Lula criará supersalários por medida provisória | Fábio Campana

Lula criará supersalários por medida provisória

Deu no Josias de Souza, da Folha Online:

Lula está na bica de editar duas novas medidas provisórias. Aumentam salários de servidores. Uma delas tonifica os vencimentos da chamada elite do Estado. Funcionários da ativa e aposentados.

Gente que trabalha em repartições como Banco Central, Receita, Superintendência de Seguros Privados, Comissão de Valores Mobiliários, Itamaraty e um enorme etc. Deve-se ao repórter Luciano Pires a revelação do tamanho e do custo da empreitada.

Estima-se que os reajustes serão borrifados nos contracheques de 91.308 servidores. Ativos e aposentados. Vai sorver das arcas do Tesouro R$ 7,2 bilhões por ano. Os aumentos serão fatiados ao longo dos próximos anos. Para saber mais, clique no


Uma maneira de diluir o impacto sobre o caixa. Ficaria assim: Em 2008, R$ 1,9 bilhão; em 2009, R$ 4,729 bilhões; em 2010, R$ 6,6 bilhões; em 2011, ano da posse do sucessor de Lul, R$ 7,211 bilhões. Com os aumentos, os salários da nata do funcionalismo vão roçar a maior remuneração paga na esfera pública.

Por exemplo: auditores da Receita receberão, em 2010, R$ 19.451 mensais. Uma cifra que se aproxima dos R$ 24,5 mil pagos aos ministros do STF, hoje os donos dos conracheques mais gordos.

Para justificar os reajustes, o governo alega que precisa oferecer atrativos à mão-de-obra qualificada. “A remuneração deve ter um patamar atrativo”, anota a exposição de motivos da Medida provisória. Um patamar “que promova a retenção de bons profissionais nas respectivas instituições e possibilite o recrutamento de servidores bem capacitados.”

Não são argumentos negligenciáveis. O problema é de oportunidade. A providência chega no instante em que, em meio a um ciclo de alta dos juros, a União é instada a passar suas despesas na faca. Além da MP dos supersalários, deve ser editada uma outra, contemplando categorias de nível hierárquico mais modesto. Juntas, as duas medidas provisórias devem contemplar algo como 300 mil servidores de 54 repartições públicas.

Uma vez editadas, as MPs entram em vigor instantaneamente. Mas precisam ser referendadas pelo Congresso. A perspectiva é de apuração. Mas vai haver barulho. A oposição enxerga na generosidade de Lula para com os servidores uma espécie de bomba relógio. Que vai estourar no colo do próximo governo.


3 comentários

  1. nani gois
    sábado, 9 de agosto de 2008 – 11:29 hs

    coitados dos professores ,sao os que formam as pessoa mais qualificadas deste pais ,e sao poucas remuneradas ,por que desse previlegio?so porque sao arrecardadores.esse pais e da injustiça mesmo.Obs nao sou professor e nao tenho parentes ok.

  2. João
    sábado, 9 de agosto de 2008 – 22:46 hs

    É piada?

  3. Marcio
    quinta-feira, 14 de agosto de 2008 – 12:11 hs

    Esta notícia não ganhou na mídia a importância que deveria. Todos queremos receber melhores salários. Quando alguns ganham, nos achamos no direito de receber também. Vira uma bola de neve. E quem paga tudo isso? Quanto a receita e a policia federal ganharem mais.. é justificável. Porém, entram na fila as agencias reguladoras, o poder judiciário, os militares, os professores, os servidores de nível estadual, os de nível municipal.. e por aí vai. Não vai parar nos “poucos” 7 bilhões. Quem paga? Talvez uma aliquota de 50% no imposto de renda resolva. O fato é que a economia possui seus mecanismos para equilibrar as contas. Quem viver verá.
    []s.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*