Palácio estuda salvação dos nepotes de Requião | Fábio Campana

Palácio estuda salvação dos nepotes de Requião

Os juristas palacianos estudam a maneira de salvar as sinecuras de parentes do governador Requião. A decisão do STF abriu brecha. Basta renomear irmão, irmã, mulher, sobrinho, primo na condição de secretários para que continuem a usufruir de benesses, prebendas, bons salários, cartões corporativos e coisas tais que só mesmo na ilha da fantasia do governo estadual.


8 comentários

  1. João Carlos Gouveia
    quinta-feira, 21 de agosto de 2008 – 10:55 hs

    O Arrudinha vai assumir o lugar do Greca?

  2. jango
    quinta-feira, 21 de agosto de 2008 – 11:33 hs

    Esta diferenciação entre agente político e agente público é pretextuosa, mera diferenciação doutrinária. Não decorre de lei expressa até onde pudemos averiguar. Então os princípios da administração pública (legalidade, impessoalidade e moralidade) não valem quando se trata de agente político ? Agente político, como são os secretários de estado, são espécie do gênero agente público. Em que – perguntamos – a moralidade, a legalidade e a impessoalidade de seus atos intereferem com a sua atuação ? Antes entendemos que por estes princípios devem ser justificadas, ou estaremos invertendo valores sem fundamento. Só por pretexto e pretexto cada um tem o seu, mormente os nepotistas juramentados por este Brasil afora, Paraná na dianteira. Bah !

  3. rodrigo
    quinta-feira, 21 de agosto de 2008 – 12:03 hs

    nao teriam a cara de pau … mesmo porque é possivel que sumula do STF sequer albergue essa situação….

  4. gilmar
    quinta-feira, 21 de agosto de 2008 – 12:54 hs

    sim, é pra isso que eu pago impostos.

  5. Arrelia
    quinta-feira, 21 de agosto de 2008 – 13:24 hs

    No Paraná não dará em nada. Viva O Rei(executivo, Judiciário e Legislativo) acima do bem e do mal.

  6. Antonio W
    quinta-feira, 21 de agosto de 2008 – 13:32 hs

    Fabio
    Alguém em algum lugar precisa salvar nosso país dos tentáculos da corrupção e do nepotismo. Como pôde o STF abençoar a prática do nepotismo permitindo a indicação de parentes para os cargos de ministros e secretarios? Foi-se excelente oportunidade de acabar com esse câncer no Brasil. A sociedade deveria revoltar-se com isso! Onde estão as instituições sociais?

  7. BARTOLOMEU
    quinta-feira, 21 de agosto de 2008 – 13:44 hs

    Mais é claro meu amigo João Carlos, já esta tudo combinado, mas o Arruda não assume agora não!!! vai esperar as eleições, ora pois, o Greca volta para a assembléia no lugar do Caito, este entra no lugar do Iatauro que assume a comunicação e, ai sim, a presidência da Cohapar fica livre para o Arruda, como previsto!!! Só tem um porém, a Cohapar é uma empresa de economia mista, e não uma pasta de secretariado, apesar de receber o nome de Secretaria Especial da Política Habitacional. Não sei se ele poderá assumir uma autarquia!!! Pelo que esta escrito, no texto do Fabio Campana, só secretários de estados podem ter grau de parentesco. Sinceramente não sei o que dizer, mas sei que a idéia do Requião é colocar o Arruda na presidência da Cohapar logo ao final do pleito.

  8. Mano da Vila
    sexta-feira, 22 de agosto de 2008 – 0:29 hs

    Arruda não pode assumir porque a Companhia não é secretaria de estado. Alteração efetuada pelo próprio Requião Chaves no 1º mandato. Não poderá nem ficar no carguinho presente do titio conforme a súmula e o já previsto na própria Constituição. A questão é como retirar a caterva dos cargos, já que está não vai se coçar para sair. Os juristas requianistas podem estudar o quanto quiserem para safar a tchurma, mas o que prevalecerá sempre vai ser mais uma vez o governador Requião Chaves despeitando as leis, a Constituição, a Ética, a Moral, os bons costumes ……………

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*