Justus admite erro formal sobre gabinete de Richa na Assembléia | Fábio Campana

Justus admite erro formal sobre gabinete de Richa na Assembléia

O presidente da Assembléia, Nelson Justus, reconheceu erro gravíssimo no registro burocrático da Casa que eroneamente lotou funcionários em gabinete inexistente de Beto Richa. Ele enviou ofício nesses termos ao prefeito, hoje.

Para entender o imbróglio: em 31 de dezembro de 2000, Beto Richa renunciou ao mandato de deputado para assumir a prefeitura de Curitiba, na licença do titular Cássio Taniguchi. Em 3 de fevereiro, a Executiva da Assembléia demitiu todos os servidores do gabinete de Beto Richa a partir de 1 de janeiro e extinguiu o gabinete. Em 1 de fevereiro, três ex-funcionários do gabinete de Beto Richa foram nomeados na presidência da Assembléia: Luís Abi, Robson Teixeira e Natalina da Cunha Inácio.

Houve erro formal, diz o presidente Justus. Não houve prejuízo para a Assembléia. O erro é corrigido com a republicação correta de todos os atos da Executiva.


2 comentários

  1. Martinho
    sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008 – 0:08 hs

    Esperavam outra coisa? Os políticos sempre arrumam uma desculpa para tudo. lembram da sogra do Ezequias? Foi culpa do morto. Agora foi um erro de registro burocrático

  2. Pedro
    sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008 – 8:18 hs

    É muito pequena a “distância”entre o analista e sua opção política. Aliás há milhões de provas de que independência e imparcialidade no jornalismo nativo é ficção. É mais ou menos como “Batman e Robin”, bonitas cenas e trajes, explosões… e a verdade sempre de um lado.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*