Mexeu com a turma errada | Fábio Campana

Mexeu com a turma errada

Requião foi a Antonina, ontem, e muito se irritou com a rapaziada que pedia reforma no trapiche da cidade. Apelou para a ignorância. Disse que espera ver a moçada antoninense na parada gay. Mexeu com a turma errada. O povo de Antonina não aceita desaforo e respondeu com o que sabe fazer de melhor. Pôs logo um apelido em Requião. Baiacu. É barrigudo e ninguém come porque está cheio de veneno.


9 comentários

  1. José Carlos
    quinta-feira, 20 de dezembro de 2007 – 11:41 hs

    O arquiduque de Mello e Silva, na verdade, despreza o litoral do Paraná. Quiando vai esconde-se em seu castelo mal-assombrado na Ilha das Cobras (as cobras mesmo já se mandaram de lá faz tempo com medo de serem picadas), longe do povo… Gosta mesmo é da Praia do Grant em SC, onde se hospeda na casa da primeira-irmã provincial, tambérm longe do povão… Nada fez pelo litoral que está às moscas, com faixas de praia infimas, onde o a patuléia tem de se espremer. Aliás, os únicos governadores que fizeram alguma coisa séria pelo litoral foram Moisés Lupion, que adorava Guaratuba, fez o ferry-boat, os postos de sáude e as escolas públicas que estão lá até hoje. Outro foi João Elísio, que amava Caiobá, e fez a Alexandra-Matinhos, os gabiões da praia brava e o larga-mar da praia mansa, que as salvaram da destruição… Depois deles, o dilúvio……

  2. jango
    quinta-feira, 20 de dezembro de 2007 – 17:08 hs

    Linhás, como dizia o Golias, o governador “après moi le déluge” é o próprio arquiduke …

  3. José Carlos
    quinta-feira, 20 de dezembro de 2007 – 17:47 hs

    Pois é, mas, a guilhotina foi abolida….

  4. jango
    quinta-feira, 20 de dezembro de 2007 – 18:21 hs

    José Carlos:
    Mas, ficou o “dèluge”. Você e nós todos vamos pagar a conta do passivo milhionário ou bilionário, segundo alguns, das ações judiciais perdidas pelo Estado contra o pedágio ! Sem falar no caso Pavibrás, Cequipel, etc. Precisa guilhotina ?

  5. Jose Carlos
    quinta-feira, 20 de dezembro de 2007 – 19:05 hs

    De fato, para o povo não…

  6. sexta-feira, 21 de dezembro de 2007 – 22:15 hs

    REINAUGURAÇÃO DO MERCADO GERA POLÊMICA
    E O GOVERNADOR MAIS UMA VÊZ INSULTA A POPULAÇÃO

    A festa que estava programada para a entrega do Mercado Municipal, obra que durou mais de oito anos para ser concluída – cinco do governo Requião e três do Lerner – após discursos políticos e eleitoreiros feitos pelos presentes no palanque oficial e em “pleno estado de graça” após a benção recebida através do nosso pároco. O clima que tinha tudo para ser uma festa, foi interrompido pela fala – mais uma vez inoportuna – desequilibrada do nosso Governador, que não aceitou a manifestação pacífica de um grupo de jovens estudantes, portadores de uma faixa com as inscrições “Trapiche Já!”.
    Irado, o governador esbravejou: “esta manifestação esta sendo feita por um grupo de ”viados” e gays e não pensem que iremos dar nome de algum gay para o Trapiche…estão enganados”. E continuou o seu costumeiro xingamento, ressuscitando a figura folclórica do “Pedro Bó” personagem do programa do Chico Anísio, dos anos setenta.
    Como a minha figura está ligada ao meu apelido Bó – infelizmente não tenho grau de parentesco com aquele brilhante artista e engraçado personagem – mas como estou sempre ligado às manifestações em prol da nossa cidade (Fechamento do INSS, Escola Brasílio Machado…e o próprio Trapiche), algum maléfico e idiota deve ter soprado no ouvido belicoso do nosso governador que a manifestação deveria ser mais uma apronta do Bó…e o interessante personagem – Pedro Bó- pagou o pato pela desinformação, e o nosso povo mais uma vez foi ofendido, representado por aquele pequeno grupo de jovens estudantes.
    Como cidadão sou extremamente favorável às manifestações de qualquer natureza, principalmente as pacíficas, pois acredito que somente através dos movimentos sociais e das organizações poderemos mudar o rumo das coisas e fazer com os políticos acordem para as verdadeiras necessidades da sociedade.
    Se o recado foi dirigido para a minha pessoa, o senhor Governador deveria usar de seu “pessoal de informação” para saber a verdadeira fonte da manifestação, e assim mesmo, deveria se comportar como autoridade que é, e receber democraticamente, principalmente quando elas não foram dirigidas a ele. Ou seja, embarcou novamente na canoa furada do prefeito Kleber Fonseca, alvo principal do protesto.
    A minha presença na inauguração, foi para representar a Aestur- Associação dos Empreendedores de Turismo, por convite nominalmente enviado pelo prefeito municipal. Não seria nenhum louco, sem suicida se usasse o momento para me manifestar daquela maneira, pois, como associação, entreguei recentemente ao prefeito um documento de reivindicações para esta Temporada, onde entre muitas, estão incluídas a inauguração do Mercado Municipal e a construção de um acesso seguro para o Trapiche, já que a sua reforma vem sendo anunciada há mais de um ano.
    Em nenhum momento, quero me isentar de apoiar a manifestação, pois como cidadão sempre reivindiquei e lutei pela liberdade de expressão, desde meu tempo de presidente do Diretório Acadêmico da Escola de Música de Belas Artes do Paraná (1977); as lutas pelas Diretas Já; as greves incansáveis quando professor e membro do Conselho de Representantes da Associação dos Professores da Universidade Federal do Paraná; da manifestação contra as privatizações da Copel e do Banestado….e muitas outras incansáveis lutas vitoriosas, muitas delas, com a presença do “combatente” político Roberto Requião. Governador este é um pouco do Eduardo Bó, ou mais conhecido nos centros acadêmicos como Professor Msc.Eduardo Nascimento.
    O personagem Pedro Bó é outro, que deve ter influenciado muito a performance idiotizante da atual administração municipal, que infelizmente o senhor apóia. Mas nós que somos parte vital desta cidade NÃO, muito menos a maioria da população – estou falando maioria- é só ver as pesquisas de intenção de votos e esperar – sem irritação e bravatas- o resultado das urnas em 2008.
    Quando aos gays…bem, deve ser um problema de divã. Pois que “VIVA” as minorias: os índios, negros, mulatos, gays, lésbicas, simpatizantes e quem querem que sejam. Abaixo os políticos corruptos, os incompetentes, os nepotistas, os ladrões do erário público, os pedófilos, os prepotentes, os déspotas, os ditadores e o pior de todos os seres: o preconceituoso.

    Eduardo Nascimento

    Com cópia: Governador, Secretário de Turismo Celso Caron, Jornal O Estado do Paraná e Gazeta do Povo e as centenas de bloqs que defendem a liberdade de expressão.

  7. BAITACÚ
    sábado, 22 de dezembro de 2007 – 9:28 hs

    ESSE REQUIPOLTRÃO É A FIGURA MAIS RIDÍCULA DA HISTÓRIA POLÍTICA DO PARANÁ. UM PORCO GORDO, QUE SÓ CHAFURDA NA LAMA E NA PODRIDÃO. E PIOR, QUER PASSAR A IMAGEM DE INDIVÍDUO SÉRIO E CULTO. NÃO PASSA DE UM BAIACÚ, GORDO, FEIO E IRADO. FIGURA TRISTE.

  8. sexta-feira, 4 de janeiro de 2008 – 0:03 hs

    olhe campana eu estive em antonina antes do ano novo e não falei com o eduardo bó que é meu amigo de longa data e posso dizer que as palavras dele, em conversa com algumas pessoas de antonina, expressa a verdade, pois ele é um incansavel adorador e batalhador por uma antonina cada vez melhor e creio que esta administração atual é muito infantil, pois nem estabelecer as prioridades para as obras o faz. abraços Carlos Abreu

  9. Ercilio
    sexta-feira, 4 de janeiro de 2008 – 11:08 hs

    Pois é sr. Carlos de Abreu, o Requião não chamou os antoninenes do sexo masculino de gay, ele apenas se referiu a esse tal de Eduardo Bó.
    E está ficando pior tentar defendê-lo, pois a impressão que se tem que, pra ficar falando tanto sobre isso, é por que o Requião acertou no alvo. Será? he he he he he he

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*