Imposto no bolso dos outros é refresco | Fábio Campana

Imposto no bolso dos outros é refresco

Requião esteve em Brasília não apenas para conversar sobre os títulos podres do Itaú, mas também para tratar da parte que lhe cabe nesse latifúndio chamado CPMF. Durante o lançamento do PAC da Saúde (que deve destinar R$ 4,2 bilhões para o Paraná), o Duce defendeu o imposto, que, segundo ele é “o melhor imposto do país”. Resta perguntar à população qual o imposto preferido dela.

Talvez seja porque ele imagina que em Brasília ninguém sabe do que anda aprontando no Paraná, mas o governador também afirmou no mesmo lançamento que “Outros impostos têm que ser reduzidos com a reforma tributária.” Em nenhum momento tocou no assunto do seu tarifaço, o grande aumento de impostos que pretende implantar no Paraná.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*