Liberdade para Elma | Fábio Campana

Liberdade para Elma

Elma Romanó continua presa. É muito provável que continue na prisão até o dia 22, no mínimo. Só então terá nova chance de um habeas-corpus.

O que fez Elma Romanó para estar na cadeia? Denunciou a corrupção no IAP de Ponta Grossa, que ela dirigiu. Mandou carta para o secretário do Meio-Ambiente com cópia para o governador Requião e relatou todas as falcatruas na área.

Elma Romanó é mulher de fibra. Enfrentou os bandidos que integravam a instituição. Viu-se obrigada a andar de colete à prova de balas, ameaçada de morte. Mas foi em frente.

No governo Requião é comum que o denunciante seja punido e o denunciado protegido. Isso aconteceu com Elma Romanó. Hoje, Elma está na cadeia e continuam livres e no papel de autoridades de defesa do meio-ambiente alguns dos que ela denunciou.

A situação é kafkiana. Mas não há de durar para sempre. Elma Romanó tem amigos, companheiros e a consciência democrática da sociedade paranaense que começa a se levantar.

Ambientalistas preparam o relatório sobre os responsáveis pela prisão de Elma Romanó para passar essa questão a limpo e tornar públicas as mazelas da gestão do meio-ambiente.

A rapaziada juntou farto material de provas para mostrar ao governador Requião e à Polícia Federal os esquemas de corrupção que incluíram liberação de alvarás de funcionamento de mineradoras para lavagem de dinheiro, liberação da queima da palha da cana e da caça em regiões do Paraná.

Na verdade, Elma Romanó é presa política do governo de Requião. Ao que consta é a única presa política no Brasil neste momento. Inacreditável. Agora, esta a Requião mandar prender todos os ambientalistas que defendem Elma e denunciam o seu governo. Um dia desses ele manda prender o povo.


Um comentário

  1. jango
    quinta-feira, 15 de novembro de 2007 – 22:02 hs

    Enquanto a Roda da Lei não se movimenta, invoquemos Aqueles que também sentiram na pele a violência e o momentâneo silêncio das ditas “autoridades” de plantão, cheias de prerrogativas, régios salários e calhamaços de leis. Elma: “A prisão não são as grades, e a liberdade não é a rua; existem homens presos na rua e livres na prisão. É uma questão de consciência.” [Ghandi]

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*