Manifestação da Nação Hip Hop no Palladium | Fábio Campana

Manifestação da Nação Hip Hop no Palladium

A moçada do movimento Hip Hop contesta a informação da coluna de que havia apenas 300 pessoas na manifestação. O Will do Hip Hop mandou fotos que mostram o tamanho do barulho. E promete voltar no final da semana que vem.


17 comentários

  1. Beto Níquel
    segunda-feira, 28 de julho de 2008 – 18:54 hs

    É, uma imagem vale por mil palavras. Isso rapaziada, não deixem os milionários do Palladium se dar bem nesta.

  2. segunda-feira, 28 de julho de 2008 – 20:09 hs

    A Constituição Federal garante o livre acesso a “todos” a locais públicos é esta a “Lei Maior do Nosso País”,mas, como a “Lei” neste país a se fazer cumprir é praticamente impossível, ainda mais aos governantes,aos poderosos e milionários. Sinto pela rapaziada, mas, vocês estão dando um tiro no pé, até podem fazer movimentos e tudo o mais, mas, o dono da casa,da morada, do palácio,do estabelecimento,que até pôde ter o financiamento para construção do seu estabelecimento com o nosso dinheiro,através de recursos públicos, não quer vocês lá dentro, agitando e afugentando os seus fregueses,é triste mas é a pura verdade, vejam,acontece a mesma discriminação nas boates mais badaladas da capital, fica na porta um idiota dizendo quem pode e quem não pode entrar, se é vip ou não,não vi movimento algum em frente a estas boates do pessoal reclamando,é uma dica.
    Voltando a “Lei” vejam que nem o nosso ilustríssimo Duce do Palácio das Araucárias as cumpre,a principal e maior que é a nossa Constituição e muito o mais, vocês querem protestar tem que começar protestando contra o mau exemplo do Duce, sabem porque???? Os outros somente estão seguindo atrás dele, se “ele” phode porque os ricos e milionários não irão phoder com a ” Lei”….Somente uma pergunta que não ofende, só para tirar uma dúvida que está aqui me zunindo na cabeça, porque vocês não fizeram o mesmo movimento em frente ao Estação e no Curitiba?????Não são da hora como dizem????Só quero entender,porque tempos atrás já houve uma polêmica parecida no Curitiba,que começou a barrar certas “tribos” de freqüentadores, e, não deu em nada…
    Agora minha gente se tiver candidato por trás desta zueira aí é furada, ele simplesmente tá zoando com a cara de vocês e tirando proveito do momento, lembrem-se, se o cara consegue seu objetivo em outubro vocês acham que ele vai poder ou querer fazer alguma coisa contra???Acorda moçada ele também vai phoder com a “Lei”….

  3. João
    terça-feira, 29 de julho de 2008 – 8:23 hs

    Como eu suspeitava: algumas centúrias de ‘manos’ e ‘vileiros’, prontos para fazer arruaça.

  4. Cajucy Cajuman
    terça-feira, 29 de julho de 2008 – 10:32 hs

    Pessoal do Hip Hop. Vale um conselho?
    Não se deixem ser usados. Em se tratando de um Movimento Cultural, não pode ser confundido – pelo alvoroço para agradar uns e outros, ou qualquer outra intenção que haja. Política ou de intimidação da sociedade.

    O Movimento Hip Hop não pode ficar à mercê de políticos e/ou oportunistas. Precisa mostrar para a sociedade que é gente pacífica, de valor como qualquer outro cidadão honesto que busca mostrar a sua arte. Sem barbarizar. Sem escandalizar. Mas, marcar presença com o talento e conquistar seu espaço.

    Afrontar a sociedade ou se deixar levar pela experiência e oportunismo dos macacos velhos da política delirante é uma roubada. Quando a coisa aperta, os tais saem de fininho e deixa o movimento com a batata quente nas mãos e mal visto na sociedade.

    Fiquem atentos. Em torno dessa história envolvendo o shopping, pode ter gente se aproveitando da situação para tirar dividendos. Não se deixem ser usados. O Movimento Hip Hop precisa fazer parte permanente dos movimentos culturais da cidade – e por que não do Estado? – e aproveitar os espaços públicos com o apoio dos órgãos municipais e estaduais de cultura e mostrar, mais uma vez, que os talentos também saem das favelas e dos grotões Brasil afora.

    Mas, jamais se impor contra a sociedade – que somos todos nós – independente de condição financeira e outras maquinações. Quem deve, na verdade, a todos os segmentos da sociedade é o Estado – leia-se União, Estado e Município – que deveriam dar a justa contrapartida em benefícios dos cidadãos sobre a montanha de dinheiro arrecadada através dos impostos. Quando não é mal aplicada, é desviada vergonhosamente.

    É por isso que o país está nessa situação. Não são os ricos que roubam os pobres. Os que assim procedem, estão na verdade, unidos com os maus políticos que é quem propicia os desvios. Sozinhos, eles não conseguem tirar um tostão dos cofres públicos.

    Meninada do Hip Hop não se deixem enganar. Olho vivo, sabedoria e bola pra frente, com muita arte!
    Abraços

    Cajucy Cajuman
    cajucycajuman@hotmail.com

  5. Francisco
    terça-feira, 29 de julho de 2008 – 10:32 hs

    è… a turma da elite branca andou baixando seus comentários nesta e na postagem anterior…
    Sugiro à elite Palladina que abrace a solução sugerida por Jonathan Swift (aquele mesmo que escreveu “As viagens de Gulliver”) para resolver o problema do excesso de crianças pobres na Inglaterra do século 18. Ele propugnava que os bem-nascidos e suas famílias adotassem as criancinhas miseráveis, as alimentassem e deixassem bem gordinhas e depois… as comessem num banquete! Muito útil.

  6. João
    terça-feira, 29 de julho de 2008 – 11:05 hs

    @Francisco

    “Elite branca” é ótimo. Parece que não trabalhamos e vivemos perdulariamente. Lindo.

    Mas grosseiramente errado.

  7. olho vivo
    terça-feira, 29 de julho de 2008 – 11:11 hs

    olho vivo moçada do hip hop, olho vivo mesmo, esses caras da direitona ficam falando dos oportunistas, não sejam enganados e mais bla bla bla, por que eles não querem perde o eleitorado dos manifestantes mas eles estão do lado desses m..dinha do paladium, vejam quem apoia as iniciativas de v6 e vamo lá, niguem compra uma briga atoa por mais que pareça oportunismo, o oportunismo existe mas o povo não é tão burro

  8. Vinícius
    terça-feira, 29 de julho de 2008 – 11:22 hs

    “Elite Branca”?

    Como esse pessoal do hip hop são preconceituosos hein. Depois tenham pena deles.

  9. Cajucy Cajuman
    terça-feira, 29 de julho de 2008 – 12:08 hs

    Caríssimo Francisco,

    Eu elite branca? Esse negócio de elite branca é puro papo fiado. Se formos falar em elite hoje, verdadeiramente, é a esquerda ascendente e populista que vive atada às tetas do governo. É a nova elite brasileira, enquanto a classe média empobrece cada vez mais, não é mesmo?

    Francisco vale destacar ainda, que os bem nascidos financeiramente, também pagaram seus impostos, cujo dinheiro se não foi usado para a melhoria do serviço público, foi roubado pelos bandoleiros da política em causa própria e de seus apaniguados. Mas eles, assim como eu e você pagamos o imposto regiamente.

    Olho Vivo

    Esse negócio de “direitona” ou “esquerdona” é tudo bobagem. O momento brasileiro é para encontrarmos gente competente e honesta para tocar os destinos da Pátria. Do jeito que veio e que está é que não pode ficar. Esses políticos que andam por aí – salvo exceções – não valem a comida que comem.

    O shopping fez a parte ele. Valorizou aquele canto da cidade, enfiou mais de R$ 300 milhões em investimentos, mais ou menos R$ 100 milhões de impostos/ano, e, ainda, abriu CINCO MIL NOVOS EMPREGOS. Não há mérito nisso?

    Olho Vivo meu caro. Se não fosse o setor empresarial e industrial neste país, já estaríamos falidos há muito tempo. Pois, o setor político é que está em débito com o cidadão de todas as camadas sociais.

    Recomendo que o Movimento Hip Hop faça uma pesquisa também entre os demais moradores da região, próximo ao shopping para ouvir o que eles têm a dizer sobre o empreendimento. Se bom ou ruim. Assim, ouve-se todos os lados.

  10. Augusto P
    terça-feira, 29 de julho de 2008 – 13:17 hs

    Eu não sei por que as pessoas tem tanto medo da juventude de periferia se organizar, afinal fazem 500 anos que o Brasil só favorece a mesma classe dominante. Bem eu recebi um panfleto em frente ao Shopping Palladium e fui ver do que se tratava tal protesto. Visualizei meio de longe, como fazem a maioria dos freqüentadores desse Shopping, e pude observar que não tinha algum apelo político partidário, mas na verdade a própria juventude de periferia se organizando para defendendo os seus interesses.
    Eu acho que um país que sonha ser grande não pode pensar pequeno. Deixem que os jovens construam sua historia. Tirem o zóio gordo !!!

  11. olho vivo
    terça-feira, 29 de julho de 2008 – 13:44 hs

    quem gera emprego meu caro são as pequenas empresas e pequenos investimentos, vamo faze o racha desses 300 milhões na mão de 200 novos empresarios, no minimo você vai gera o dobro de emprego mesmo tendo uma perda de capital direto no investimento (porem um terço de retorno,será que isso é ruim pra quem) de fato o imposto vai ser menor, mas não haverá vazamento de de capital do país, agora vc vem me dizer ke a sua elite não tem culpa do lucro que tira e que isso ajuda o pais, é talvez ajude mesmo mas o dano é bem pior, o meu amigo eu só não mando vc se … por ke se naum o comentario não entra.

  12. rock
    terça-feira, 29 de julho de 2008 – 21:01 hs

    Isso que é olho vivo, não olho cego que so se interessa em defesa de uma classe priviligiada que consegue recursos publicos e depois ficam se achando empreendedores.

  13. flavio marcelo ferre
    terça-feira, 29 de julho de 2008 – 22:04 hs

    bom achei muito legal , esse bate papo, e procurei analisar os dois lados, primeiro descobri que tem o lado que defende e o lado que defende , ou seja só tem defesa, porém fiquei muito feliz, em ver através da foto a rapaziada la, eu brigava e lutava sozinho praticamente pelo crescimento do hip hop e não era ouvido, agora que houve um pouco de organização parece que todo mundo esta solidário. realidade ? ilusão ? hipocrisia?
    não sei, só acho que deveriam voltar a raiz do problema, o movimento não aconteceu contra o shoping e sim pelo autoritarismo que ele exerceu barrando as pessoas na porta.
    o envestimento é bom e com certeza a geração de empregos é ótima, então, não vamos nos perder no assunto!!!!!!!!!!!
    não estive no protesto, e não acho que conseguindo entrar no shoping que vocês vão resolver a questão HIP HOP, que pra quem realmente conhece sabe que existem várias áreas desse segmento que precisam ser ouvidas, deixo meu email lentilha2007@hotmail.com e um convite, aqueles que quiserem levar a bandeira hip hop pra frente serão bem vindos
    e aqueles que acham que é oportunismo meu, em 2000 fui campeão brasileiro de dança de rua, sei do que estou falando, então pense bem antes de falar de mim!!!!!!!!!!

  14. Cajucy Cajuman
    quinta-feira, 31 de julho de 2008 – 17:08 hs

    Parabéns Flávio
    Assim é que se faz e age. Eu também acho que muito pode ser feito pela valorização do Hip Hop com cultura e valorização dessa juventude.
    Porém, todo cuidado é pouco quando se mistura essa força cultural que precisa vingar no Paraná, com os meandros políticos.
    Geralmente o meandro político corrompe e cerceia o cultural. E essa juventude tem muito a mostrar da sua arte no Paraná e no Brasil.
    Abs

  15. flavio
    quinta-feira, 31 de julho de 2008 – 18:12 hs

    exatamente cajucy, concordo com você em relação ao seu pensamento político, e deixo aqui um aviso a todos, pra que as coisas mudem e valorizaem para o lado hip hop, nãos basta apenas ser político, tem que conhecer o mundo hip hop, senão acontece o de sempre , eles vem pede o seu voto e somen, então fiquem atento eu parto do principio que a política jovem tem que ser feita por joven, joven que conhece o movimento , conhece a rua, tem histórico cultural e social sempre teve envolvimento , e acima de tudo tenha serenidade para representar uma classe desse porte, então deixo aqui moinha disposição para debater esse assunto com aqueles que realmente queiram mudar algo, com inteligência e serenidade

    abs

  16. Guga
    terça-feira, 12 de agosto de 2008 – 15:18 hs

    Pelo amor de Deus, quanto idealismo, quanta utopia. A realidade que muitos não querem ver é que os “manos” são em sua grande maioria vândalos que, alcoolizados, cometem furtos e atos de depredação. O shopping Palladium demorou para tomar esta atitude. Esse abismo cultural é gerado sim pela forma que a classe mais desfavorecida é tratada pelo Estado porém, o fator principal é a opção de cada um. Não nasci rico, não sou rico, trabalho 12 horas diárias, pago minha faculdade e ajudo em casa, optei por isso, como podia ter optado por ficar bebendo, pichando e culpando o sistema, optei por fazer a diferença. Depois chamam pessoas com o raciocínio parecido de preconceituosos… Tenha paciência…

  17. layrana
    domingo, 15 de março de 2009 – 15:50 hs

    meu comentário é, sobre a falta de segurança das pessoas em curitiba e regiao, acho um absurdo a falta de policiamento aqui, nos precisamos de mais segurança na rua,vamos estudar pegamos onibus mais com intuito de chegar a escola.Saimos com medo de que nos pode acontecer ,esta muito perigoso ainda mais com esses vileiros ja fui assaltada dentro do onibus por um desse meninos que andam assim ,levaram meu tenis meu celular ,eu dei queixa ,mais voce acha que eles fizeram alguma coisa???
    nimguém fez nada …estou indignada com isso quero q o governo tome providencias porque ,nao acontece somente comigo pode acontecer com voce e com sua famila .

    obrigado

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*