Ninguém pode cantar vitória antecipada | Fábio Campana

Ninguém pode cantar vitória antecipada

O Datafolha divulgado hoje não deixou ninguém tranquilo. Mesmo o prefeito Beto Richa, com 58% das intenções de voto para a reeleição, não pode dar como favas contadas a sua vitória no primeiro turno. Se as oposições conseguirem conquistar 15% dos seus adeptos, levam a eleição para a segunda rodada e isso é tudo o que almejam os seus adversários de 2010 na disputa do governo do Paraná.

Beto Richa terá que segurar os seus 58% e, se possível, ampliá-los. Para isso dispõe de planejamento que inclui maratona de inaugurações de obras entre março e junho. Mas para ficar mais seguro, terá que convencer alguns aliados a não se aventurarem em candidaturas que podem dividir sua base. São os casos de Ney Leprevost, do PP; Rubens Bueno, do PPS; e Carlos Simões, do PR.

A soma dos candidatos de oposição, na melhor hipótese, é de 29%. Metade do índice de Beto. Descartados os brancos e nulos que somam 5%, os adversários do prefeito teriam que conquistar mais 18,5% para impedir a vitória de Richa no primeiro turno. Convenhamos: não é impossível, mesmo se considerarmos que são candidatos muito frágeis.

A favorita entre os candidatos da oposição é Gleisi Hoffmann, do PT. Mas ficou claro que ela não tem vantagem significativa sobre os demais. Corre riscos de perder a primazia entre os opositores de Beto Richa. Segundo o Datafolha, o melhor desempenho de La Hoffmann é de 9%. Rubens Bueno, do PPS, tem 7% das intenções de voto e não é a única ameaça. Ratinho Junior com 5% e Rafael Greca com 4% podem se considerar no jogo tanto quanto ela.

A pesquisa confirmou o declínio do PMDB de Requião, que não consegue se erguer acima de 1% das intenções de votos, índice atribuido pelo Datafolha ao candidato in pectore do governador, o reitor Carlos Moreira. Os analistas enxergam em Requião o principal fator de desgaste dos candidatos do PMDB não só em Curitiba, mas em todas as grandes cidades do Paraná. É de se perguntar se Requião conseguiria se eleger prefeito de Curitiba contra Beto Richa. Pelos últimos resultados eleitorais e pelas pesquisas recentes não teria a menor chance.

Pesquisa Datafolha sobre a eleição para prefeito em Curitiba:

Cenário um – Com Greca como candidato do PMDB
– Beto Richa (PSDB) – 58%
– Gleisi Hoffman (PT) – 8%
– Rubens Bueno (PPS) – 7%
– Ratinho Jr> (PSC)- 5%
– Rafael Greca (PMDB) – 4%
– Fábio Camargo (PTB) – 3%
– Osmar Bertoldi (DEM) – 2%
– Branco/nulo/nenhum – 5%
– Não sabe – 8%

Cenário dois – Com Moreira Jr. como candidato do PMDB
– Beto Richa (PSDB) – 58%
– Gleisi Hoffman (PT) – 9%
– Rubens Bueno (PPS) – 7%
– Ratinho Jr. (PSC)- 5%
– Fábio Camargo (PTB) – 3%
– Osmar Bertoldi (DEM) – 3%
– Carlos A. Moreira Jr. (PMDB) – 1%
– Branco/nulo/nenhum – 5%
– Não sabe – 8%


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*