Olha só o que dá posar de artista | Fábio Campana

Olha só o que dá posar de artista

Viu só o que dá posar de artista? A polícia flagrou no documentário sobre moradores de rua da TV PT uma figura que há muito estava procurando. Ora, pois, Antony José de Andrade que lá está como morador de rua na verdade se chama Airton José de Andrade e já está preso na Colônia Penal Agrícola de Piraquara.

Apesar de no vídeo se dizer um inofensivo morador de rua, Aírton tem uma ficha com 6 processos, um na Vara Criminal de Londrina e cinco na Vara Criminal de Curitiba. Os processos são por tráfico de drogas, furto, roubo e lesões corporais.

Veja o vídeo abaixo:


Airton está na Colônia Penal Agrícola, onde cumpre pena por roubo. Ele foi condenado a prisão por 5 anos e quatro meses. Cumpriu um ano e 11 meses e fugiu, em fevereiro de 2008. Airton foi recapturado em junho último e tem mais 3 anos e quatro meses para cumprir.

Em 1991, Airton cumpriu pena de 10 meses por furto. Em 1992, foi preso em Londrina por tráfico de drogas e recebeu pena de 3 anos e 2 meses, cumprida até 1995. No final de 1995, foi preso em Curitiba por roubo. Foi condenado a 1 ano e 10 meses, mas fugiu da cadeia após 3 meses. Foi recapturado em 1997 e cumpriu a pena. Em 2006, foi preso por roubo novamente, recebendo pena de 5 anos e quatro meses, esta pena ele está cumprindo agora, após fugir e ter sido recapturado em junho.


8 comentários

  1. pedro
    quarta-feira, 6 de agosto de 2008 – 11:33 hs

    Então pintou o primeiro Ferreirinha desta campanha.

  2. Cohapar
    quarta-feira, 6 de agosto de 2008 – 14:06 hs

    Gleisi a casa caiu!
    Fuja enquanto há tempo!

  3. PT Curitiba
    quarta-feira, 6 de agosto de 2008 – 14:35 hs

    Nota sobre noticia “Preso vira morador de rua na TV PT”

    Vídeo da TV PT revela que há problemas em censo e identificação dos moradores de rua realizado pela Prefeitura

    Causou-nos surpresa a notícia que o morador de rua entrevistado no vídeo que produzimos para TV PT, trata-se de um foragido da polícia. Porém, essa descoberta nos atenta para outro fato bastante importante: o não cadastramento e identificação dos moradores de rua por parte da Prefeitura Municipal de Curitiba. As entrevistas realizadas pela TV PT foram com moradores de rua que se reúnem junto a entidades filantrópicas, todas as terças feiras à noite na Praça Tiradentes. A elaboração deste vídeo pautou-se na divulgação em abril deste ano do censo realizado pelo governo federal, que coloca Curitiba em 3º lugar, dentre as 71 cidades pesquisadas, com maior número de pessoas em situação de rua. O ranking foi calculado levando-se em conta a população total do município e a proporção dos que vivem na rua. Segundo o censo, o Brasil tem atualmente 32 mil moradores de rua. Mais de 2,7 mil deles estão em Curitiba.

    Logo que a imprensa paranaense divulgou os resultados do censo, o diretor de proteção social especial da FAS, Adriano Guzzoni, contestou os dados do Ministério do Desnevolvimento Social e explicou que no ano passado, mais precisamente em agosto, a prefeitura fez um cadastro de todos os moradores de rua e chegou a um total de 1.095 pessoas que têm a rua como sua residência. No cadastro também foi feito um levantamento sobre quem são estes indivíduos, de onde vieram e porque estão na atual situação.

    André Passos, presidente do PT de Curitiba questiona a eficácia do censo realizado pela Prefeitura. “Nós realizamos um trabalho de cunho jornalístico, não era censo. Mas a Prefeitura que tem como responsabilidade não o fez porque o vídeo acabou por revelar que entre os moradores de rua havia um foragido da polícia. Portanto, não identificado.”

    A TV PT é uma iniciativa do diretório municipal do PT Curitiba que com a contribuição de jovens profissionais começou a pautar além de entrevistas com militantes e dirigentes, também temáticas sobre a Cidade. Os vídeos estão no site http://www.ptcuritiba.org.br

    Assessoria de Imprensa PT Curitiba

  4. quarta-feira, 6 de agosto de 2008 – 16:15 hs

    Sem dúvida não há nenhum controle sobre a população de rua que vive atualmente em Curitiba e sem dúvida isso gera problemas que a prefeitura desconhece, ou não quer conhecer. Precisou o PT fazer um documentário-reportagem para que o foragido fosse identificado.

    Bom, agora já temos a versão sem o “Astro Inóspito” no site do PT. Confiram: http://www.ptcuritiba.org.br

  5. Jorjão
    quarta-feira, 6 de agosto de 2008 – 16:20 hs

    Essa nota acima parece-nos que esclarece o fato. No entanto fica-nos a dúvida? A prefeitura tem ou não o cadastro dessa pobre gente que vive nas ruas (homeless)? Se tem por que não os tira de lá e lhes dá um tratamento dígno, isto é, a atenção que todo ser humano merece? Essa gente, por uma série de motivos, foi morar nas ruas e dependem de tudo para reorganizar suas vidas, ou não? Será que não merecem uma nova chance? Gente, vamos fazer política, mas com mais humanidade.

  6. Rafael
    quarta-feira, 6 de agosto de 2008 – 16:21 hs

    O cara não tinha fugido da Colônia Penal? Fala ai PT, a PM do Paraná, comandada por esse exemplo de governador – o qual vocês apóiam e até votam no irmão pro TC – tava onde essas horas? Claro… A culpa só pode ser do Beto… Isso é o que eu chamo de racio-símio!

  7. quarta-feira, 6 de agosto de 2008 – 16:49 hs

    Rafael, esse não é foco da discussão e ninguém está sendo acusado de nada. O documentário simplesmente retrata a dura realidade dos moradores de rua de Curitiba e o descaso da FAS para com a situação, que nem um cadastro dos moradores possuí. São fatos, e contra fatos, não há argumentos. Agora, se você considera que expor esses fatos é uma agressão direta ao Beto Richa, que bom que a carapuça serviu, porque eu pessoalmente também acho.

    Abraços, e saudações fraternas de quem se orgulha da cidade onde mora e quer ver Curitiba avançar.

  8. Lucas Pelizaro
    quarta-feira, 6 de agosto de 2008 – 22:53 hs

    Mas ele não pode ser secretário?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*