Sonho do PMDB | Fábio Campana

Sonho do PMDB

O novo sonho de certa rapaziada do PMDB é um acordo com Osmar Dias. Sim, o mesmo Osmar Dias, o adversário de Requião na última eleição.

Razões não faltam para esse namoro com o inimigo recente. A principal é que esses políticos do PMDB estão convencidos de que Osmar Dias é ganhador no páreo de 2010. Já o PMDB não tem ninguém para enfrentá-lo.

A cultura política destas plagas manda quem não pode vencer aliar-se de imediato ao provável vencedor. Antes que outros o façam e tirem melhor proveito.

Há outra razão para esse entusiasmo de adeptos de Requião pelas cores de Osmar Dias. Até as montarias do Cangüiri sabem que se Osmar disputar o Senado dificilmente deixará de se reeleger. Será uma pedra no sapato de Requião, que terá de disputar a segunda vaga com o risco de ficar sem mandato.

Como se vê, a tigrada do PMDB é muito, muito pragmática. Não brinca em serviço. Quem deve ficar com a pulga atrás da orelha são os próceres do PT nativo, que pretendem eleger Paulo Bernardo com o apoio do mesmo Requião.

Tudo bem, repetem as almas parvas da equipe palaciana que acreditam piamente participar de um governo de esquerda e que a perspectiva natural é a de aliança com o PT.

Esquecem que nove de cada dez políticos do PMDB têm erisipela quando ouvem falar em aliança com o PT. Mesmo que se fale do PT light, soft, de baixos teores mudancistas.

Assim, é bom que saibam todos que há uma boa parcela do PMDB que vive em torno do governador Requião que não vai apoiar Gleisi Hoffmann para prefeita de Curitiba. Nem no primeiro nem no segundo turnos. Nem a pau. Essa gente prefere qualquer coisa a um petista no comando. A única chance de aderirem a Gleisi Hoffmann é depois dela eleita.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*