uma piada, né Lucas? Você não está realmente comparando os regimes onde eram denunciadas pessoas de crenças políticas divergentes do governo com a denúncia de traficantes de drogas, certo?

    Porque se você estiver comparando alguém que cagueta o vizinho por ser judeu ou homossexual com alguém que denuncia um traficante, você é muito ignorante.

    E ainda por cima, se estivesse falando sério uma barbaridade dessas, estaria pisando na memória daqueles que foram vítimas desses regimes criminosos.

    Traficante tem que ser denunciado, ir pra cadeia. Isso é nazismo? Vai estudar, pra não ser tão estúpido.

  4. Maria Bueno
    segunda-feira, 18 de agosto de 2008 – 18:12 hs

    Nada melhor do que dar oportunidade à população de auxiliar o combate ao narcotráfico usando meios lícitos e sigilosos e sem exposição. Afinal de contas o povo já não sabe mais em quem confiar e se a polícia não vai sumir com a informação. A Secretaria Antidrogas, ao meu ver, esta desenvolvendo um trabalho sério e competente, e que podemos confiar. Quem tem medo de “caguete” é bandido, não é?

  5. O Povo
    segunda-feira, 18 de agosto de 2008 – 18:52 hs

    Mais uma vêz damos os parabéns ao secretário Franscischini, por seu excelente trabalho junto a Secretaria Especial Antidrogas da Prefeitura de Curitiba, os traficantes tem que pagarem muito caro pela destruição das famílias paranaenses e brasileiras!

  6. Fabrício
    segunda-feira, 18 de agosto de 2008 – 21:13 hs

    Parabéns a esse competente Delegado da Polícia Federal, hoje a disposição da Prefeitura Municipal de Curitiba. É bom lembrar que ele foi moldado na Polícia Militar do Paraná, onde foi Oficial. Muitos Procurados de Justiça, Desembargadores, Empresários de renome, honestos, brilhantes e destemidos são oriundos da PM Paranaense. Aproveito a oportunidade para cumprimentar o Des. Miguel Kfouri Neto, Campograndense de nascimento e aniversáriante da semana (22/08), hoje presidente da Associação dos Magistrados do Paraná, também, oriundo da Academia Militar do Guatupê. Sou orgulhoso de ter uma PM desse quilate, que aniversáriou dia 10 de agosto. Bravo!!!

  7. gilmar
    segunda-feira, 18 de agosto de 2008 – 21:42 hs

    concordo com o cara, “humberto”. o estado não pode pedir à sociedade que faça o papel dele, estado. hoje é o traficante, amanhã é quem comete “calúnia” e “injúria” contra o administrador público. crime por crime… devemos todos agora “ajudar o estado”? tô fora, eu pago impostos pra que ele faça o serviço. e voto, e cobro. Isso é DEMOCRACIA, meu caro, o resto é DEMAGOGIA. é dar poderes a um mané qualquer da esquina, que pode te entregar se não for com a tua cara. não vivemos em um estado de barbárie, por mais que você odeie os criminosos.

  8. Lelo
    segunda-feira, 18 de agosto de 2008 – 22:04 hs

    Depois que esse delegado Francischini assumiu a Secretaria Especial para combater as drogas qual foi a redução da criminalidade? Até agora nada de concreto e os índices continuam os mesmos…Será que a culpa é do Delazari?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*