Osmar faz, Requião quer levar a fama | Fábio Campana

Osmar faz, Requião quer levar a fama

Requião repete a manobra com incrível desfaçatez e desenvoltura. Sem pejo, sem ao menos corar, segue o conselho de seu diretor de cena e comete a ignomínia.

Vai em frente e faz de conta que foi ele e não o senador Osmar Dias quem construiu a nova solução que pode acabar com a multa paga pelo Paraná por conta dos títulos podres que ficaram pendentes da privatização do Banestado.

Ora, pois, verdade e respeito não são o forte da casa no Canguiri. Para esclarecer: ao contrário do que diz Requião e sua agência de notícias, foi Osmar Dias quem redigiu a minuta da resolução.

Isso não é tudo. Foi o senador quem articulou as reuniões com o procurador-geral da Fazenda Nacional, Luís Inácio Lucena Adams, o presidente da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, Aloísio Mercadante, do PT, e com o Procurador Geral do Estado do Paraná, Carlos Marés, para exame e aprovação da resolução.

Também foi Osmar Dias quem sugeriu e convidou o senador Valdir Raupp, do PMDB de Rondônia, para ser o relator da proposta da nova Resolução que deverá por fim à multa mensal que a Secretaria do Tesouro Nacional cobra do Paraná.

O senador Osmar Dias não se mostrou surpreso com a atitude do governador. Ao contrário, disse que era exatamente isso que esperava do governador, pois sempre foi esse o comportamento que caracteriza Requião

“Independente do que fala o governador, vou continuar defendendo os interesses do Paraná. Não espero reconhecimento do governador, mas sei que os paranaenses reconhecerão o meu esforço”, diz Osmar.

E depois de tudo Osmar Dias terá que realizar a última tarefa que é a de convencer a maioria dos senadores a aprovar a nova resolução, pois se depender do apreço que os senadores tem por Requião, ela estará previamente derrotada.


4 comentários

  1. sábado, 17 de maio de 2008 – 15:57 hs

    Pobre do cego que não consegue ver esta dupla que não é batman e robin (esta já é conhecida é o Bob e o Fernandinho da sesp),o senador e o governador comeram no mesmo cocho, um é fotocópia do outro,é lobo em pele de cordeiro os dois não são flor que se cheire,são coniventes em tudo rindo da cara do povo….
    Lembrem-se um já foi chefe do outro e já foram também colegas de governo.
    Como é pessoal do SINDISEAB vocês nas próximas eleições vão ter peito de contar as aventuras ditatoriais do senador????
    Ou a política da boa vizinhança não os deixa falar, vocês lembram muito bem do que este sr.fez nos corredores da SEAB.
    Uma pequena pergunta somente, alguém lembra da história das ovelhas importadas do Uruguai???? Aquelas que na primeira chuva desbotaram,estas mesmas.
    Acho que não né,pois, o patrão da época foi reeleito e seu subalterno também.
    SINDISEAB vou cobrar de vocês nas eleições de 2010,e vocês da CODAPAR guardaram bem os documentos e as diárias dadas em US$ para a importação e de quem as recebeu e viajou para comprar as ovelhas?????
    Então 2010 já está aí….
    Como comentei na matéria das compras feitas na empresa da mãe e do marido da sra.secretária da administração , nestes casos o povo deve ingressar com ações individuais para responsabilizar quem enganou e quem engana e faz cara de santinho e qualquer coisa começa a soltar lágrimas de crocodilo,defesa mais desonesta,assumam a merd…que fazem…..2010 está aí….

  2. CLOVIS PENA
    sábado, 17 de maio de 2008 – 16:21 hs

    A situação está sendo criada por uma questão de menor importância. Pirotécnica. Não é hora de partir para confrontos radicais. Na conjuntura, o quadro é imprevisível. Quem imaginava há poucos dias, o vazamento de informações da Casa Civil em Brasilia?Conforme a situação no ano de 2010, alguém acha impossível Requião apoiar Osmar para o governo?

  3. AMILCAR MACEDO JR
    sábado, 17 de maio de 2008 – 19:08 hs

    O SENADOR NA SECRETARIA DA AGRICULTURA – tem uma estória muito
    suja e emporcalhante de um convênio
    com o Governo italiano, será que alguém
    aí na SEAB guardou cópia…o dinheiro
    sumiu…utilizado pelos irmãos………!!!!!!!!!!

  4. Vigilante do Portão
    domingo, 18 de maio de 2008 – 11:34 hs

    Tudo pataquada, decretos, resoluções, reuniões no Senado, arroubos do Requião e do Procurador Greal; Nada disso resolve. Se não incluirem o Itaú no acordo, vai acabar sendo anulado no STF e o Paraná vai amargar mais um precatório para a próxima geração pagar.
    O Fato é que o Itaú tem um acordo assinado pelo Lerner, afirmando que se os estados devedores não quitassem os títulos o Paraná faria o pagamento. O resto é balela.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*