Vai dar segundo turno? | Fábio Campana

Vai dar segundo turno?

Os matemáticos de todos os partidos tentam calcular o que é impossível responder antes da eleição de outubro. As candidaturas de Rubens Bueno e Ratinho Junior à prefeito conseguirão garantir a realização de segundo turno nas eleições de Curitiba?

Ora, pois, nos arraiais de Paulo Bernardo, Ângelo Vanhoni e Tadeu Veneri há certeza de que a disputa terá mesmo duas rodadas, pois a aritmética do PT não concebe outro resultado diante da penca graúda de candidatos. Para tirar 50% mais um dos votos válidos de Beto Richa concorrem, além de Gleisi, Bueno e Ratinho, Fábio Camargo, Ricardo Gomide e Carlos Moreira. Sem contar as ameaças de Osmar Bertoldi e Wilson Picler.

A situação passou a provocar outra inquietação nas hostes de Jorge Samek. O desafio, além de levar a eleição para o segundo turno, implica em levar Gleisi para disputar a batalha final. Pois, pois, acontece que os candidatos que enchem Gleisi Hoffmann de esperanças pelo segundo turno, a inflam de medo de perder o passo para um deles.

A grande incógnita é o cacife eleitoral de Ratinho Junior. Ele vem sem desgaste de eleições anteriores, cheio de gás e proteção do pai, o apresentador de teve Ratinho, nome absolutamente conhecido por todos os curitibanos das classes A a Z.

Rubens Bueno sempre teve um limitador que não lhe permitiu sonhar com desempenho que ultrapasse os 20% dos votos. Os especialistas dizem que ele deve repetir o feito pela metade, no máximo. Já o Ratinho Junior poderá incomodar a Gleisi, o Beto e todos os outros sonhadores, dizem os cientistas políticos e marqueteiros.

O otimismo do PT melhora um tanto na medida dos bons índices de Lula e seu governo. Até, porque, o PT nativo não acredita nas previsões de Marcos Coimbra, o especialista em pesquisas do Instituto Vox Populi que garante que Lula não consegue transferir votos para seus candidatos nas grandes cidades.


3 comentários

  1. Vigilante do Portão
    domingo, 30 de março de 2008 – 10:04 hs

    Caiu a ficha lá pelas bandas do PT. ao estimular candidaturas com a finalidade de provocar segundo turno, correm o risco de dividir tanto o bolo que a maior fatia pode ficar com o Rubens Bueno ou com o Ratinho.
    Não vai adiantar a D. Gleise e seu marido aparecerem constantemente na Gazetona.

  2. Miranda
    domingo, 30 de março de 2008 – 11:57 hs

    estas candidaturas vão proporcionar boas chances aos candidatos a vereador das legendas…muita novidade na Camara pra próxima legislatura…um exemplo deve ser a eleição do Paranista Nelo apoiado pelo Gomyde…

  3. Felipe
    domingo, 30 de março de 2008 – 20:37 hs

    Qual a vantagem que o eleitor teria em decidir uma eleição em primeiro turno podendo optar por uma escolha mais segura em dois turnos?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*