Vida boa | Fábio Campana

Vida boa

O repórter Abraão Benício, do Jornal do Estado, estragou o café da manhã dos palacianos. Publicou matéria substanciosa sobre os gastos do gabinete do governador Roberto Requião que alcançaram R$ 69 milhões em 2007. O dobro do que foi aplicado pela Secretaria de Obras, que não chegou a R$ 35 milhões.

Nessa conta entram os gastos pessoais de Requião e família. Dos vinhos consumidos à manutenção da piscina do Canguiri. Haja impostos e taxas para pagar tudo isso.


2 comentários

  1. CORJA PANÇUDA
    terça-feira, 15 de janeiro de 2008 – 15:26 hs

    Lamentável…

  2. Para o debate
    terça-feira, 15 de janeiro de 2008 – 17:16 hs

    Íntegra do esclarecimento enviado ao JE e publicado nesta terça-feira:

    A Casa Civil do Governo do Estado esclarece que os gastos relacionados no site Gestão do Dinheiro Público, na seção “Governadoria”, referem-se a execução de orçamento que vai além dos gastos do gabinete do governador. O valor total de R$ 69 milhões engloba as despesas de 4 secretarias – além da Governadoria, Vice-Governadoria e assessorias especiais – que são centralizadas, por uma questão técnica, em única contabilidade.
    Estão entre os valores descritos no site os gastos da Casa Militar, Casa Civil, Secretaria para Assuntos com a Comunidade – incluindo a execução do programa Paraná em Ação – Ouvidoria, Cerimonial, Governadoria, Vice-Governadoria e as assessorias e secretarias especiais como a de Controle Interno, que não têm estrutura de uma secretaria comum, mas geram alguma despesa de expediente que está incluindo na contabilidade destacada no site.
    Também está descrita nessa contabilidade a rolagem de uma dívida da Cohapar com a União – referente ao financiamento de programas de habitação – que representou no ano passado o “gasto” de R$ 33 milhões. Para a Cohapar ainda está inscrita a transferência de R$ 16 milhões para os programas Casa da Família Urbana, Casa da Família Rural e Casa da Família Indígena.
    A comparação com orçamento da Secretaria de Obras é inviável. Os gastos descritos são de 4 secretarias e a Secretaria de Obras administra, em suas ações, recursos de outras pastas e, portanto, tem orçamento “reduzido” diante das obras que participa.
    A Casa Civil ressalta ainda que o site Gestão do Dinheiro Público é uma iniciativa desta administração e tem o objetivo de tornar as contas públicas mais transparentes. Para tanto, cada despesa tem seu número de empenho e outros dados que podem fornecer detalhes sobre determinado gasto para que não ocorram interpretações errôneas para críticas superficiais.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*