PT contesta exigência de retirar mensagens de Gleisi Hoffmann | Fábio Campana

PT contesta exigência de retirar mensagens de Gleisi Hoffmann

Foto de Joka Madruga

O advogado Guilherme Gonçalves afirmou hoje que ele e o PT souberam pela imprensa da decisão do desembargador Jesus Sarrão de sustar a veiculação dos comerciais do partido apresentados por Gleisi Hoffmann (foto). Não receberam qualquer comunicação oficial. Por isso mesmo, os comerciais foram mantidos.

A decisão de Sarrão foi dada, portanto, sem a defesa do PT, que no latim do fórum se chama “inaudita altera parte”. Gonçalves, advogado do PT, informa que o PSB entrara na Justiça com a mesma ação na terça feira, mas errou a autoria. Entrou pelo diretório municipal e a legitimidade da contestação seria do diretório estadual.

Em primeiro lugar, diz Gonçalves, chama a atenção que tivessem sido representados os quatro comerciais. Da primeira vez, o PSB errou a mão e entrou pelo diretório municipal e a legitimidade é do diretório estadual. O argumento acolhido por Sarrão é o de que a propaganda do partido era usado para promover candidata a prefeita de Curitiba.

Guilherme Gonçalves sustenta que não houve excesso, pois Gleisi Hoffmann é presidente estadual do PT, o que a torna legítima para pronunciar-se em nome do partido. Ao contrário de Luciano Ducci, do PSB, que teve seus comerciais suspensos porque não falava pelo partido, pois não é presidente da agremiação.


4 comentários

  1. Volta ao passado
    sábado, 7 de junho de 2008 – 11:08 hs

    O Jesus Sarrão sempre foi ligado ao velho José Richa, sendo inclusive seu secretário da Segurança.

  2. Formiguinha
    sábado, 7 de junho de 2008 – 14:55 hs

    Campana como eu gostaria de ser uma formiguinha e estar na sala de reunião dos caciques PT, com um Governo Federal na mão, e estão sozinhos na disputa eleitoral, que falta de estratégia hem… ou querem de maneira disfarçada a vitória do Prefeito Beto Richa no primeiro turno, fim da era PT. Suicidio coletivo.

  3. CLOVIS PENA
    domingo, 8 de junho de 2008 – 7:17 hs

    Coibir atos que afrontem as regras eleitorais é uma necessidade. Entretanto a justiça deveria esclarecer melhor os motivos da restrição ou dificuldade imposta pelo TRE ao acesso à lista dos agentes públicos que estão sendo processados. Da mesma forma sobre a proibição de campanha eleitoral no centro da cidade. É um direito do eleitor conhecer os critérios ou motivos segundo os quais está sendo condicionada a veiculação de informações em relação aos envolvidos, como candidatos ou não no processo eleitoral.

  4. Tedy
    segunda-feira, 9 de junho de 2008 – 10:25 hs

    ESSE DESEMBARGADOR, DE JESUS SÓ TEM O NOME! TUCANO DE PLUMAGEM CONHECIDA. A CANDIDATA GLEISI COMO PRESIDENTE DO DIRETÓRIO ESTADUAL, TEM TODO DIREITO DE APARECER NA MÍDIA.É UMA PIADA DE MAU GOSTO A DECISÃO DO SR SARRÃO. PARA NÃO DIZER UMA SARRO! É UMA DECISÃO PERNICIOSA!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*