Richa sobe, Requião cai | Fábio Campana

Richa sobe, Requião cai

Beto Richa tem 75% de ótimo e bom na avaliação de governo e apenas 5% de ruim e péssimo, o que o coloca em primeiro lugar no ranking dos prefeitos do Brasil segundo o Datafolha.

Na pesquisa de intenções de voto, Richa tem 58% segundo o mesmo Datafolha. Isso mesmo, entre a avaliação de governo e a avaliação pessoal há sempre uma diferença considerável.

Agora, imaginem o índice de intenções de voto de Requião se a avaliação de seu governo é de apenas 49%. Deve figurar no patamar dos 32%, segundo os cálculos dos especialistas. Ou seja, Requião vive o pior momento de toda a sua carreira política.

Outra dedução dos analistas . Se Beto Richa está com essa bola toda, significa que a maledicência de Requião não comove a população.

Não seria essa a prova provada de que a palavra de Requião hoje vale tanto quanto a do Airton Pisseti, do JG, do Benedito Pires ou do Cento e Dez?

Nem por isso os súditos de Requião se avexam. Trataram de dourar a pílula e se apressaram a espocar o foguetório nos céus da província para comemorar o resultado do Datafolha.

Não há motivos para comemorações. O governo Requião, notem bem, o governo é aprovado por 49%. A outra metade da população paranaense considera o governo ruim, péssimo ou regular, sendo que 16% o consideram ruim ou péssimo.

Avaliação de governo e índice de aprovação do governador são coisas distintas. No ano passado Requião tinha 78% de aprovação do governo. Pensou que era idêntico ao índice de aprovação pessoal. Terminou no fundo do poço, com menos de 50% dos votos e só não perdeu para Osmar Dias por cinco mil votos. Que pensar de sua situação pessoal agora, quando tem apenas 49% de aprovação do governo?


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*