No Canguiri, Requião prepara festa para Mauricio e Romanelli | Fábio Campana

No Canguiri, Requião prepara festa para Mauricio e Romanelli

Além de derrubar a liminar que impedia o caçula Maurício de exercer o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas, outra notícia alegrou a família Requião. Luíz Cláudio Romanelli passou no exame da OAB.

Agora, o deputado estadual Luiz Claudio Romanelli, do PMDB, aprovado no Exame da OAB do Paraná, poderá defender suas teses e bandeiras em juízo. Especialmente contra o pedágio e contra a incapacidade técnica de empreiteiras para construir usinas.

Assim caminha a humanidade.


15 comentários

  1. Luiz Maussi
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 14:22 hs

    Nós do Movimento de Solidariedade a luta do deputado Luiz Claudio Romanelli(PMDB) vamos estar divulgando o manifesto de Romanelli, anexo no blog, contra a empreiteira de Joel Malucelli, para o povo do Paraná tomar conhecimento do verdadeiro escandalo que envolve a construção da Usina de Maua.

  2. Jose Carlos
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 14:26 hs

    Alvíssaras!!! Quem sabe este novo luminar do Direito, que desponta, possa reverter as expectativas das causas furadas nas quais Mello e Silva enfiou o Estado, pois em cada 10 ações, tem levado chumbo em 9…

  3. Al Pacino
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 14:36 hs

    O legítimo advogado do coisa-ruim!

  4. bimbo
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 14:49 hs

    Aonde foi a prova, no Canguiri ?????

  5. Ambrosio
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 14:54 hs

    EU FALEI QUE NÓS IRIAMOS VENCER… E O QUE TORNA NOSSA VITÓRIA AINDA MAIS SABOROSA!

  6. fred
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 14:56 hs

    esse movimento de solidariedade ao romanelli eu sei de onde partiu, do sexto andar da cohapar, onde as taniguchas se escondem…

  7. Luiz Maussi
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 15:29 hs

    Nós do movimento”Romanelli tem razão” pedimos para voce ler o manifesto que ele divulgou para voce ver se ele não tem razão ou não:

    PORQUE O EMPRESÁRIO JOEL MALUCELLI, ATRAVÉS DAS SUAS RÁDIOS CBN E BANDNEWS, MOVE UMA CAMPANHA DIFAMATÓRIA CONTRA MIM

    Crônica de um tempo: ao exigir Concorrência Pública para as obras milionárias de construção da Usina Hidrelétrica de Mauá, passei a ser alvo do Grupo Econômico J. Malucelli, beneficiário de dispensa de licitação, que responde com violência contra os direitos fundamentais da cidadania.

    1. Em 10.10.2006, o Consórcio Energético Cruzeiro do Sul, integrado pela Copel Geração S/A (empresa-líder) e ELETROSUL Centrais Elétricas S/A, participou de leilão promovido pela ANEEL e obteve a concessão para a implantação, operação e exploração da Usina Hidrelétrica Mauá – UHE MAUÁ/EPC, com potência prevista de 360 MW (Leilão nº 004/2006-ANEEL).

    2. A Usina Hidrelétrica Mauá, quando concluída, estará entre as maiores obras públicas de toda a história administrativa do Estado do Paraná. Os valores envolvidos no empreendimento alcançam cifras milionárias.

    3. Ocorre que resolveu o Consórcio COPEL/ELETROSUL simplesmente terceirizar a execução das obras e, mais grave, terceirizar – segundo informações fidedignas de técnicos da COPEL – com dispensa de licitação na qual desatendidas formalidades essenciais.

    Daí, no exercício do direito constitucional de petição que defere a Constituição a todos os cidadãos e no cumprimento dos deveres decorrentes da condição de deputado estadual eleito por mais de 82.000 paranaenses, tenha ingressado na última sexta-feira, 24.11.2006, com representações administrativas pela nulidade de todos os pré-contratos e ajustes conexos prévios ou posteriores firmados entre, de um lado, COPEL/ELETROSUL e, de outro, Construtora J. Malucelli (obras civis), VLB (projetos), GEHI e SADEFEM (equipamentos).

    4. O motivo das representações é muito simples: há evidências sérias, graves e convergentes de desatendimento a formalidades legais no procedimento de dispensa de licitação que conduziu à milionária pré-contratação de referidas empresas.

    5. Por ora, as representações formuladas concentram-se num fato muito simples: a Usina Hidrelétrica de Mauá apresenta potência prevista de 360 MW; a Lei de Concessões, a Lei de Licitações, o Edital de Leilão da ANEEL e as Instruções Técnicas COPEL/ELETROSUL exigem dos executores do empreendimento experiência técnica na construção de obra equivalente em características, quantidades e prazos.

    No entanto, a empresa J. Malucelli apresentou tão-somente certidão de acervo técnico referente à construção da Usina Hidrelétrica de Espora com potência instalada de apenas 32 MW, isto é, potência inferior a 10% dos 360 MW da Usina Mauá.

    Mais ainda: segundo os técnicos da COPEL, a J. Malucelli não conta nem demonstra experiência na execução de obras de porte similar àquele objeto do leilão e do pré-contrato, que compreende tecnologia específica e produção mensal da ordem de 70.000 metros cúbicos, e bem assim não conta nem demonstra experiência em túnel de adução.

    6. E por igual simples é o objetivo final e último das representações: o que se pede nas representações é que, uma vez anulados os ajustes decorrentes de tal dispensa de licitação, promovam a COPEL e a ELETROSUL uma Concorrência Pública destinada à obtenção de melhores preços e de maior segurança técnica para a implantação da Usina Hidrelétrica de Mauá.

    7. Surpreende porém, que as coisas não seriam assim tão simples para os grupos econômicos beneficiários da dispensa de licitação. E tanto não eram simples que, já no sábado, 25.11.2006, isto é, no primeiro dia seguinte ao ingresso das representações, desencadeou o Grupo J. Malucelli uma conspiração destinada a proteger seus interesses, isso mediante uso dos já conhecidos mecanismos de cooptação, intimidação e violência.

    8. Inscreve-se nesse contexto de conspiração a mobilização, pelo Grupo J. Malucelli, das duas emissoras de rádio sob seu direto controle (CBN e BANDNEWS) para, a cada meia hora ou hora, repetir como se notícia fosse a existência de uma ação cível e uma ação penal movidas contra mim pelo Ministério Público, ambas relacionadas a uma mesma acusação, como tal a de que teria concorrido para uma alegada contratação irregular de servidores pela Assembléia Legislativa.

    Em relação a tais ações, e em exclusivo respeito à opinião pública, incumbe-me informar o seguinte: 1º) a ação penal de que fala o Grupo Econômico J. Malucelli não foi sequer recebida pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, de modo que, tecnicamente, sequer estou sendo processado; 2º) antes de instaurar-se o processo penal, promoverá o Tribunal juízo de admissibilidade da ação, quando, inclusive, poderá liminarmente rejeitar a denúncia ministerial; 3º) as contratações afirmadas irregulares ocorreram em período no qual nem mais exercia o mandato de deputado estadual; 4º) nas ações em geral, os demandados são sempre destinatários e titulares do direito constitucional de presunção de inocência.

    9. Mais, ainda: considerando que figuro na qualidade de autor de referidas representações perante a COPEL e a ELETROSUL, levadas a protocolo na última sexta-feira, 24.11.2006, da qual em tese podem resultar prejuízos aos interesses de pessoas naturais controladoras do Grupo J. Malucelli, certo está que a veiculação de notícias gravosas ao representante logo após o protocolo de referidas representações bem caracteriza – para além de crime em tese contra a honra do representante – possível uso indevido de concessão de serviço público de rádio e, ainda mais grave, possível coação contra pessoa que funciona em processo instaurado perante a Administração.

    10. Pois lhes digo: o Sr. Joel Malucelli não venceu concorrência nenhuma, mas sim foi beneficiado em procedimento de dispensa de licitação; o Sr. Joel Malucelli já é titular de diversos contratos governamentais, em sucessivos governos, todos sabem que ele é devoto ao Poder e aos contratos da Administração.

    11. O debate em torno da Usina Hidrelétrica de Mauá está apenas iniciando. A falta de ampla e devida concorrência para a execução de uma obra de tal porte suscita evidentemente várias outras questões, que, estou certo, a tempo e modo serão levantadas.

    Curitiba, 30 de novembro de 2006.

    LUIZ CLÁUDIO ROMANELLI

    Deputado Estadual Eleito / PMDB

  8. Mauricio
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 16:06 hs

    Com o nosso dinheiro!!

  9. Mano da Vila
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 16:07 hs

    Romanelli para presidente do STF já!
    Agora tenho certeza que a OAB-PR precisa de uma CPI. Inacreditável alguém estudar numa escola de 3ª, nunca ir a aula e passar num exame que exige muito. Nada como estar no poder, com o poder e se agarrar no …… do poder!

  10. andre
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 16:08 hs

    com o nosso dinheiro!!

  11. Mano da Vila
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 16:10 hs

    Muitos aqui da Assembléia gostariam de saber onde ele fêz a prova?

  12. fred
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 16:29 hs

    mano da vila, que inveja hein? vc deve ter estudado cinco anos e não passou na OAB neh? relaxa, tem mais de 5 mil neguinho igual a vc. achou q a faculdade era o trampolim para o sucesso? deu mole, comprou com cambista…

  13. Pobre Cidadão
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 18:25 hs

    É até compreensível o Romanelli ter passado no exame da OAB. Afinal, ele não tem cabelo, mas cérebro ainda resta, ou estou enganado? Dizem que a massa cinzenta dele é de dar inveja…
    Ele tem o dom da leitura fotográfica!!!

  14. SARINHA OU SAFADINHA
    quarta-feira, 23 de julho de 2008 – 20:39 hs

    Até no exame da OAB tem chuncho, pois se o Romanelli passou a coisa não é séria.

  15. fred
    quinta-feira, 24 de julho de 2008 – 12:04 hs

    sarinha, vai lá ver se o greca precisa de alguma coisa antes de falar uma besteira dessas. inveja é uma merda

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*