Em Beltrão, menino vive com caco de vidro no pé | Fábio Campana

Em Beltrão, menino vive com caco de vidro no pé

A família de Juliana Gonçalves, 30 anos, moradora de Francisco Beltrão, vive um drama que pode se transformar na maior arma da oposição ao candidato do atual prefeito da cidade, Vilmar Cordasso, do PP. Vilmar não tenta a reeleição, pois já está no cargo há oito anos. Porém, tenta emplacar a candidatura de seu vice, Wilmar Reichenbach, do PSDB. Os candidatos de oposição à dupla são Eduardo Scirea, do PT, e Antonio Cantelmo Neto, do PMDB.

Maicon, filho de Juliana, está com 11 anos, há seis meses tem um caco de vidro encravado no pé direito e não consegue agendar uma cirurgia para sua retirada. A operação se tornou um pesadelo. Maicon está vivendo à base de antibióticos para evitar que uma inflamação agrave o problema.

Agora, pasmem: um dos candidatos à oposição, aquele apoiado por Requião, Antonio Cantelmo Neto, foi secretário de saúde do município nos últimos oito anos e só se licenciou para concorrer à Prefeitura.

Juliana, que está afastada do trabalho depois que os médicos diagnosticaram trombose em sua perna esquerda, diz que a família está sobrevivendo com o dinheiro do Bolsa Família, R$ 122,00, pago para os quatro filhos freqüentarem a escola.

Apesar de realizar duas cirurgias, o raio X de 11 de junho comprovou a existência de cacos de vidros no pé de Maicon. O menino se machucou enquanto jogava bola em um terreno baldio próximo de sua casa. “Na hora quando ele se cortou levamos no 24 Horas, onde os profissionais tiraram um caco de vidro e fizeram os pontos. Passaram-se alguns dias e o menino continuou chorando e se queixando de dor. O exame de raio X confirmou que ainda tinham pedaços de vidros no pé dele, desde então nos empurram pra lá e pra cá sem resolver o problema”.


6 comentários

  1. Caco's
    sexta-feira, 29 de agosto de 2008 – 19:09 hs

    Essa situação em Beltrão não é diferente do que acontece em Curitiba, onde, de um lado, um grupão diz que tudo vai às mil maravilhas e, de outro, o povo sofre as agruras da péssima administração da saúde pública. Uns mascaram, outros morrem no posto de saúde ou ficam com caco de vidro 6 meses dentro do pé. Essa notícia saiu num semanário local e logo repercutiu na propaganda política do PT, que dá espaço pra mostrar isso. Pena que, como é ano eleitoral, a mulher vai continuar com sua trombose e o menino com o vidro no pé. Porque um lado não pode mais do que denunciar por enquanto e o outro, teve 4, 8 anos pra resolver esse tipo de problema e nada fez nem vai fazer!

  2. Ricardo
    sexta-feira, 29 de agosto de 2008 – 21:03 hs

    Fala a verdade, amigão.
    O Hospital Regional de Beltrão Continua em obras. Por hora, o melhor hospital da região é “administrado” por Alberto Pecoits, filho do grande Walter Alberto Pecoits, maior nome da saúde da era Lerner e padrinho político de quem? Euclides Scalco, coordenador geral da campanha de BETO RICHA.
    Acorda pra vida, Campana.

  3. Matheos Chomatas
    sexta-feira, 29 de agosto de 2008 – 22:30 hs

    Prezado Caco’s. Esta situação é diferente do que ocorre em Curitiba. Ninguém falou que a saúde de Curitiba não tem problemas, mas sim, apesar do financiamento insuficiente por parte do Governo Federal e Estadual (explicitado no caso denunciado de maneira indireta) tem atendido também o resto do Paraná. Se até o Governador Requião reconheceu que o Sistema de Saúde de Curitiba sofre pressão da população de outros municípios que congestiona os serviços de saúde e o Ministério da Saúde (Governo PT) e a ONU reconhece os serviços de Curitiba com prêmios, o próximo vai ser entregue em Paris na próxima semana, porque embaralhar a conversa? Parece desespero de militante.

  4. O Povo
    sexta-feira, 29 de agosto de 2008 – 22:56 hs

    Cade a Secretaria de Saúde do Estado do Paraná? Não há ninguém que possa atender e resolver está calamidade descrita desta criança paranaense pobre do interior do Estado? Cadê a Preferência pelos Pobres da Carta de Puebla? Há, é só discurso populista! A Preferência é só por Empregos para a Família Requião Melo e Silva? “Nepotista”. Tome vergonha na cara, mande o Secretario da Saúde resolver o caso e de um prazo de no máximo 12 horas para solucionar o caso!
    Meu desprezo, indignação e repúdio a este Governador mediocre, debochado e truculento que habita o Canguiri a nossas custas!

  5. Zé do Coco
    sábado, 30 de agosto de 2008 – 10:00 hs

    É, como dizia Chico Xavier, a semeadura é facultativa, mas a colheita é compulsória.
    Convém o povo não esquecer o que tem passado nas mãos da família Mello e Silva quando ele postular candidatura para senador…

  6. Eliana Zamadei
    quarta-feira, 17 de setembro de 2008 – 15:33 hs

    Esta na hora da população beltronense acordar para a vida .
    Chega do mesmos politicos mandarem aqui,.
    Esta na hora do municipio voltar a crescer de verdade, Rechembacvai apenas seguir o que o Vilmar ja implantou em Beltrão, o Neto como secretario de saude ñ conseguiu fazer os seus funcionarios trabalharem durante sua carga horaria tem alguns que permanecem em seus locais de serviço , apenas para cumprir horario mas ñ atendem a população ,e ficam no local de trabalho apenas p/ dizer que estão la.
    Em tão vamos acordar para Francisco Beltrão vamos mudar?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*