Rossoni diz que nada tem a ver com o caso Copel/Olvepar | Fábio Campana

Rossoni diz que nada tem a ver com o caso Copel/Olvepar

O deputado Valdir Rossoni (PSDB), líder da Oposição na Assembléia, estranhou a inclusão de seu nome em notícias publicadas no jornal O Estado do Paraná a respeito do caso Copel-Olvepar.

O parlamentar afirma que não é citado na denúncia do Ministério Público Federal e que não foi sequer intimado ou investigado durante o inquérito.

O deputado lembra que os fatos ocorreram em 2002 e não entende porque só agora, em 2008, tentam envolvê-lo, sem qualquer relação com o que foi denunciado e apurado nos autos.

Rossoni assegura que a denúncia que tenta envolvê-lo é caluniosa e indaga sobre quais interesses que a teriam motivado.

Segundo Rossoni, o envolvimento de seu nome no caso tem a clara intenção de denegrir a sua imagem como líder da Oposição e também atingir a Assembléia Legislativa do Paraná.

“A quem interessa uma notícia que não reproduz a verdade dos fatos? O processo corre em segredo de Justiça. Tenho a certeza que a verdade será reproduzida pelos jornais do Paraná. Se alguém imagina que esse episódio possa, de alguma maneira, me intimidar ou neutralizar pode ter certeza que está perdendo tempo”, afirmou.


8 comentários

  1. Jacinto
    terça-feira, 20 de maio de 2008 – 21:40 hs

    O herói das oposições, o moralista, o paladino da justiça, parece que naufragou…
    Quem sabe, numa de suas crises de moralidade ele diga,tenho tudo a ver com o caso Copel/Olvepar

  2. DURVAL AMARAL
    terça-feira, 20 de maio de 2008 – 22:14 hs

    Esta era a forma de denegrir não a imagem de ROSSONI e sim de “DURVAL AMARAL” que é notório e o concorrente direto a vaga de “CONSELHEIRO DO TC”

  3. maria
    terça-feira, 20 de maio de 2008 – 23:01 hs

    Nossa! Esse Rossoni é especialista em envolver e denegrir a imagem de pessoas sem comprovar. Uma hora ou outra a casa cai!

  4. Palladium
    quarta-feira, 21 de maio de 2008 – 9:46 hs

    Enfim a Gazeta do Povo fez justiça. Foi a Gazetona, como gostam de chamar, que deu primeiro a notícia e soltou a bomba no ar. O O Estado do Paraná só foi atrás. Mas, pelo menos foi.

  5. Marta Bellini
    quarta-feira, 21 de maio de 2008 – 11:07 hs

    Boa notícia.

  6. kakunbang
    quarta-feira, 21 de maio de 2008 – 12:34 hs

    Esse Rossoni que andava com uma Brasilia velha la pelas bandas de Bituruna se deu bem na vida. Agora virou fiscal da população.

  7. Collorido
    quarta-feira, 21 de maio de 2008 – 13:36 hs

    Quem “gosta’ deste collorido é o Toni Garcia, pois sem o seu apoio e o do Collor durante a campanha para que ele fosse eleito deputado o Rossoni talvez ainda fosse apenas um mero professor de matemática em uma escola isolada em Bituruna.

    Quando o Toni “caiu em desgraça” aonde foi parar o Rossoni na hora de prestar a solidariedade?

    Ninguém sabe e ninguém o viu!

  8. Anônimo
    quarta-feira, 21 de maio de 2008 – 16:00 hs

    A gazetona foi a primeira a soltar a bomba mas escondeu os nomes. Por que? Eles colocaram trecho da denuncia na matéria, sinal que tiveram acesso ao documento. E na denúncia constavam os nomes dos deputados…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*