Surtou, dançou | Fábio Campana

Surtou, dançou

O blog de Rogério Distefano conta pedagógica passagem de assessor de alto coturno de Requião que deu um carteiraço no aeroporto Afonso Pena, irritado com o atraso de seu vôo para São Paulo, onde pretendia ver o Corinthians jogar.

O assessor é José Benedito Pires Trindade. Foi condenado pela 10a Câmara Cível do Tribunal de Justiça a pagar indenização ao funcionário da enpresa de uma companhia de aviação que agrediu fisicamente depois de interrogá-lo com o clássico argumento da autoridade que quer fazer valer seus privilégios: “você sabe com quem está falando?”

Além de atirar o telefone celular no funcionário, Benedito saiu aos socos e pontapés, indignado porque o rapaz teria insinuado que ele é burro.Ora,pois, o castigo imposto a “otoridade” por perder as estribeiras são a multa, a perda da condição de réu primário e o registro da soberba e do destempero em sua biografia.


5 comentários

  1. José Carlos
    terça-feira, 4 de dezembro de 2007 – 14:53 hs

    Este é o nível da corte das araucárias… Redez de chaussez…

  2. José Carlos
    terça-feira, 4 de dezembro de 2007 – 14:57 hs

    Correção: rez-de-chaussez….

  3. PROFETA DO CALIPSO
    terça-feira, 4 de dezembro de 2007 – 14:59 hs

    É a cara da trupe requianista:

    FAÇA O QUE EU DIGO, NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO

  4. leitor
    terça-feira, 4 de dezembro de 2007 – 21:35 hs

    empresa não é con “n”

  5. Jurandir Costa
    quarta-feira, 5 de dezembro de 2007 – 12:58 hs

    recordando

    Ação em família
    Antigo militante da moralidade pública, o governador Roberto Requião (PR) está mais flexível. Sua mulher Maristela dirige o Museu Oscar Niemeyer, o irmão Maurício é o secretário da Educação, o superintendente do porto de Paranaguá é o irmão Eduardo e sua irmã Lúcia, cujo filho João José ocupa DAS na Secretaria do Esporte, é a presidente do programa de Voluntariado.
    13/06/2003 | 0:00

    Exemplo de cima
    Os secretários estaduais do Paraná seguem o exemplo do chefe Requião: o assessor Benedito Pires Trindade é acusado de empregar três sobrinhas e um irmão, José Tarcisio, que não é visto no local de trabalho, a Secretaria de Ciência e Tecnologia. O secretário de Comunicação, Airton Pissetti, que tem uma empreiteira, deu emprego para filha, sobrinha e até para uma vizinha

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*