Pneus proibidos | Fábio Campana

Pneus proibidos

O plenário do Supremo Tribunal Federal manteve ontem duas decisões da presidente da Corte, ministra Ellen Gracie, que proibiram a importação de pneus usa-dos pelas empresas Bs Colway Social e Tal Remoldagem de Pneus Ltda. A BS Colway, de Francisco Simeão, deve fechar e demitir centenas de funcionários no Paraná.

A maioria dos ministros entendeu que a importação desse tipo de pneu potencializa o dano ao meio ambiente e à saúde pública, pois ele não pode ser reaproveitado. Como regra geral, os pneus têm dois ciclos de vida. Os pneus importados para remoldagem estão no segundo e último ciclo. Para os ministros, isso significa um aumento do passivo desse tipo de resíduo ambi-ental no país.


5 comentários

  1. jango
    quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 – 20:41 hs

    E alguém neste país já pensou no que fazer com os pneus “que não são proibidos” e que rolam por aí até que a Natureza se empanturre de seus restos ? A lei para este tipo de pneus está sendo cumprida ou só se pretende cumprir a parte que se refere aos “pneus proibidos” ?

  2. Jose Carlos
    quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 – 12:38 hs

    Francamente, a choradeira do empresário de que a decisão causa desemprego, redução de impostos e fim das suas iniciativas sociais é uma grande balela. Esta atividade beneficiava o meio ambiente europeu, pois só utilizava pneus de países ricos para sua produção, tornando o Brasil um depósito de lixo dos pneus da Europa e alhures. Se toda atividade que gera emprego, renda e impostos fosse permitida, várias atividades ilícitas seriam beneficiadas.

  3. MAIS DO MESMO
    quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 – 14:01 hs

    Sempre a mesma balela…

  4. CEO
    sexta-feira, 14 de dezembro de 2007 – 8:22 hs

    É, e além de tudo isso, ainda fez o esquema do recolhimento dos pneus dizendo que era bonzinho e coisa e tal, combatia a dengue, pegou assinatura de todo mundo, inclusive do Governador, e mandava os pneus para queimar nas caldeiras da COCAMAR em Maringá, empesteando a cidade com o pó preto. Tá escrito lá na Açáo Civil Pública, na 5a. Vara Civel de Maringá.

  5. Marcos Morais
    sábado, 30 de agosto de 2008 – 18:50 hs

    Poxa, porque os políticos bacocos desse país continuam olham apenass para os faraonicos salários que recebem e não se importam com dar alimento a mão de obra necessitada de ganhar tostões?
    Aproveitar o resíduo do pneus como OBRIGATORIEDADE na composição do piso asfáltico ( e tanto preciso em muitas rodovias brasileiras)
    Políticos: acordem e deixem-se de merdas!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*