O PAC segundo Bernardo | Fábio Campana

O PAC segundo Bernardo

Tudo certo para o Paraná receber os recursos do Programa de Aceleração do Crescimento, o famigerado PAC, avisou o ministro do Planejamento Paulo Bernardo. A condição de inadimplência do estado não será obstáculo para os investimentos.

O ministro também já prometeu que vai dar um jeito definitivo na pendência entre o governo e o Banco Itaú por conta dos títulos podres que o Banestado comprou e empurrou na privatização. Há três anos o Paraná é considerado inadimplente.

Sem discriminação

Paulo Bernardo avisou ainda que interesses externos não vão afetar a distribuição. O dinheiro será “aplicado sem discriminação”, e “mais de 50% dos projetos já foram aprovados”. Dos mais de 36 bilhões de reais do PAC, o Paraná vai ter direito à 1,2 bilhão.

Dinheiro mesmo durante as eleições

Uma das novidades é que alguns dos investimentos do PAC poderão ser feitos inclusive durante a temporada de eleições. Nesse período os pagamentos feitos por governos costumam ser bloqueados, mas o ministro já avisou que haverá exeção para habitação e saneamento, principalmente para áreas pobres.

Juros

Bernardo se aproximou ainda de outros assuntos: sobre os juros, explicou que as taxas reais baixaram durante o governo Lula praticamente pela metade, apesar de os juros ao consumidor continuarem sensivelmente altos. Sobre a macroeconomia, defendeu que o Brasil nunca tinha experimentado o crescimento contínuo dos últimos 4 anos.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*