Mauro Moraes defenestrado da CCJ | Fábio Campana

Mauro Moraes defenestrado da CCJ

Como era esperado, o deputado Mauro Moraes já não é representante do PMDB na Comissão de Constituição e Justiça.

Foi defenestrado por ordem do governador Requião, que ficou irritadíssimo com a disposição de Moares de defender um índice de aumento mais alto para o salário do funcionalismo público estadual.

Aliás, Mauro Moraes é daqueles deputados que o governo não consegue enquadrar. Nem na Assembléia, nem fora dela, pois Requião queria Moraes de vice do reitor Carlos Moreira e ele não topou. Para piorar ainda mais as relações, Moraes não economiza elogios ao prefeito Beto Richa.

“Não sou vaquinha de presépio. Meu compromisso principal é com quem me elegeu”, disse Moraes.


6 comentários

  1. João Melon
    terça-feira, 13 de maio de 2008 – 17:08 hs

    Tava mais que na hora do PMDB se livrar do Moraes, ele não acrescenta nada, a não ser para puxar o saco do Beto Richa. Tomara que acionem o conselho de ética, este tipo de gente não acrescenta nada ao partido.

  2. Cajucy Cajuman
    terça-feira, 13 de maio de 2008 – 19:15 hs

    Independente de picuinhas ou de temas mais flamejantes entre Mauro Moraes e o senhor governador, o deputado disse uma coisa certa, muito certa, certíssima: “meu compromisso principal é com quem me elegeu”.

    Perfeitamente. Com esta visão, por certo, é que ele consegue se manter na vida política por tantos anos, enquanto outros se apagam… Fidelidade ao voto, ao eleitor, razão da cadeira – ou seria trono? – parlamentar?

  3. PIUPIU
    terça-feira, 13 de maio de 2008 – 19:39 hs

    até que enfim, alguem com aquilo roxo….

  4. O Gugu na política
    terça-feira, 13 de maio de 2008 – 20:45 hs

    Agora ele vai ter mais tempo em investir nos jovens, pois ele sempre disse que “investir no jovens é investir no futuro”.

    Será que ele está com o Beto por este ser jovem?

    Cuidado Beto!

  5. Marilia de Dirceu
    terça-feira, 13 de maio de 2008 – 21:57 hs

    TEVE CALCINHA RASGADA?

  6. professor
    quarta-feira, 14 de maio de 2008 – 16:39 hs

    Não sei sobre elogios ao prefeito, mas ele foi um dos poucos que tentou implantar as eleições no colégio estadual do paraná. Porque só assim o colégio deixa de ser o covil de políticos que, quando estão no governo, o usam como palanque eleitoral e deixando lá suas crias (diretoras e carguinhos comissionados), pessoas apenas preocupadas em repassar o que o Rei manda, mas nehum pouco preocupadas com sua função.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*