Lupion acusa Requião de boicote aos prefeitos da oposição | Fábio Campana

Lupion acusa Requião de boicote aos prefeitos da oposição


O deputado Abelardo Lupion, do DEM, anda de maus bofes com o governador Requião. Recebe muitas queixas dos poucos prefeitos que continuaram fiéis aos partidos de oposição que se sentem boicotados pelo governo.

A paciência extravasou quando Requião barrou recurso do programa Paraná Cidade para Santo Antônio Platina. Tudo já tinha sido aprovado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e o dinheiro para a pavimentação de ruas só não saiu por ordem expressa do governador.

Não há novidade nesse comportamento. Requião fez isso com Curitiba, boicotando todos os recursos que já tinham sido liberados para cidade depois que o prefeito Beto Richa se negou a apoiar sua reeleição.

Depois de cumprir todas as etapas burocráticas para conseguir um empréstimo de R$ 2505 milhões do Programa Paraná Cidade para pavimentação e melhorias de toda a Vila Claro e de algumas ruas dos bairros Aparecidinho I, Vilas São Pedro e Dom Pedro II, o projeto do prefeito Pedro Claro de Oliveira Neto (DEM), de Santo Antônio da Platina acabou encontrando sua maior dificuldade na má vontade política do governador do Estado, Roberto Requião (PMDB), que barrou a iniciativa em sua última etapa. Segundo o coordenador do Democratas no Norte Pioneiro João Naime Neto, o prefeito Pedro Claro chegou a se irritar com a situação a ponto da indignação. “Ele cumpriu todas as etapas exigidas pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano, inclusive as certidões negativas de débitos, que há muito tempo o município não conseguia. Na semana passada o prefeito levou toda a documentação para o escritório regional do Programa Paraná Cidade, em Londrina. Lá tiveram a coragem de pedir a ele uma declaração do próprio punho afirmando que o município contava com coleta diária de lixo. Isso foi a maior demonstração de má vontade política que poderiam ter dado”, afirmou Naime.

De acordo com o coordenador regional inconformado com a interminável imposição de obstáculos, o prefeito Pedro Claro de Oliveira foi pessoalmente à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano, em Curitiba e no local ficou sabendo que mesmo tendo vencido positivamente todas as etapas do projeto, não seria aprovado porque o governador não iria beneficiar um prefeito da sua oposição. Naime argumenta que o dinheiro disponível não é do governador. É proveniente dos impostos pagos pela população e que o governador tem apenas que gerir esses valores, jamais discriminar esse ou aquele prefeito por conta do partido político. “Quando os recursos dos impostos chegam, ele não quer saber se quem pagou é desse ou daquele partido. Então, na hora de redistribuir, também não pode existir essa diferença. Será que os governantes são eleitos pela população ou pelos interesses partidários.”, desabafa o coordenador do DEM. João Naime.

De acordo com Naime o Demcratas não vai deixar o prefeito de Santo Antônio na mão. “Mais importante que o governador é a população e, portanto, essa obra, tão esperada pelo povo, vai sair com recursos próprios”, arremata.


2 comentários

  1. quinta-feira, 22 de maio de 2008 – 16:42 hs

    Isso não é novidade. Esse boicote a Curitiba e Santo Antonio da Platina, também acontece aqui em Paranavaí. Muita gente esclarecida sabe que o Requião só faz política, não administra. Quem não está do lado dele, não é adversário político, é inimigo. Pena que o povo não saiba fazer a leitura correta das notícias. Se soubesse, esse político (Requião) já estaria rifado há muito tempo. E ele ainda pensa em sair candidato a pres.da República em 2.010. Se por um milagre, ganhar essa eleição, aí vai ser o fim do Brasil. Graças a Deus, esse milagre não vai acontecer.

  2. kakunbang
    quinta-feira, 22 de maio de 2008 – 20:44 hs

    Esse Abelardo Requião, eu ainda não conhecia mas a cara dele parece de alguém muito ligado a elite e aos latifundiarios ele não seria parente do Abelardo Lupion, já que se parecem tanto.he, he, he,

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*