Requião na eleição de 2008 | Fábio Campana

Requião na eleição de 2008

Fica também o apontamento que Requião caiu em si, despertou para as eleições do ano que vem após o controvertido encontro do PMDB de Curitiba no final de semana. Pelo visto, não vai mais fugir da raia. Atacou Beto Richa. Reclamou da cessão da folha de pagamento ao banco Santander, que ganhou licitação promovida pela prefeitura de Curitiba, agora administra os salários do funcionalismo público municipal.

Para Requião, os R$ 140 milhões que o Santander pagará pelo direito de operar com os salários do funcionalismo não vêm de graça. Serão retirados dos funcionários públicos nos juros, empréstimos, etc. Requião faz ouvidos de mercador aos apelos do funcionalismo estadual, encabeçados pela bancada petista da Assembléia, que reclama das tarifas do Banco do Brasil, e resolveu dar pitaco na gestão de Beto Richa.

A idéia de jogar Curitiba contra o prefeito Beto Richa não pára por aí. Requião tirou do fundo do baú um acréscimo de 5% na conta de água dos curitibanos, inventado pro Cássio Taniguchi, que vai para o caixa da prefeitura.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*