Violência nas escolas | Fábio Campana

Violência nas escolas

Almas parvas palacianas protestaram contra a matéria sobre a insegurança nas escolas estaduais. Para que sintam o drama, aí vai trecho da entrevista que o professor Claudemir Figueiredo Pessoa Onasayo, do Colégio Estadual Professor Alberto Krause, deu à repórter Francielle Colpani, da Rádio Banda B:


2 comentários

  1. CLOVIS PENA
    sexta-feira, 30 de maio de 2008 – 18:23 hs

    O assunto é sério demais. O desagrado com as notícias não resolve. Os comentários em relação à insegurança nas escolas não têm a finalidade simples de fazer crítica pela crítica. O alertamento é necessário e útil. Está muito claro também que a responsabilidade sobre o que ocorre não cabe somente ao setor de segurança, nem só aos governos. Os policiais estão atuando, na medida do possível, para conter ocorrências que têm origem na educação e no desemprego. As causas não estão na área da segurança. Estão difusas na sociedade. A escola é alvo de tais ocorrências, por ser ponto de concentração e de fácil acesso. O que não se pode é minimizar a gravidade deste problema social, que demanda uma ação integrada de órgãos: 1.- da regulamentação da conduta; 2.- da educação, 3.-da formação e encaminhamento profissional, 4.-da área de esportes e lazer; 5.-responsáveis pela assistência social da juventude e da família;6.- responsáveis pela moradia e 7.-da segurança 8.- da justiça entre outros. Por exemplo, a Prefeitura que poderia remover o mato marginal das ciclovias onde moram ou se escondem traficantes, o acesso aos mocós em pontes do rio Belém, multar terrenos e casas abandonadas e assim por diante.

  2. ZZZZZZZZZ !
    sexta-feira, 30 de maio de 2008 – 18:33 hs

    De agora em diante teremos que andar com um jornalista nas costas, no bom sentido, é claro.

    Parece que não resolve, que não há maneira de destravarmos este momento da sociedade em que estamos “adormecidos”, onde injustiças, violências, maus tratos e miséria nas ruas ou em locais definidos, mas mesmo assim as pessoas dizem que o mundo é assim mesmo e se calam diante de tudo.

    A maioria das pessoas que conheço se dizem religiosas, ou são crentes a Deus…dúvido, pois se fossem estariam mais preocupadas com a política Política que nos cala e tira tudo o que nossos pais nos ensinaram sobre integridade e honestidade.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*