Conselho da Paraná Previdência manda tudo para o Ministério Público | Fábio Campana

Conselho da Paraná Previdência manda tudo para o Ministério Público

Quando todos esperavam panos quentes no imbróglio da Paraná Previdência, a reunião do Conselho de Administração pôs gasolina na fogueira. Em vão o diretor financeiro Mário Lobo tentou um voto de confiança que atestasse a regularidade nas contas da instituição.

Perdeu feio. O conselheiro e desembargador aposentado Munir Karam deu o contra. Quer o parecer de uma auditoria independente para saber se as aplicações foram regulares e não deram prejuízo à instituição, pois foram feitas sem autorização do comitê de investimentos.

Agora tudo vai também para o Ministério Público, mais especificamente para a Promotoria de Defesa do Patrimônio. Os conselheiros querem tudo passado à limpo e proibiram que as aplicações fiquem sob a responsabilidade de apenas uma pessoa, no caso o diretor Mário Lobo Filho. Tudo porque Lobo aplicou R$ 500 milhões no UBS Pactual, Bradesco e Unibanco.


5 comentários

  1. almir serpa
    quinta-feira, 29 de maio de 2008 – 19:46 hs

    POR QUE? POR QUE? A MUDANÇA QUE O ROBANELLI FEZ NA LEGISLAÇÃO DA PARANÁ PREV? TEM QUE PENALIZAR TODOS OS DIRETORES POR GESTÃO FRAUDULENTA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  2. jango
    quinta-feira, 29 de maio de 2008 – 21:46 hs

    Só temos que aplaudir o desembargador Munir Karam.
    O Parquet cheio de prerrogativas, régios salários pagos pelo povo (incluídos os funcionários públicos, beneficiários do ParanaPrev) e calhamaços de leis e normas está aí para isso mesmo – exercer o controle do poder público e passar a limpo as denúncias de irregularidades.
    A lei de improbidade administrativa está a beira da revogação por falta de uso no Estado contra o centro do poder – não é possível continuar nesta anomia.

  3. CLOVIS PENA
    sexta-feira, 30 de maio de 2008 – 5:15 hs

    A notícia é bem vinda e representa um conforto
    ao cidadão assustado com os fatos relatados em relação à Paraná Previdência. Quando sugerimos uma auditoria independente neste Blog foi para respaldar medidas de saneamento necessárias em função de eventuais abusos. Apontamos a discrepância entre os critérios para compra de remédios de uso contínuo para os portadores de doenças crônicas e a possível liberalidade para as aplicações de milhões do fundo de previdência dos aposentados. Antes do Ministério Público e do Judiciário, ainda há o que esclarecer no âmbito administrativo do Executivo.

  4. theofilo araujo
    sexta-feira, 30 de maio de 2008 – 10:16 hs

    CINISMO E FALTA DE AMOR À PÁTRIA: a quadrilha da família maldita soltou foguetes com a nomeação do novo dirigente do MINISTERIO PUBLICO; para agradar o TRIBUNAL DE JUSTIÇA a família maldita deixou o DESEMBARGADOR brincar de GOVERNADOR por poucos dias, como forma de cooptar a Justiça, sem falar na moeda de
    troca do novo centro judiciário. então,chega!!!!
    ACORDA PARANÁ’!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  5. kakunbang
    sexta-feira, 30 de maio de 2008 – 13:18 hs

    Theofilo como voce é baixo e rasteiro o que voce diria se a tua familia fosse tratada como maldita. Faça oposição ao Goveno mas com argumentos mas não com magoa, inveja, rancor o que so te leva ao ridiculo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*