O declínio do PMDB | Fábio Campana

O declínio do PMDB

Todos os levantamentos feitos até agora mostram que a única eleição deste ano na qual o PMDB é favorito absoluto é a da escolha, na Assembléia, do irmão caçula de Requião para a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas.

Nas eleições municipais deste ano o PT e o PMDB devem perder terreno no Paraná. A começar pelas grandes cidades. Em Curitiba, o favorito é o tucano Beto Richa. Em Londrina, o prefeito Nedson Micheletti, do PT, já tinha dificuldades para fazer o sucessor. Piorou ainda mais depois que o seu candidato, André Vargas, foi flagrado numa estranha fraude de doadores para a sua campanha de deputado federal.

Em Londrina, a disputa fica entre o tucano Luís Carlos Hauly e o candidato do PDT, Barbosa Neto. A única surpresa possível poderá vir do PP, de onde pode sair o Antonio Belinati para apavorar todos eles.

Por aí vai. Não há grande cidade, com exceção de Paranaguá e Foz do Iguaçu, onde o PMDB tenha chances de eleger o prefeito. E olha que não são favas contadas.

Essa situação expressa a decadência de uma corrente política que já foi hegemônica no Paraná, o PMDB de Roberto Requião. O trágico é que o seu declínio arrasta também o PT, que cometeu a estultícia de se ficar a reboque do PMDB e por isso perdeu muito de sua força e identidade.

Nesse quadro, o time de Requião procura desde já alternativas para o futuro. Na família, a correria para garantir a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas para Maurício Requião. Entre os agregados, um salve-se quem puder.

A coisa mais comum na vida política paranaense deste dias é ver peemedebistas rondando a cerca do PDT de Osmar Dias ou a do PSDB em ascensão. Nessa hora não falta aquele pessoal que tem consistência pneumática. Não afunda nunca. Está em todos os governos e sempre ao lado de quem vai ganhar. Olhem bem as fotos da convenção do Beto Richa. Lá estão alguns dos mais convictos requianistas de onbtem. Sinal dos tempos.


7 comentários

  1. Silva
    domingo, 29 de junho de 2008 – 11:50 hs

    [infelizmente é isso: o Sr. Requião teve tudo pra tornar-se um grande líder (a a partir de seu segundo mandato: sua segunda grande chance), até capacidade e conteúdo político e formação técnica ele tem, coisa rara entre os atuais políticos do Paraná.

    Mas, faltou-lhe humildade e autocrítica para rever alguns de seus velhos conceitos (aplicados no primeiro governo), inclusive aqueles ligados à administração pública: que deve pautar-se por valores essencialmente democráticos, tais como: participação e consulta popular, diversidade de idéias e pensamentos, liberdade de expressão e comunicação, respeito às instituições e às organizações populares, dentre outras.

    Requião depois de 3 mandatos de governador, ainda continua um ser humano autoritário e avesso a ouvir a opinião de outros, inclusive de seus correligionários.

    Infelizmente é um governante solitário, que mais desagrega do que agrega !

    Seus auxiliares, são sêres sem criatividade, sem idéias próprias e iniciativas, pois são controlados e manietados física e mentalmente, pelo grande chefe !

    E isso na política dos novos tempos, conta muito e faz a diferença.

  2. Bom de discurso!
    domingo, 29 de junho de 2008 – 13:33 hs

    O governo Requião, como disse o Bautista Vidal, do ponto de vista estratégico é bom de discurso, mas péssimo para operacionalizar o mesmo.

    A maior dificuldade para a implantação do que ele diz, mas não faz, é a sua equipe, que embora conte com várias figuras de expressão no geral é medíocre, pois é fruto dos acordos pela governabilidade.

    Este desconjunto político, feito das partes cadavéricas putrefatas, que vão desde os tecidos já gangrenados do PMDB aos restos também semi decompostos do lernismo, lembra em muito ao monstro Frankenstein.

    Dentro dele existem desde os representantes do MST, passando os fisiológicos pragmáticos, para os quais governo bom é o que está no poder, até a extrema direita ideológica!

    A mesma farsa que o Lerner construiu ao criar factóides “desenvolvimentistas” o Requião repete com um discurso pretensamente progressista!

    Este agrupamento de bandos, pois não dá para chamar o mesmo de um grupo político ideológico, sairá deste governo com um amontoado de processos, que vão desde as denúncias já encaminhadas a justiça sobre corrupção aos de calúnia e difamação, pois a estratégia dos que dizem mas não fazem é a de hoje maniqueisticamente sofismar contra os adversários para que o povo confuso não veja a realidade dos fatos.

    Com a proximidade do fim do ciclo, o que já está próximo, ao mesmo tempo em que se locupletam os membros deste governinho começam a observar o processo da sucessão em 2.010 em busca de caminhos, para iguais carrapatos continuarem a sugar o rico erário público.

    Em menos de um ano o que restará ao Requião será ver os ratos abandonarem a embarcação e começar a se preocupar com a sua eleição para senador ou deputado federal, pois necessitará de um mandato para escapar das montanhas de processos.

    Em fim de feira só resta a xepa!

  3. Deco
    domingo, 29 de junho de 2008 – 17:08 hs

    Triste fim da decadência nepotista, um ser que usa sua inteligência para o rancor e a desunião, absolutamente nada de obras, nada de políticas concretas em qualquer área, uma derrota de vida, de personagem e de muita dó.

  4. CLOVIS PENA
    domingo, 29 de junho de 2008 – 17:12 hs

    A previsão que o Fábio faz para Foz do Iguaçu é significativa mas é importante detalhar ou explicar melhor as referências.
    Depende da margem do Rio Paraná em que está o observador. Poderia ser uma embaixada de Curitiba ou uma retaguarda estratégica de Assunção. E, conforme o caso, as duas coisas.

  5. Mano da Vila
    segunda-feira, 30 de junho de 2008 – 0:43 hs

    A estabilidade de partido forte do PMDB declina na mesma razão em que aumenta a consciência dos integrantes dos partidos da base governista acerca do futuro com uma emergente e concatenada formação de nova frente oposicionista. Resumindo: o PMDB não fez nada de novo para o Paraná e todos sabem.

  6. Arrelia
    segunda-feira, 30 de junho de 2008 – 2:28 hs

    O proximo passo do Governador, será lançar para o Palacio Iguaçu em 2010, seu Irmão Eduardo Requião, que faz um brilhante trabalho no porto de paranaguá de austerismo,competencia e dedicação. Aliás, a cidade de paranaguá, já sente o reflexo dos quase seis(06) anos de administração porturária, que é o que mantém praticamente a cidade de paranaguá hoje no bojo da falencia . Viva a democracia.

  7. aparicio varela
    segunda-feira, 30 de junho de 2008 – 13:46 hs

    Olha eu acho que o MAURICIO REQUIÃO realmente não esta qualificado para ser CONSELHEIRO DO TC DO PARANÁ. Nunca ouvi falar que ele este envolvido em corrupção ou roubo, ou mesmo processado. COMO É O CASO DO PESSOAL SÉRIO DO JAIME LERNER.
    O Mauricio não pode sair da SECRETARIA DE EDUCAÇÃO, pois corremos o risco de ter o IRMÃO que não deu em nada, como secretário de estado. O Wallace (o irmão que não deu em nada), deve estar torcendo para o irmão ir para o TC, talves sonhe m um dia ser secretário de estado. AGORA É A SUA VEZ.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*