O povo não é bobo | Fábio Campana

O povo não é bobo

Deu no fígado do Requião. Metade da população não confia no homem, Outros 11% têm ressalvas. Nessa toada, Requião corre o risco de terminar o governo com dificuldades para sair à rua, mostra a pesquisa publicada pela Gazeta do Povo, no domingo, realizada pela Paraná Pesquisa do Murilo Hidalgo.

A leitura da pesquisa foi ainda mais doída para Requião quando constatou que o prefeito Beto Richa tem a confiança de 69% da população, índice invejável para qualquer político.

Aliás, a maioria dos políticos vai mal das pernas. Segundo a Paraná Pesquisas, 80% não confiam nos partidos políticos e 71% não acreditam no Congresso Nacional. Pior do que a imagem dos políticos só mesmo a dos cartolas do futebol que, na verdade, também são políticos que atuam nessa área específica que mexe com o emocional da absoluta maioria dos nativos.

Pasmem, senhores, 82% da população não confiam nos dirigentes do nosso futebol. É verdade que para isso devem ter contribuído a recente prisão do pre-sidente da Federação, Onaireves Rolim de Moura, por falcatruas, e os desempenhos chinfrins dos clubes paranaenses.

Mas nem tudo provoca desconfiança nos cidadãos desta área do planeta. O Corpo de Bombeiros, por exemplo, tem 97% da confiança da população. Os Correios, passado o período de desgaste pelo envolvimento de diretores no mensalão, voltaram a ter a confiança de 94%. A Prefeitura de Curitiba tem 70% da confiança dos curitibanos.

A imprensa não está mal na fotografia: 68% confiam nas emissoras de rádio, 57% nos jornais impressos e 59% nas emissoras de televisão.

Resumo da ópera: Requião está na contramão. Tudo o que ele agride e tenta desmoralizar ganha a confiança da população. Já a sua própria imagem não é a de um cidadão de quem se recomendaria comprar um carro usado. Ou um televisor alaranjado. Como se vê, o povo deixou de ser bobo e não embarca em conversa de qualquer político.


4 comentários

  1. jango
    segunda-feira, 14 de janeiro de 2008 – 13:52 hs

    Brecht exultaria a se confirmar que o povo está mudando sua percepção.
    Dizia ele: “Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural nada deve parecer impossível de mudar.”
    O povo é o rei, a sua vontade está escrita nas leis. Os políticos são os seus prepostos, seus mandatários, devem cumprir a vontade do povo escrita nas leis. Não deve parecer natural que os políticos se apropriem do Estado e desviem-no de sua finalidade. O Paraná é patrimônio do povo, não dos políticos eleitos pelo povo. Ninguém, em sã consciência, entregaria seu patrimônio a um preposto ou mandatário para que o mesmo não o cuidasse adequadamente. A confiança é tudo, razão dos bombeiros serem os mais confiáveis, é a vida que eles garantem. Os políticos são prepostos do povo para garantir a vida saudável do Estado. Se os mandatários falham devem ser corrigidos ou afastados, porque o erário não é sustentado pelo dinheiro suado do povo para pagar passivos milhionários de má gestão dos mandatários, enquanto faltam os serviços de segurança, educação, saúde e outros. O povo que deixe de ser bobo fora das estatísticas, pense no poder e principalmente no custo de seu voto quando for às urnas. Ali, na urna, o povo vai tirar a sua foto de bobo ou de senhor do patrimônio do Estado. Nada é impossível de mudar, dizia o velho e oportuno Brecht.

  2. José Carlos
    segunda-feira, 14 de janeiro de 2008 – 14:23 hs

    Infelizmente, com escreveu Bobbio, “democracia não é método de escolher os melhores, é método de se evitar que os piores se perpetuem no poder.”

  3. Despedida
    terça-feira, 15 de janeiro de 2008 – 10:23 hs

    Fim de jogo para o Sr. Poltrão!

    Fora Requipotrão!

    Não é por falta de adeus…

  4. shirley
    quarta-feira, 16 de janeiro de 2008 – 11:15 hs

    BOBO É VOCÊ FÁBIO, QUE ESPERAVA QUE NUMA PESQUISA DA GAZETA DO POVO PUDESSE DAR ALGUM RESULTADO FAVORÁVEL PARA O GOVERNADOR.
    Se desse resultado favorável eles nem publicariam.
    Ou…. será que não deu ?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*