Baixo astral | Fábio Campana

Baixo astral

Requião passa por mau trecho. Só recebe notícias ruins. Daquelas que o deixam de maus bofes e faz a famulagem sair de perto, com medo das reações destemperadas do homem.

Num dia, a decisão judicial que o impede de usar a TVE para achincalhar os desafetos e falar bem de si mesmo e dos manos. No outro, a Secretaria do Tesouro Nacional mantém a cobrança da multa mensal de R$ 5 milhões por conta dos títulos podres repassados ao Itaú na privatização do Banestado.

Só ontem, o presidente do Senado, Garibaldi Alves, mandou a resolução que isenta o Paraná de pagar a multa para a Secretaria do Tesouro Nacional. Mesmo assim, a noticia levou Requião aos pés. Sua esperança agora é a de que o mandado de segurança impetrado no STF pelo presidente do Senado, Garibaldi Alves, seja aceito e faça valer a resolução proposta pelo senador Osmar Dias. Até lá, continua pendurado.

A verdade é que ninguém esperava o cumprimento imediato da resolução aprovada pelo Senado, em dezembro. O autor da resolução, senador Osmar Dias, cansou de alertar que ela poderia esbarrar em recursos jurídicos da União.

O novo impasse só agrava as relações entre Requião e o governo Lula. Ele esperava que a resolução fosse aplicada imediatamente, como sugeriu Jozélia Nogueira, ex-Broliani.

O secretário da Fazenda, Heron Arzua, vê a necessidade de pareceres de juristas respeitados para ajudar a convencer a Secretaria do Tesouro e obter uma solução administrativa. Caso contrário, a pendenga vai desaguar no STF, onde a advocacia do Paraná terá de provar a constitucionalidade da resolução.

Diante de tantos insucessos, cabe a pergunta: não estaria o Duce colhendo o que plantou, com a ajuda da família, nos últimos meses?


Um comentário

  1. domingo, 13 de janeiro de 2008 – 9:59 hs

    O velho ditado: “Quem semeia ventos colhe tempestades…” cai como uma luva para o governador Requião. Está provando do próprio veneno…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*