Deixa o homem falar | Fábio Campana

Deixa o homem falar

Não participo das comemorações pela decisão judicial que impede Requião de dizer o que quer na TV Educativa. Qualquer que seja a justificativa, a medida cerceia o direito de expressão do governador e esse é um péssimo sinal para quem prefere a liberdade, ainda que ela seja usada para emporcalhar o mundo, como faz o Requião.

O desembargador Edgard Lippmann Júnior alega que há desvio de função no uso da TV Educativa. Nada mais óbvio. A TV Educativa não educa. Deseduca. Mas essa é a marca deste governo em todas as áreas. Reflete a compreensão de Requião sobre o Estado. Acredita ele que ao vencer as eleições ganhou o Estado para uso pessoal. Por isso mesmo emprega todos os parentes e procura tirar todos os proveitos possíveis do que o Estado possa lhe oferecer. E o faz sem pejo, sem pudor, sem constrangimento.

Em vez de impedir o Requião de dizer besteiras, agredir adversários e fazer autopromoção, num espetáculo ridículo que agride consciências e envergonha os paranaenses com formação mínima, o que devíamos ter é uma Justiça mais eficiente, mais ágil, capaz de remediar os atingidos, caso a caso, com eficiência.

Quanto à influência perniciosa que Requião pode exercer sobre a sociedade ao usar a TVE para propalar besteiras, é bom perceber que o povo sabe muito bem do que se trata. Basta ver os índices de audiência da TVE e especialmente da escolinha das terças. Ninguém vê. Ninguém ouve, com excessão da patologia social que adora a loucura dos loucos, dos burocratas, da esquerda funcionária e dos jornalistas que cobrem a política e são obrigados a acompanhar o que diz o homem.

A escolinha das terças, ou terça insana, como a chamou o nosso humorista Solda, deixou de ser novidade. Lembra hoje aqueles circos decadentes do interior que não conseguem renovar as atrações. O anão cresceu, a mulher barbada perdeu os pelos, o leão já não tem dentes e a vedete principal perdeu o viço, ganhou barriga e já não consegue chamar a atenção. O show é péssimo, os atores são de quinta categoria, mesmo assim defendo o direito de que se continuem a se apresentar. Até o amargo fim, que tem data marcada, o das eleições de 2010.


6 comentários

  1. José Carlos
    quarta-feira, 9 de janeiro de 2008 – 12:13 hs

    Se o governador comprasse espaço na TV para agredir, denegrir, fustigar, ter espasmos e babar, o problema seria dele, e eu também defenderia seu direito de livremente expressar suas asneiras. Todavia, utilizando-se de um espaço público, custeado com impostos, monopolizado, e que não oferece a mesma oportunidade aos atingidos e ofendidos, a decisão judicial foi acertada. A historia lembra a fábula de quem queria a liberdade apenas para matá-la…

  2. jango
    quarta-feira, 9 de janeiro de 2008 – 16:29 hs

    A liberdade de expressão é direito humano universal, e você, Fabio, o está exercendo no seu site e nós, comentando, também. Mas quando entramos no âmbito do público e do privado existe distinção. Enquanto o gestor privado pode fazer tudo aquilo que a lei não proibe, o gestor público somente pode fazer o que a lei permite. O gestor público, diz-se, não tem vontade, a sua vontade é o que está expresso em lei. O governador, ao tomar posse, não jurou sobre a Constituição cumpri-la e também as leis vigentes ? Pois então que as cumpra ! Um serviço público não pode ser colocado à disposição das idiossincrasias do gestor público de plantão; há desvio de finalidade. Como houve desvio de finalidade no intento da desapropriação da Syngenta, lembram ? Aqui não vige o meio justifica o fim, mas o fim deve ser justificado pelo meio. A decisão é acertada, Fabio. Desacertado é o governador. Agora vai ter que acertar o seu passo, está enquadrado pela Justiça. Por favor, louvemos a decisão judicial enunciada pelo Desembargador Lippmann, porque não temos tido exemplos semelhantes de outras autoridades de controle público estaduais cheias de prerrogativas, régios salários e calhamaços de leis e normas em face dos descalabros do governo denunciados à saciedade pela mídia. Começamos bem 2008 !

  3. Edneia Fraga
    quarta-feira, 9 de janeiro de 2008 – 18:30 hs

    Ainda para ajudar um arranca rabo no final do ano entre integrantes do programa esporte educativa…retirou a turma do PC do B que lá abitava, detalhe, o programa´era o de maior audiencia.

  4. Vítima Vitimada
    quinta-feira, 10 de janeiro de 2008 – 9:32 hs

    Que pena…

    Deveriam deixar o Requipotrão à solta, cometendo sandices mil, para entrar de vez para o latão de lixo da história.

    Agora pode sair do lodo como vítima.

    Uma vítima podre e triste, mas ainda assim vítima.

  5. Romualdo
    quinta-feira, 10 de janeiro de 2008 – 16:42 hs

    Parabéns ao Jango pela clareza do raciocínio e a forma didática como se expressou.

  6. CEO
    sexta-feira, 11 de janeiro de 2008 – 9:09 hs

    O homem vai acabar falando e vai ser multado. Ele vai pagar a multa com o nosso dinheiro?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*