A mancada do ministro Amorim | Fábio Campana

A mancada do ministro Amorim

“I’m sorry”, disse o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim diante da polêmica provocada quando citou o ministro da Propaganda de Adolf Hitler, Joseph Goebbels, ao denunciar campanha de “desinformação” dos países ricos sobre a negociação agrícola na Rodada de Doha.

Ele fez a citação numa coletiva na Organização Mundial do Comércio (OMC), quando procurava “acabar” com o “mito” de que a negociação agrícola avançou e o problema agora é a negociação industrial.

Os Estados Unidos e a União Européia bombardearam a declaração de Amorim à véspera das negociações cruciais de Doha.

O ministro concordou com diplomatas brasileiros que viram, na reação à sua citação, uma manipulação para enfraquecê-lo, “como se isso fosse possível”. Amorim está habituado a ser centro das atenções nas negociações comerciais, mas desta vez provavelmente gostaria de estar longe das luzes.

A menção a Goebbels passou a ter impacto quando a representante americana, Susan Schwab, filha de judeus sobreviventes do Holocausto, reagiu, ao ser indagada por uma agência noticiosa. Ela disse, por meio de seu porta-voz, que “tem um tremendo respeito pelo Brasil e pelo papel de liderança que pode ter e por isso os comentários foram tão infelizes”. Ontem, a União Européia entrou na polêmica, com um funcionário qualificando a citação de “altamente lamentável”. Já o comissário de Comércio, Peter Mandelson, comentou: “Deixemos Goebbels de lado.”

Em círculos comerciais, a reação dominante foi de que desta vez Amorim, talentoso nas frases de efeito, pode ter contribuído para um clima pesado nas discussões entre os ministros. Schwab, que se crispa com facilidade, nesse tipo de ambiente acaba reagindo sempre dizendo “não” na negociação. No fim da tarde, Amorim fez várias indiretas sobre sua própria situação. “Tenho que tomar cuidado com minhas palavras”, disse, ao explicar uma questão levantada pelo diretor-geral da OMC.

Indagado por uma jornalista se pediu perdão pela referência a Goebbels e à tática dos países ricos, ele retrucou: “Eu disse ‘I’m sorry’ (sinto muito) se feri sentimentos. Não foi minha intenção. Mas tenho que dizer que comecei meus comentários desqualificando o autor. Talvez se eu tivesse dito o mesmo, sem mencionar o autor, o que seria uma espécie de plágio, não haveria reação. O fato é que há distorção depois de distorção (dos países ricos)…”

Perguntado se mantinha a frase, Amorim disse, tentando minimizar o impacto: “Seja lá qual a frase, dei como um exemplo. O que mantenho é o seguinte: repetir uma distorção faz as pessoas acreditarem que ela é uma verdade.” Foi nesse ambiente que o diretor-geral da OMC, Pascal Lamy, aproveitou o jantar oferecido aos ministros, nos arredores de Genebra, para passar duas mensagens. Pediu uma trégua no jogo de acusações e que realmente negociem entre si, para salvar Doha. (AM)


7 comentários

  1. Jose Carlos
    segunda-feira, 21 de julho de 2008 – 9:57 hs

    Um ministro de um país como o Brasil, que está virando um Estado policial, com uma Gestapo de dar inveja aos nazistas do passado, não tem muita força moral para falar…

  2. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 21 de julho de 2008 – 10:48 hs

    Estamos mal de politica externa.
    Até o Itamarati, que já foi destaque no mundo, agora só dá mancada.
    Sem contar o Lula que só sabe fazer proselitismo.
    Esta semana mesmo, o presidente “pediu” às Farc para libertarem os reféns.
    Soa como deboche. Pois quando, no auge da crise entre Equador e Colômbia, no recente episódio da invasão do território Equatoriano, foi realizada uma reunião de emergência no Caribe. Todos os presidentes da América Latina estavam presentes, MENOS o LULA, que preferiu inaugurar uma obra do PAC na Bahia.
    É assim, quando presisamos de um estadista, temos apenas o falastrão de sempre.
    É presidente para festas, recepções, passeios e discursos cheios de frases prontas; Nos momentos difíceis, ele corre.
    Dá para fazer uma paródia com a personagem do programa Zorra Total, aquela que ficou rica e quer entrar para a alta sociedade:”Dinheiro eu tenho só me falta-me o glamur”
    Ao Lula, falta apenas coragem e competência.

  3. jango
    segunda-feira, 21 de julho de 2008 – 13:43 hs

    A propósito, Goebells fez escola, embora suas lições sejam terríveis, por exemplo:

    “De tanto se repetir uma mentira, ela acaba se transformando em verdade.”

    Alguém duvida da aplicação deste dito em muitas investigações e CPI’s, por este Brasil a dentro ?

  4. LINEU TOMASS
    segunda-feira, 21 de julho de 2008 – 17:29 hs

    MINISTRO FALOU A VERDADE.
    Os Estados Unidos no Governo BUSH, subsidiou os agricultores americanos em 10 anos com 100 bilhões de dólares, e mais um extra para o algodão. Na Europa a regra é a mesma, dá-lhe subsídio e mais subsídio para os agriculores de lá. Aqui no Brasil, fomos forçados a acreditar no “livre comércio” e na lei da oferta e procura, a qual fica distorcida com a sanha absoluta dos governos de 1o. mundo, que NUNCA deixaram de praticar forte política nacionalista na economia.
    Nós se formos inteligentes temos que fazer o mesmo. Parabéns ao Min. Amorim. Chega de subordinção e vassalagem as metrópoles do 1o. mundo que repetem, reepetem mentiras para que todos acreditem nela, bem no estilo de Goebels, tal qual Bush fez na imprensa mundial para invadir o Iraque, em cima de mentiras e mais mentiras, as quais hoje ele assume acintosamente.

    LINEU TOMASS.

    as.

  5. João Cirino Gomes
    quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009 – 19:20 hs

    E ai Amorim, quais serão as providencias? Vai continuar com suas conversinhas tolas para fazer media seu ridículo? Talvez agora aprenda a lição; pensa que é só sair pelo mundo a fora, arrastando papo e colhendo loros? Vc e o presidente, ainda tiveram muita sorte, e se dêem por satisfeitos, por não serem obrigados a se retratarem! Deviam estar defendendo causas de inocentes e não se metendo com pessoas mal intencionadas! E por falar em má intenção; se eu fosse vcs daria um jeitinho de fazer um acerto e entregar este mafiosinho que estão apadrinhando! E que os italianos, resolvam seus problemas, lá deles. Aqui já temos muitas cargas tributarias, para sustentar ladrões e oportunistas mentirosos! E tem mais: Olhem de frente para a realidade do país e não banquem os ridículos, se dizendo preocupados com divergências religiosas em Israel, pois vcs não estão tendo capacidade para resolver nem os assuntos internos! Será que não percebem que a violência interna esta matando mais que esta guerra, com a qual vcs se dizem preocupados seus hipócritas? E enquanto vcs fazem suas turnês, a custa dos cofres públicos, pensando fazer média, a saúde, a mortalidade infantil, os desvios de verbas, o desemprego e a violência, esta causando o maior colapso no país!!! E se juntar as viagens do Lula, ele já viajou mais que os que os políticos que ele tanto criticava e o papa junto! E olha que alem de criticar ele incitava o povo; mas depois de eleito, a belezinha de cabeça chata, não se contentou em viajar com o mesmo avião que os outros usavam! Comprou logo um importado para passear mais confortavelmente! E deixa que o país vá à bancarrota, e que os otários paguem sua mordomia! Quer saber? Os políticos já encheram o saco com tantas mentiras, roubalheiras e mordomias!! Cliquem ai> Lula bilionário e, > Lulinha sócio de Daniel Dantas! E Logo o Lula, que prometia acabar com os enriquecimentos ilícitos! Não se esqueça Amorim, antes vc criticava Daniel Dantas; mas agora não diz mais nada e nem abre mais a boca para falar a respeito do crápula; eu sei o que lhe calou? $$$ E ainda mais Lulinha sendo sócio do Dantas, acha que vc quer perder esta boquinha? Mas não se preocupe, já estamos acostumados com esta mídia oportunista, mascarada, interesseira e bajuladora do Brasil! Isso não é novidade, já tem quinhentos e nove anos, que o povo vem sendo escravizado e enganado por oportunistas e espertalhões neste circulo vicioso!

  6. quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009 – 12:08 hs

    Ninguém menciona a pressão descomunal exercida pela imprensa sobre as autoridades brasileiras, tacitamente exigindo que elas se pronunciassem a respeito do caso, exigindo do ministro das relações exteriores firmeza, quando o momento devia ser de cautela. Ele agiu da maneira como as circunstâncias exigiam e errou, espero que a lição seja aprendida.

    Agora, dizer que a nossa política externa é desastrosa, afirmar que Amorim é um idiota, isso é de uma desrazão imensa. Leiam um pouco, nunca o Brasil foi tão protagonista lá fora, derrotamos vários protecionismos, inclusive ianques, na OMC, firmamos acordos importatíssimos e somos cabeça dos gigantes em desenvolvimento no “3° Mundo” (odeio essa expressão).

    Ignorar tudo isso é que é idiotice!

  7. Rubens
    quinta-feira, 18 de março de 2010 – 12:06 hs

    Parabéns pelos esclarecedores, corajosos e realísticos comentários do senhor João Cirino Gomes. Os outros comentaristas, devem achar que não existiu mensalão, e estão de acordo com a proteção data a batistinha e que na Venezuela existe democracia “até demais”.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*