O tucano Hauly visita Requião | Fábio Campana

O tucano Hauly visita Requião

Reunião inusitada, ontem, no Palácio das Araucárias. Requião recebeu a visita do deputado tucano Luís Carlos Hauly para ouvir a sua proposta de redução do ICMS para produtos alimentícios e de primeira necessidade no Paraná.

Hauly foi acompanhado do ex-prefeito de Londrina, Dalton Paranaguá. Os dois foram recebidos por Requião, os secretários Heron Arzua e Nestor Bueno e o procurador Geral do Estado, Carlos Marés.

Requião e sua trupe concordaram com a proposta de Hauly, que pode antecipar no Paraná o que virá com o IVA – Imposto de Valor Agregado na Reforma Tributária.

Sobre política, além das farpas de Requião contra os senadores Alvaro e Osmar Dias, os sinais de acordo entre tucanos e PMDB em Londrina. Se não no primeiro turno, no segundo, como espera Hauly.


6 comentários

  1. jango
    quarta-feira, 23 de abril de 2008 – 10:55 hs

    Eleições são sempre unguëntos para todas as farpas passadas e presentes. Não as futuras.

  2. Vigilante do Portão
    quarta-feira, 23 de abril de 2008 – 12:16 hs

    Vem aí mais um embuste.Trata-se de um aumento de imposto, travestido em benefício.
    Explico:Vão aumentar as alíquotas da telefonia, energia elétrica e dos dombustíveis. Para compensar as perdas de arrecadação dos alimentos e de roupas.
    As alíquotas já são elevadíssimas, tomando-se por base o que manda a constituição federal no que tange a “ESSENCIALIDADE” dos bens e serviços. Cobrar 30%(sim, o cálculo é por dentro) de imposto de energia elétrica, mesmo de telefonia e de combustíveis é uma afronta ao mandamento constitucional. Ou energia não é esencial? Combustpivel ou telefonia, não são bastante importantes para a vida das pessoas?
    Ademais, esses produtos e serviços, nos últimos anos tiveram aumento de valores e acréscimo de consumo acima da inflação; E tudo indica que vão continuar aquecidos por bastante tempo ( um aumento dos derivados de petróleo vai ser implementado logo após as eleições). No caso do telefone, está mais do que evidente o aumento do uso e do imposto, por conseguinte. Quanto aos combustíveis basta ver o aumento da frota.
    Então, é mais um arrocho n sofrido povo do Paraná.

  3. Paulo de Souza
    quarta-feira, 23 de abril de 2008 – 14:19 hs

    Até que enfim o Requião concorda com o Hauly. Já era tempo. Afinal da merda que é a classe politica o Hauly é dos poucos que se salva. Alem de preparo politico, tem preparo na questão economica e tributária. O que faz verdade o ditado: na terra de cego quem tem um olho é rei. Afinal dos 512 deputados federais e dos 54 estaduais não tem 10 que sabe ler e decifrar um orçamento publico ou o tema tributário. Só dá arigó e malandro.

  4. 2010
    quarta-feira, 23 de abril de 2008 – 14:29 hs

    O Hauly não é aquele fiel escudeiro do Alvaro Dias ?

  5. jango
    quarta-feira, 23 de abril de 2008 – 14:46 hs

    Vigilante do Portão:
    Você tocou num ponto de interesse público. É que os inusitados visitantes e visitados não contam toda a história. Alguma vez o fazem ?
    Explico: só enfatizam que vão diminuir impostos e não a sua contraparte que vão aumentar alíquotas, tudo para não perder receita, quiçá, se puderem, até aumentá-la.
    Logo virão declarar “o Paraná antecipa reforma tributária ! Estamos desonerando o povo para comprar o pão e a roupa do corpo ! ”
    Enfim, estamos em clima de eleição e a demagogia está solta. Dão com uma mão e tiram com a outra, como sempre fizeram.

  6. Mais um bem para PR
    quarta-feira, 23 de abril de 2008 – 15:04 hs

    A visita de dois líderes é institucional. O que ocorre no Paraná é que ninguém respeita o Requião e suas piadinhas rídiculas. Agora a proposta do Hauly é boa. Desonera os bens de primeira necessidade e aumenta a distribuição de riqueza ao povo.
    Reduzindo alíquotas aumenta a arrecadação com o desempenho da economia. O quinto estado do País em economia merece um tratamento melhor.
    Parabéns, Hauly.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*