Por que não dragas, Eduardo Requião? | Fábio Campana

Por que não dragas, Eduardo Requião?

Requião pediu ao mano Eduardo que explicasse na escolinha, há pouco, porque não draga o canal da Galheta, em Paranaguá.

Eduardo, em tom dramático, afirmou que corre risco por não dragar o canal, mas que não o faz porque não paga o preço exigido pelo cartel das empresas de dragagem, que seria onze vez acima do normal.

Eduardo diz que o sobrepreço é vício herdado de administrações anteriores respaldado pelo Tribunal de Contas. Também acusou o presidente Lula, a ministra Dilma Roussef e todo o governo federal que não se interessam pelos seus argumentos.

Prometeu trazer o senador Eduardo Suplicy para defendê-lo. E desancou a imprensa que não concorda com ele. Ora, pois, a escolinha de hoje ultrapassou todos os limites estabelecidos pela resolução do desembargador Edgard Lippmann Junior, que proibiu seu uso para agredir adversários.

Terminou com discurso de Requião, que lembrou a censura do desembargador e, enfaticamente, denunciou a censura que lhe pesa no uso da tv estatal.

Mas não deixou de dizer que não sabe se há transparência nos gabinetes dos juízes que o condenaram. Também anunciou, mais uma vez, que logo estará livre das restrições.


2 comentários

  1. Jose Carlos
    terça-feira, 3 de junho de 2008 – 11:46 hs

    O baronete de Mello e Silva, donatário do porto de Paranaguá, devia ser nomeado secretario estadual anti-dragas por seu irmão, o arquiduque da província…

  2. joao
    terça-feira, 3 de junho de 2008 – 23:10 hs

    CADE O TURCO DO TIO????? ALI ????

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*