Elma em liberdade | Fábio Campana

Elma em liberdade

A Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná concedeu, por unanimidade, habeas-corpus para a engenheira Elma Romanó, que estava presa pelo governo Requião porque denunciou corrupção no IAP de Ponta Grossa, onde foi diretora.

A juíza Lílian Romero, relatora, considerou completamente desnecessária a prisão de Elma Romanó.

As organizações de defesa do meio-ambiente querem, agora, investigação completa das denúncias de Elma Romanó e dos interessados em sua prisão.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*