Foi uma tragicomédia, diz Rossoni | Fábio Campana

Foi uma tragicomédia, diz Rossoni

A posse de Mauricio Requião como conselheiro do Tribunal de Contas foi, para o deputado estadual Valdir Rossoni (PSDB), líder da Oposição na Assembléia, o fim de uma tragicomédia anunciada e, por isso mesmo, combatida.

O deputado afirma que muitas pessoas não entenderam o ato dos deputados que se abstiveram da votação que encerrou o processo de escolha do novo conselheiro, conduzido com mão de ferro pelo governador Requião, irmão do agraciado. Entende que, para quem não viveu por dentro o redemoinho da trama urdida no Palácio das Araucárias, isso tenha parecido como um não-posicionamento, mas reitera as razões que o fizeram optar por tal procedimento:

– Se tivesse votado em algum candidato legitimaria todo o rito de escolha que, desde o início, não concordei. Os deputados da Oposição entenderam tratar-se de um processo viciado.

– Pedi à Mesa Diretora para anular o edital de convocação. Por considerá-lo incompleto, entrei na Justiça com uma ação popular.

– Questionei junto ao Tribunal de Contas a homologação da aposentadoria do conselheiro Henrique Naigeboren, que deixou a vaga. Em resposta oficial, a confirmação: a aposentadoria não havia sido concluída. Quer dizer: antes mesmo de consolidado, o posto já tinha dono.

– A Lei Orgânica do TC, nº 113 republicada em Diário Oficial de 05/05/2006, acolheu uma emenda sugerida por mim. Trata-se do artigo 140 que impede que um conselheiro analise as contas do município onde um parente dele tenha obtido 1% de votos.

– Baseado nessa Lei, alertei que o Maurício Requião ficará impedido de julgar as contas de todos os municípios do Paraná em razão do irmão governador ter feito mais de 1% dos votos nessas cidades.

A ação impetrada por Rossoni continua em tramitação no TJ, para que seja julgado o mérito.


8 comentários

  1. Renata Bobinha
    sexta-feira, 18 de julho de 2008 – 16:00 hs

    Pelo que vi na TV o pessoal do TCE esta acima do peso. Se o Mauricio que já esta gordinho não se cuidar vair explodir logo. A comida do TCE deve ser da boa sô!

  2. Jose Carlos
    sexta-feira, 18 de julho de 2008 – 16:12 hs

    Isso tudo é conversa p’ra boi dormir. São todos farinha do mesmo saco, inclusive este deputado que tem nome de vinagre… Apoiou com todo seu louvor e admiração a nomeação do antecessor de Mello e Silvinha no TCE, o cunhado Henrique Naigeboren… Aliás, as cadeiras do TEC deveriam ter nomes, como as da ABL. Assim, esta cadeira ocupada pelo irmãozinho Mello e Silva poderia cadeira dos nepotes…

  3. jango
    sexta-feira, 18 de julho de 2008 – 18:38 hs

    Invocamos D. Francisco Manuel de Melo – insigne poeta do Séc. XVII:

    MUNDO É COMÉDIA

    “Dez figas para vós, pois com furtado
    Consular nome vos chamais Prudência,
    Se, fazendo co’o Mundo conferência,
    Discursais, revolveis, e eis tudo errado!

    Quem vos vir, Apetite, disfarçado,
    Digno vos julgará de reverência;
    E a vós, ódio, por homem de consciência,
    Vendo-vos tão sesudo e tão pesado.

    Dois a dois, três a três e quatro a quatro,
    Entram, de flamas tácitas ardendo,
    Astutos Paladiões em simples Tróias.

    Quem enganas, ó Mundo, em teu teatro?
    A mi não, pelo menos, que estou vendo
    Dentro do vestuário estas tramóias.”

    (* Obras Métricas, tomo II, p. 6)

  4. Lelo
    sexta-feira, 18 de julho de 2008 – 20:21 hs

    Penso que a posse do Sr. Maurício no TC vai incomodar muita gente. Agora ele terá acesso as contas de muitos paladinos da moral e dos bons costumes, e isso perturbará com certeza Rossonis e outros tantos!

  5. rock
    sexta-feira, 18 de julho de 2008 – 20:53 hs

    O artigo 140 criado pelo Rossoni era para defender os parentes dele, já que ele sabe que 1 %, talvez ele somente consiga em Bituruna.

  6. eu, hein!
    sábado, 19 de julho de 2008 – 11:17 hs

    Vindo do Rossoni é uma comédia. Com o Lerner ele fez coisas do mesmo tamanho. Farinhas de mesmo saco.

  7. sábado, 19 de julho de 2008 – 11:22 hs

    vejam como são as coisas: não existe instituição capaz de esclarecer e punir a má gestão na secretaria de educação; basta olhar o passado: esse moço se intitula professor???ora, foi nomeado em Uberlandia
    numa troca de favores com o reitor, e depois
    transferido para a Ufderal do Paraná, onde ocupou vaga que fez muita falta para o desenvolvimento do curso de psicologia; mas, recorrer a quem?????estão todos no mesmo saco – todos…antes tinham medo dos militares, agora não tem medo de ninguém!!!!!!!

  8. Judith Bezerra
    segunda-feira, 21 de julho de 2008 – 10:38 hs

    E a Fera, não foi convidada? :)

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*