Presente de grego | Fábio Campana

Presente de grego

O governador Roberto Requião queria ganhar de natal o tarifaço. Não deu certo. Então, encomendou um presente de grego para os servidores públicos. Decretou férias coletivas para todos os funcionários do estado, entre os dias 24 de dezembro e 4 de janeiro. Um detalhe: os doze dias de férias obrigatórias serão descontados das próximas férias dos servidores, que ficaram sem a opção de escolher quando serão suas férias, como manda a lei.

O deputado Antonio Belinatti discursou sobre o decreto na Assembléia, que, segundo ele, afronta a legislação. Afirmou que o governador não pode obrigar nenhum funcionário a gozar férias e nem antecipar dias do ano que vem, como manda a lei em vigor. “É uma medida desumana. Os funcionários estão coagidos a aceitar as férias em período de natal, mesmo sem ter pedido. E se já estivessem com férias programadas? A notícia só chegou agora.”. Ainda segundo o deputado, a medida já está causando aborrecimento a diversos servidores.


5 comentários

  1. José Carlos
    quarta-feira, 5 de dezembro de 2007 – 17:59 hs

    Como dizia minha avó, é a vingança do pipoqueiro… Incapaz de ver vitoriosas suas incursões contra os moinhos de vento, o arquiduque Fanfarrão se vinga pondo sal na pipoca dos indefesos amanuenses…

  2. SOBRE AS FERIAS
    quarta-feira, 5 de dezembro de 2007 – 20:40 hs

    Sou totalmente contra a administração Requianista ou Mussolitica!!!

    Porém corrigimos a informação fornecida aos seus leitores, as férias não foram avisadas somente de última hora e sim através do Decreto 1762/2007 de “08/11/2007”. Dispõe sobre férias coletivas no período de 24/12/2007 a 4/01/2008.

    Tem gente não lendo o Diário Oficial, ai neste caso é aplicada a mesma obrigação de conhecimento e a de leitura do D.O., como simples mortais.

    AK

  3. debora carneiro
    quinta-feira, 6 de dezembro de 2007 – 22:46 hs

    Voces nao sabiam que o Requiao vem fazendo isso desde 2003?
    Até as férias dos funcionários ele estraga.
    A quem podemos pedir ajuda?
    Eu sou uma funcionária que trabalha e não sou uma exceção. Há muita gente que trabalha sério no governo.
    A exceção fica por conta dos DAS amigos do Rei, que não trabalham, não assinam ponto, sempre estão viajando para “Seminários”.
    A coisa está cada vez pior.

  4. Orientador Legalista
    sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 – 9:38 hs

    Cara Débora,

    Procurem o Ministério Público do Trabalho.

    Espero que ajude.

    Chega de presentes de gregos do cavalo do Cangüiri!!!

  5. Orientador Legalista
    sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 – 9:38 hs

    Cara Débora,

    Procurem o Ministério Público do Trabalho.

    Espero que ajude.

    Chega de presentes de grego do cavalão do Cangüiri!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*