Paraná é 5º no ranking de homícidios por equívoco da polícia | Fábio Campana

Paraná é 5º no ranking de homícidios por equívoco da polícia

Em algo este governo passa a se destacar. O Paraná já o 5º estado brasileiro no ranking de homicídios por equívoco da polícia. No ranking proporcional, que leva em consideração o número de homicídios cometidos pela polícia em relação à população, já é o segundo. Só perde para o Espírito Santo, um dos estados mais violentos do país.

O homicídio de uma jovem de 20 anos, em Porto Amazonas, por policiais que se equivocaram na identificação de um carro que pretendiam abordar, lembra caso idêntico e recente em Balsa Nova.

O crescimento do número de erros é atribuído, por oficiais da corporação que não podem se identificar, a três fatores: 1) a incorporação de contingente sem preparo suficiente de recurtas que tiveram apenas três meses de treinamento; 2) a falta de PMs em número suficiente. Calcula-se em oito mil o déficit no contingente, o que tem levado ao stresse máximo os que estão na ativa; e 3) as condições de trabalho e de carreira que são cada vez mais precárias.

Leia mais no post abaixo “PM mata jovem por engano em rodovia do Paraná”.


3 comentários

  1. Abadia
    segunda-feira, 14 de julho de 2008 – 9:30 hs

    Calma! O mini-secretário está se esforçando e qualquer hora dessas atinge o primeiro lugar!

  2. HERANÇA DA DITADURA!
    segunda-feira, 14 de julho de 2008 – 10:07 hs

    É um absurdo a visão de mundo da polícia, que ainda se considera um “corpo especial” dentro da sociedade e não uma instituição a serviço da mesma, assim se tornando um corpo estranho.

    Para quem não leu eu recomendo o livro “Rota 66” do Caco Barcellos sobre a atuação deste “corpo especial” da polícia em SP e a sua atuação assassina na década de 70, o que não difere muito do que todo dia ainda vemos estampado na mídia.

    A maioria dos que eram assassinados pela Rota não tinham ficha criminal, mas eram pobres e em sua maioria absoluta negros, tal qual vemos hoje acontecer no Rio nos assassintso cometidos pelo BOPE, o que em sua ação não difere em nada da repressão desencadeada pela políocia daqui, RONE, etc..

    Com as migrações forçadas para os grandes centros na década de 70, mais de 20 milhões de pessoas, pela entrada do capitalismo em sua forma mais selvagem no campo a ditadura, cujo comando das polícias militares estavam nas mãos do exército, desencadeou uma onda de repressão e intimidação contra estas populações que estavam vivendo na miserabilidade total.

    É triste ver como este quadro repressivo contra os pobres continua, como se mais violência por parte dos governos gerasse equilíbrio social.

  3. João Paulo Gouveia
    segunda-feira, 14 de julho de 2008 – 10:49 hs

    O mini-secretário de segurança só está há cinco anos no cargo. Calma, ele vai conseguir piorar..

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*