Cavalar | Fábio Campana

Cavalar

O Nêgo Pessôa, assim, ornado de circunflexos, enviou este genial texto sobre a corte de Requião, o reisinho que se queria épico e provou ser apenas hípico. Se em Portugal, diria que essa prosa em poema de Pessôa é bestial.

PETÁCULO

Dos grandes espetáculos da terra
é observar a legião de aspones a lutar pelo privilégio de calçar as botas hípicas do Requião!
E no Requião, claro.

PRECEDENTE

A corte de Luiz XIV, rei sol,
testemunhava o cotidiano cocô de sua majestade.
A corte, não;
só os ungidos,
os happy fews.

Isso é Lênin puro,
sendo lênin o mais elitista dos bandidos:
sua frase,
poucos mas bons.

APOSTA

Chegaremos a essa
apoteose no Cangüiri,
Versalhes du roi robert,
le hippique?
Ou seria
le cavalier?

IDÉIA

Quem fará a paródia
dos “Cavaleiros da Távola Redonda”,
do mítico rei Arthur?

Título:
“OS CAVALOS DO REI ROBERTO”.

QUE TAL?

Bom começo seria:

Depois de Cristo reunir doze apóstolos
e Carlos Magno seus”doze pares de França”,
o governador Roberto Requião,
o hípico,
em quatro anos
de cavalar mandato,
reuniu doze cavalos no seu
haras, no Cangüiri,
propriedade
nominalmente
pública.

PATRIMONIALISMO

A mistura do público com o privado,
o uso do patrimônio público
como coisa privada,
tem nome lá em Irati:
patrimonialismo.

O patrimonialismo brasileiro
vai bem, obrigado;
tem quase 500 anos
de glorioso passado,
e futuro muito promissor.
O governador é apenas mais um exemplo.

CRÉDITOS

Criação de Max Weber,
o conceito de patrimonialismo
foi superiormente utilizado
pelo Faoro em
“OS DONOS DO PODER”,
luminoso apesar da prosa obscura.

EN PASSANT

Marx não tem nada
a dizer sobre o Brasil,
não nos ajuda a entendê-lo;
ao contrário!
Já Weber…

PATADAS

Roberto gosta tanto de cavalos
que os transformou na sua única,
permanente fonte inspiradora:
os três anos à frente da Prefeitura,
os três anos do primeiro mandato como governador,
os quatro anos do segundo mandato como governador
e esses 13 meses do seu terceiro mandato como governador,
não constituem propriamente uma gestão.
Na verdade,
eles podem ser caracterizados
como uma sucessão de patadas!

FERRADURA OU COICE DE MULA?

E são tantas as patadas
que talvez o melhor símbolo
da era Requião seja uma ferradura.
Ou um coice de mula,
pois não há obras a aplaudir,
idéias a esposar,
ideais a apoiar,
ações dignas dos anais,
exceto dos lixos das histórias
política,
cultural,
moral.

Vai pro trono
eqüestre
ou não vai?
É esse?
Terezinhaaaa.
Roda! Roda!


11 comentários

  1. jango
    quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 – 10:05 hs

    Nêgo Pessôa:

    Acho que vai, se já não foi. Até porque no reino eqüestre não se paga pedágio.

  2. El Kabong
    quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 – 10:11 hs

    Um conhecido do requiào, dos que foi seu amigo, disse-me que a melhor distância para se manter dele é a distância de um coice…

  3. QUERO O MEU!
    quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 – 10:45 hs

    E ai Cirino, vai tudo bem na “base” da Princesa Isabel, 930?

  4. jorge cirino
    quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 – 10:50 hs

    Desculpe Campana mas não entendi mesmo….

  5. Beleza Pura
    quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 – 10:56 hs

    Beleza de texto… o comentário do MX – Patrão do Irmão sobre o Pisseti é melhor ainda.
    Mas o pior é ler no Valor Econômico que Requião auxiliou o MOPOCO do Paraguai.
    De Paraguai ele entende ‘muy poco’ e por isso apóia General Oviedo, Padre Lugo, General Andréz Rodrigues, ou qualquer outro.

  6. jorge cirino
    quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 – 11:16 hs

    Sua fonte tá furada Campana, sei onde fica a Princesa Izabel, mas o número nem faço idéia onde sja, informe-se melhor amigo, moro pra outras bandas, mais pro “norte” …

  7. QUERO O MEU!
    quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 – 11:28 hs

    O CIRINO FICOU PREOCUPADO!

  8. jorge cirino
    quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 – 11:41 hs

    Não, eu sou tão insignificante que é impossível saber quem sou, não preciso preocupar-me.

  9. Antonio
    quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 – 16:02 hs

    Dizem que todo fim de tarde os relinchos de lamento explodem em direção ao térreo da Assembléia!

  10. Shirley
    sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008 – 1:00 hs

    Na verdade, sem mentira alguma, voces, nós, desta coluna é que parecemos equinos…
    Nós é que vamos para o trono equestre…
    Requião vai mesmo é para Brasilia e se assentará no trono de Lula..
    E reinará com muito mais pompa que Luis XIV, que Rei Arthur, que Carlos Magno, etc…
    Será Rei Roberto I,
    Não é D + ???

  11. asdrúbal guimarães
    sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008 – 8:41 hs

    O Nêgo Pessoa continua ativo e a sua inteligência brilha, como sempre, dotada dessa verve divertidíssima, que tão bem faz a este Estado circunflexo. Legal, Nêgo, muito legal o perfil que você criou para o Duce.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*