MEC corta 54% das vagas em cursos de direito mal avaliados no Enade | Fábio Campana

MEC corta 54% das vagas em cursos de direito mal avaliados no Enade

O Ministério da Educação cortou 24.380 vagas de um total de 45.042 de 81 cursos de direito de faculdades que haviam sido notificadas por registrarem conceitos inferiores a três no Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes) e no IDD (Indicador de Diferença entre os Desempenhos). O corte representa 54% das vagas oferecidas nessas instituições.

Os cursos também registravam baixo índice de aprovação de estudantes nos exames da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), segundo o Ministério.


Um comentário

  1. jango
    quinta-feira, 28 de agosto de 2008 – 15:15 hs

    Isto é o sintoma de uns trinta (talvez mais) anos de péssimo ensino jurídico, com as exceções de praxe conhecidas. O que precisa, agora, é colocar, um mínimo, de 5 anos (comprovados) de advocacia militante nos tribunais como condicionante a qualqer concurso para cargos de carreira jurídica no Ministério Público, Defensoria, Judiciário e Poder Executivo. Não basta sair da faculdade, cheio de livros e pós-graduações, mas sem experiência do que é a problemática jurídica do cidadão ou das empresas. Nenhuma destas carreiras jurídicas tem finalidade em si própria – ainda que vejamos exemplos contundentes disso na atuação equivocada ou inoperância destes agentes públicos. Estas carreiras se destinam a atender o interesse público do acesso à Justiça e dar efetividade aos preceitos legais de conduta do povo. Temos de dar este passo, mas ele não será dado dentro destas instituições. Precisa dizer por que ?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*